Pierre Victor Auger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pierre Victor Auger
Nascimento 14 de maio de 1899
Paris
Morte 25 de dezembro de 1993 (94 anos)
Nacionalidade França Francês
Prêmios Prêmio Antonio Feltrinelli (1961)
Campo(s) Física

Pierre Victor Auger (Paris, 14 de maio de 189925 de dezembro de 1993) foi um físico francês. Trabalhou no campo da física atômica, física nuclear e sobre os raios cósmicos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Paris, é filho do professor de química Victor Auger e cunhado do físico Francis Perrin. Foi educado na “Ecole Normale Supérieure”, onde obteve seu doutorado em 1926. Entrou para a Universidade de Paris e se tornou professor da Sorbonne (1937). Foi membro do Departamento de Universidades para o governo francês, Departamento de Ciências da UNESCO e da Comissão Espacial francesa. Durante os anos de guerra trabalhou nos Estados Unidos na Universidade de Chicago e depois da Segunda Guerra foi membro da Comissão Atômica francesa. Em 1964 tornou-se diretor geral da Organização de Pesquisas Espaciais Européia, posto em que permaneceu até 1967.

Auger morreu em 1993, dois anos depois do registro da “cascata” mais intensa já detectada, com 200.000 milhões de partículas e uma energia milhões de vezes superiores aos geradores terrestres.

Elétron Auger[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: elétron Auger

Auger é principalmente conhecido pelo descobrimento do efeito eletroscópio que leva o seu nome e utilizado para detectar as impurezas de superfícies cristalinas. Ele reportou seu descobrimento no "journal Radium" em 1925 e, com isso teve seu nome dado ao fenômeno, o elétron Auger.

Em síntese, a espectroscopia por elétron Auger é uma das mais difundidas técnicas de estudo de superfícies e importante para determinar a identidade dos átomos de uma amostra. Esta espectroscopia pode ser feita bombardeando uma amostra com raios X, prótons ou com elétrons acelerados e medindo a energia cinética dos elétrons Auger em função da energia dos elétrons ou raios X incidentes.

"Chuveiros aéreos extensos"[editar | editar código-fonte]

Utilizando dois detectores de radiação ionizante separados espacialmente, ele conseguiu mostrar que os detectores assinalavam a passagem de alto fluxo de partículas cósmicas ao mesmo tempo. Esta descoberta estendeu o leque de possíveis detectores, pois permitiu a construção de detectores no solo, eliminando a limitação de detecção em pequenas áreas dentro de balões ou no topo de edifícios. Esse fenômeno foi chamado de “Chuveiro aéreo extenso”.

O Observatório Pierre Auger é uma homenagem a um dos cientistas franceses mais influentes, por ter registrado o primeiro “chuveiro” de partículas em 1938 e inspirado o projeto, que se concretizou em 1995 com o apoio da Unesco.

CERN[editar | editar código-fonte]

Pierre Auger, na altura Chefe do Departamento das Ciências Exactas da UNESCO entre 1948-1959, teve um papel vital na criação do que começou por ser o Conseil Européan pour la Recherche Nucléaire, donde CERN [1] razão porque com Raoul Dautry, François de Rose e Lew Kowarski pela França, Edoardo Amaldi pela Itália e Niels Bohr pela Dinamarca é considerado como um dos pais fundadores da organização que é hoje a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear [2].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.