Pilar del Río

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pilar del Río
Pilar del Río na biblioteca da Fundação José Saramago em Lanzarote, Ilhas Canárias
Nome completo María del Pilar del Río Sánchez
Nascimento 15 de março de 1950 (67 anos)
Castril, Espanha
Residência Lisboa, Portugal
Nacionalidade Espanha Espanhola
Portugal Portuguesa
Cônjuge José Saramago (1988)
Ocupação Jornalista
Escritora
Tradutora
Página oficial
www.josesaramago.org

María del Pilar del Río Sánchez (Castril, 15 de março de 1950) é uma jornalista, escritora, tradutora espanhola,[1] que preside atualmente a Fundação José Saramago.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pilar del Río nasceu em Castril em 1950, filha de Antonio e Carmen, sendo a filha mais velha dentre quinze irmãos[3][4]. Foi mãe aos 26 anos de um rapaz chamado Juan José, fruto do primeiro casamento[5].

Em 1986, já divorciada, Pilar conheceu o escritor português José Saramago após ter lido todos os seus livros publicados em espanhol e ter pedido para conhecê-lo pessoalmente[6]. Dois anos mais tarde, em 1988, casaram-se e decidiram viver em Lisboa, tendo mudado-se em 1993 para a ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias. Permaneceu ao lado de José Saramago até a sua morte, em 2010[7]. Foi, também, uma tradutora para a língua espanhola de vários romances de Saramago. Em 2010, após a morte do marido, requereu a nacionalidade portuguesa e posteriormente obteve-a[8].

Atualmente, Pilar preside a Fundação José Saramago[2]. No dia 26 de Maio de 2017 recebeu o Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura na Biblioteca Nacional de Espanha[9].

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Los andaluces (coautoria com Juan Teba). Barcelona: Editorial Epidauro, 1979. ISBN 84-85309-06-5

Traduções[editar | editar código-fonte]

Seguem-se as obras de José Saramago que Pilar traduziu para o espanhol:

Referências

  1. Lucy Lorena Libreros (26 de março de 2013). «Pilar del Río, viuda del escritor José Saramago cuenta cómo ha preservado el legado del escritor» (em espanhol). El País. Consultado em 4 de julho de 2015 
  2. a b «Pilar del Rio fala do Nobel da Literatura: "Continuo a viver como se José Saramago estivesse presente"». Caras. 25 de setembro de 2010. Consultado em 26 de maio de 2011 
  3. Olivia Carballar (5 de agosto de 2011). «"No entraré en política partidaria.Yo milito en Saramago"» (em espanhol). Público. Consultado em 4 de julho de 2015 
  4. Ricardo Rego (9 de dezembro de 2013). «Pilar del Río: 'Não sou a viúva de Saramago'». Sol. Consultado em 4 de julho de 2015 
  5. Elena Pita (3 de agosto de 2003). «"Es la única mujer que me ha hecho sentir la cuarta dimensión del amor"». El Mundo. Consultado em 4 de julho de 2015 
  6. «Como descobre Saramago...». citi.pt in Público, O folhetim de Pilar del Rio. 17 de outubro de 1998. Consultado em 25 de maio de 2011 
  7. Jorge Tufic. «José Saramago, nosso Nobel!!!». Jornal da Poesia. Consultado em 25 de maio de 2011 
  8. Nuno Sá Lourenço (26 de julho de 2010). «Pilar del Río requereu nacionalidade portuguesa». Público. Consultado em 4 de julho de 2015 
  9. Revista Blimunda n.º 61 (Junho de 2017), pág. 72.
  10. Catarina Moura (25 de julho de 2014). «O romance inacabado de Saramago vai ser publicado em Outubro». Público. Consultado em 25 de julho de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]