Phyllida Lloyd

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Phyllida Lloyd em 2015

Phyllida Lloyd CBE (Bristol, 17 de junho de 1957) é uma diretora de teatro e cinema britânica, conhecida internacionalmente pela direção do filme Mamma Mia!, baseado no musical homônimo, também dirigido por ela.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Graduou-se na Universidade de Birmingham em 1979 e trabalhou durante cinco anos na BBC, na área de Drama. Nos anos 80, dirigiu e produziu peças de teatro na Bristol Old Vic, companhia de teatro da cidade. Sua carreira como diretora nos teatros ingleses, de Manchester a Londres, incluindo no Royal Shakespeare Company, chegou ao auge em 1999, quando dirigiu o musical Mamma Mia!, em Londres, que se tornou um grande sucesso internacional, apresentado desde então em várias partes do mundo. A carreira teatral teve uma breve interrupção em 2008 com o convite para dirigir a adaptação cinematográfica da peça, que a levou a seu primeiro trabalho como cineasta.

O filme, estrelado por Meryl Streep e Pierce Brosnan, foi um grande sucesso internacional e o filme britânico de maior bilheteria na história do Reino Unido.[1]

Em 2009, Lloyd foi indicada para o Prêmio Tony de Melhor Direção, pela peça Mary Stuart, encenada por ela nos Estados Unidos.[2]

Dirigiu, em 2011, A Dama de Ferro (em inglês, The Iron Lady) um filme biográfico britânico de 2011 baseado na vida de Margaret Thatcher (1925-2013), a primeira-ministra do Reino Unido do século 20 com mais tempo no cargo.[3] Thatcher é retratada principalmente por Meryl Streep,[4] ao qual foi escolhida por críticos como a melhor atriz de 2011, para o Oscar 2012, ao qual venceu.[5][6][7]

Referências

  1. Irvine, Chris (30 de outubro de 2008). «Mamma Mia becomes highest grossing British film». The Telegraph. Consultado em 1 de janeiro de 2009. 
  2. «Past Winners». Tony Awards. Consultado em 21 de maio de 2011. 
  3. Hoyle, Ben (21 de março de 2007). «Iron Lady Set to Follow the Queen on Screen». The Times. Consultado em 7 de novembro de 2013. 
  4. Peck, Tom (2 de julho de 2010). «Meryl Streep Takes on Her Toughest Role: The Iron Lady». The Independent. Consultado em 7 de novembro de 2013. 
  5. «Críticos de Nova York elegem The Artist como o melhor filme de 2011». Cinema com Rapadura. 6 de julho de 2012. Consultado em 4 de março de 2017. 
  6. «Cinema: Meryl Streep e Brad Pitt premiados no arranque de temporada». Correio da Manhã. 5 de março de 2016. Consultado em 4 de março de 2017. 
  7. «The Iron Lady and Margaret Thatcher's dementia: Why this despicable film makes voyeurs of us all». Telegraph.co.uk (em inglês) 
Ícone de esboço Este artigo sobre diretores de teatro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


[[Ficheiro:|borda|45pxpx|alt=Ícone de esboço]] Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.