Piaçabuçu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Piaçabuçu
"Princesinha do baixo São Francisco"
Barcos no rio São Francisco, em Piaçabuçu

Barcos no rio São Francisco, em Piaçabuçu
Bandeira de Piaçabuçu
Brasão de Piaçabuçu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 31 de maio
Fundação 1832 (185 anos)
Gentílico piaçabuçuense
Padroeiro(a) São Francisco de Bórgia
Prefeito(a) Djalma Guttemberg Siqueira Breda (Djalma Beltrão) (PRB)
Localização
Localização de Piaçabuçu
Localização de Piaçabuçu em Alagoas
Piaçabuçu está localizado em: Brasil
Piaçabuçu
Localização de Piaçabuçu no Brasil
10° 25' 24" S 36° 26' 03" O10° 25' 24" S 36° 26' 03" O
Unidade federativa  Alagoas
Mesorregião Leste Alagoano IBGE/2008[1]
Microrregião Penedo IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Feliz Deserto e Penedo.
Distância até a capital 135 km
Características geográficas
Área 239,989 km² [2]
População 19 087 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 79,53 hab./km²
Altitude 5 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,613 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 57 615,324 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 204,41 IBGE/2008[5]
Página oficial
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Piaçabuçu

Piaçabuçu é um município do estado de Alagoas, no Brasil. Tem uma população de 19 087 habitantes (2011) e um território de aproximadamente 293 quilômetros quadrados (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2007). Sua altitude média é de cinco metros acima do nível do mar, e tem uma temperatura média de 22 graus Celsius. O município situa-se entre o oceano Atlântico e Rio São Francisco, que o presenteia com o conjunto de belas praias urbanas. É conhecida como a "Capital Alagoana das Palmeiras".

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Piaçabuçu" é um termo de origem tupi que significa "piaçava grande".[6]

Hino[editar | editar código-fonte]

Brasileiros de Piaçabuçu

Esta dádiva que Deus nos legou

Conservamos com todo carinho

Até onde nosso intelecto alcançou

Reverenciamos os nossos maiores

Que com zelo, trabalho e raça

Desbravaram com encanto e ternura

Tudo isso que nos doaram de graça

Confiamos na nossa lavoura

Dos nossos campos com imenso arrozal

Para pródigo mercado de trabalho

Atendendo a multidão rural

Nossas praias de mares azuis

Grande potência para a gente viver

Nossos rios com pescado abundante

Realiza missão de prazer

Nossos sítios com coqueirais frondosos

Agitando-se a soprar do vento

Dá coragem e energia a todos

Enfrentar com garbo a luta a contento

Nosso povo todo investindo com empenho

Se prepara para novas façanhas

Implantando um novo caminho

De progresso e virtudes tamanhas.


Compositor: Mestre Francelino

História[editar | editar código-fonte]

Ocupação ameríndia[editar | editar código-fonte]

Até por volta do ano 1000, a região atualmente ocupada pelo município de Piaçabuçu era habitada por índios do tronco linguístico macro-jê. Nessa época, a região foi invadida por povos tupis provenientes da Amazônia, que expulsaram os habitantes originais para o interior do continente.[7]

Chegada dos europeus[editar | editar código-fonte]

No século XVI, quando os primeiros navegadores europeus chegaram à região, ela era habitada pela nação tupi dos caetés, que, nesse mesmo século, seria escravizada pelos colonizadores portugueses.[7] Criada como freguesia em 1859, Piaçabuçu foi elevada a vila e município em 1882, tendo sido desmembrada de Penedo.

Período imperial[editar | editar código-fonte]

Piaçabuçu foi visitada em 1859 pelo imperador brasileiro dom Pedro II, que, inclusive, participou de festas na cidade antes de seguir viagem para outras cidades.

O ciclo do arroz[editar | editar código-fonte]

Já em 1834, principiou o cultivo de arroz em Alagoas, no vale do rio São Francisco, e, após a Independência do Brasil (1822), o cultivo de arroz ganhou força nas terras da região do baixo São Francisco, entre outras, enriquecendo rapidamente cidades como Piaçabuçu, Penedo, Igreja Nova. Até hoje, Piaçabuçu é a segunda maior produtora de arroz de Alagoas.

Localização[editar | editar código-fonte]

Localizada na parte sul da faixa litorânea do estado de Alagoas, inserida na mesorregião do Leste Alagoano e microrregião de Penedo, o município de Piaçabuçu ocupa uma área de aproximadamente 293 quilômetros quadrados e dista 135 quilômetros da capital estadual, Maceió.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Piaçabuçu está situada ao sul do estado de Alagoas, na divisa com o estado de Sergipe, e caracteriza-se por suas águas calmas e areia fina e escura. Destacam-se as extensas formações de dunas encontradas por toda a praia, especialmente na desembocadura do rio São Francisco. Seu acesso é feito através da Praia de Pontal do Peba ou em barco desde a cidade de Piaçabuçu. É conhecida por ser um dos lugares mais importantes de desova das tartarugas-marinhas que habitam nas costas brasileiras e que estão protegidas pelas leis do país.

Sua população estimada em 2004 era de 19 704 habitantes. Piaçabuçu conta com 3% de famílias da classe alta, 59% de famílias da classe média alta e 32% da classe média ou baixa.

Foz do rio São Francisco
Foz do rio São Francisco

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Existem 3 bairros em Piaçabuçu, definidos pela lei municipal:

  • Centro
  • Brasília
  • Paciência

Descrição dos bairros[editar | editar código-fonte]

Brasília

Sua principal via é a avenida Ulisses Guedes, que abriga uma grande parte da classe A de Piaçabuçu. A avenida, que, na verdade, é uma extensão da rodovia AL-101 Sul, liga o bairro ao Centro da cidade e à cidade de Penedo e tem uma população de 3 910 habitantes.

Centro

Seus principais logradouros chamam-se Avenida Beira Rio, Avenida Silvino Melo, Rua Mestre Francelino, Rua Padre Curador, Praça São Francisco de Borja e Praça Centenário. O Centro tem uma população de 9 051 habitantes e abriga a maior parte da população com renda de até 5 salários-mínimos. É, também, o lugar mais movimentado de toda a cidade. Neste bairro, fica a maior parte do comércio.

É um ponto de parada obrigatória para todas aquelas pessoas que vêm conhecer Piaçabuçu. O bairro possui uma média rede de comércio e serviços, com correio, escolas, drogarias, praças, igrejas, pontos de lazer, bancos, hospitais, hotel, restaurantes e supermercados etc.

Paciência

É um bairro limítrofe com o Centro. Possui aproximadamente 11 quilômetros quadrados de área, encontra-se na região centro-norte da cidade e tem uma população de 5 238 habitantes. A partir da década de 1960, a tradicional família Silva deu início ao loteamento da região, já com o intuito de estruturar um bairro. O nome do bairro deve-se a uma homenagem à Nossa Senhora Aparecida (a padroeira do país) e à matriarca da família Silva.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua principal fonte de renda provém da atividade primária, com o coco, o arroz, a pesca e a cana-de-açúcar. Piaçabuçu também tem o maior banco de camarão da Região Nordeste do Brasil e é um importante polo pesqueiro.

Piaçabuçu é um dos maiores bancos de camarão do Nordeste do Brasil

Turismo[editar | editar código-fonte]

Grande parte da economia da cidade gira em torno do turismo, em especial do passeio ofertado por diversos barcos particulares à foz do Rio São Francisco, que banha a cidade. Um dos mais famosos barqueiros locais é conhecido como o Delta do São Francisco. Um dos maiores atrativos turístico de Alagoas fica em Piaçabuçu, na foz do rio São Francisco, cenário de indescritível beleza quando suas águas se encontram com o mar. Com dunas de areias claríssimas e várias lagoas de águas mornas.

Instituições financeiras[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com duas agências bancárias, pertencentes ao Banco do Brasil e Bradesco.

Empresas locais[editar | editar código-fonte]

  • Número de unidades locais: 93
  • Pessoal ocupado total: 5 750 pessoas
  • Pessoal ocupado assalariado: 4 662 pessoas
  • Salários e outras remunerações: 5 028 mil reais
  • Salário médio mensal: 2,9 salários-mínimos
Coco-da-baía

Praias[editar | editar código-fonte]

O litoral de Piaçabuçu possui duas extensas praias: a praia de Pontal do Peba e a praia do Peba, que se estendem desde a Vila de Pontal do Peba até o Pontal da Barra. Caracterizam-se pela sua areia fina e escura e pelas dunas paralelas à praia que recobrem toda sua extensa costa, destacando-se as localizadas na desembocadura do Rio São Francisco. São praias frequentadas pelos admiradores dos extensos calçadões, graças a seus dezoito quilômetros de areias contínuas, as mais extensas do Estado de Alagoas e das maiores do Brasil. Todo seu ambiente é uma importante área de preservação de tartarugas-marinhas e aves migratórias.[8]

Pontal do Peba[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Pontal do Peba

A praia tem uma extensão de 13 quilômetros e situa-se ao sul do povoado pesqueiro que lhe dá o nome. De areia fina e águas tranquilas, é uma praia bastante frequentada pelos amantes das longas calçadas às margens do Oceano Atlântico. Destaca-se por sua boa infraestrutura com pousadas, bares e restaurantes. Durante todo o ano, realizam-se, nas suas imediações, numerosas atividades, entre as quais merecem ser mencionadas a gincana de pesca de arremesso, em novembro, e o festival da Pilombeta, em setembro.

Arquipélago[editar | editar código-fonte]

Piaçabuçu também possui o maior e mais lindo arquipélago em Alagoas: é formado por 9 ilhas, as quais somam quase quatro quilômetros de extensão, banhadas pelo rio São Francisco.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cidade possui a Banda de Música Euterpe São Benedito, juntamente com a Escola de Música Mestre Francelino, ambas situadas na Praça Centenário próximo aos correios, onde desenvolvem um trabalho educativo para as crianças e jovens de Piaçabuçu oferecendo aulas de músicas gratuitas para todos e incentivando os jovens a entrar no mundo da música. É uma banda centenária conhecida em todo Estado de Alagoas. Através dessa banda, temos vários músicos em destaque na Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Exército.

A Associação Amigos de Piaçabuçu foi criada em 1999, passando por duas reformulações estatutárias, uma em 2003, quando adota o nome fantasia de Olha o Chico e outra em 2009, modificando sua forma administrativa de presidencialismo para gestão compartilhada.

Em 2006, a Olha o Chico tornou-se um Ponto de Cultura (Programa Cultura Viva / MinC) e alguns encontros nessa rede de cultura foram decisivos para sua trajetória: a Ação Griô e o Turismo de Base Comunitária.

A pedagogia griô e o turismo de base comunitária são norteadores das ações de formatação para as trilhas que compõem o "Caminhos do Rio São Francisco", onde se cultivam conhecimentos populares, vínculos afetivos, ancestralidade e identidade ribeirinha e brasileira.

Religião[editar | editar código-fonte]

Há uma grande variedade de cultos espíritas e algumas denominações baseadas no cristianismo: Testemunhas de Jeová, Assembleia de Deus, Congregação Cristã no Brasil, Primeira Igreja Batista de Piaçabuçu e os adventistas. Embora haja o predomínio do catolicismo (68% da população).

Festividades[editar | editar código-fonte]

  • Bom Jesus dos Navegantes (fevereiro)
  • Carnaval
  • Emancipação política (31 de maio)
  • Festas juninas
  • Casamento do Matuto (Julho)
  • Festival da Pilombeta (setembro)
  • Festival do Coco (data móvel)
  • Padroeiro São Francisco de Bórgia (10 de outubro)
  • Dia dos Evangélicos (Primeira Semana de Setembro)
  • PiaFébuçu (data móvel)
  • Gincana de Pesca e Arremesso (novembro)

Educação[editar | editar código-fonte]

Escolas primárias e secundárias
  • Escola Estadual Correia Titara - Ensino Fundamental e Médio
  • Escola Municipal Padre Luiz Barbosa Leite - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal José Gonçalves - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal 21 de Abril - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal Enecila Aciole Gama - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal Faustino Victor de Araújo - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal Élio Lemos França - Ensino Fundamental
  • Escola Municipal Messias Calumbi - Ensino Fundamental
  • Colégio Sagrado Família - Ensino Fundamental e Médio, rede privada de Ensino.
  • Colégio Nossa Senhora da Conçeição - Ensino Fundamental, rede privada de ensino.
Faculdades

Piaçabuçu conta com a faculdade a distância Grupo Educacional Uninter, com o Polo de Apoio Presencial - Piaçabuçu, situado na Avenida Silvínio Melo 200, no Centro. Oferecendo: curso MBA em direito e gestão, curso MBA em marketing estratégico, pedagogia e logística.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Televisão

Piaçabuçu é servida por três operadoras de tevê por assinatura sendo elas Sky, OiTV e Claro TV. E 3 retransmissores de redes afiliadas a canais de TV aberta analógica, representadas pelo Canal 9 (TV Gazeta Alagoas), Canal 11 (SBT) e Canal 12 (TV Pajuçara).

Telefonia fixa e móvel

A cidade é servida pela operadora de telefonia nacional Oi cobrindo 93% do município com linhas fixas residenciais e comerciais.

Também é coberta pelas operadoras de telefonia celular Claro e TIM.

Internet

A cidade também é coberta pela internet banda larga Oi Velox, prestada pela operadora Oi, Prestek, Mega Byte e PBU NET.

Imprensa local

A cidade é contemplada com o site de notícias Piaçabuçu News, que atende toda a região do litoral sul de Alagoas.[9]

Transporte coletivo urbano[editar | editar código-fonte]

Piaçabuçu conta com cerca de oito ônibus e 22 micro-ônibus (2008). Apesar disso, grande parte dos usuários queixa-se da falta de melhores condições dos ônibus em circulação na pequena Piaçabuçu. A empresa de ônibus que faz linha em Piaçabuçu é a Real Alagoas.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro 2010 
  6. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  7. a b BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. Ática. São Paulo. 2003. p. 19.
  8. Praias alagoanas. Disponível em http://www.praiasalagoanas.com.br/pontal-do-peba-e-suas-dunas-ate-a-foz-do-rio-sao-francisco/. Acesso em 13 de fevereiro de 2017.
  9. Piaçabuçu News. Disponível em www.piacabucunews.com.br. Acesso em 13 de fevereiro de 2017.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Alagoas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.