Pilocarpina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estrutura química de Pilocarpina
Pilocarpina
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
(3S,4R)-3-ethyl-4- [(3-methylimidazol-4-yl) methyl]oxolan-2-one
Identificadores
CAS 92-13-7
ATC N07AX01
PubChem 5910
DrugBank APRD00382
Informação química
Fórmula molecular C11H16N2O2 
Massa molar 208.257 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade  ?
Metabolismo  ?
Meia-vida 45min a 1,5h
Excreção  ?
Considerações terapêuticas
Administração oral, colírio ou IV
DL50  ?

A pilocarpina é um alcalóide parassimpaticomimético extraído das folhas do jaborandi (Pilocarpus microphyllus), usado para tratar ressecamento dos olhos, boca e pele. Nome comercial Salagen.

História[editar | editar código-fonte]

É uma planta usada há séculos pelos índios tupi-guarani que habitam o Brasil e tiram proveito de suas propriedades de produzir suor e saliva. Foi introduzida na prática clínica pelo médico brasileiro Sinfrônio Coutinho, em 1874, através de extratos da folha do jaborandi para obter efeito diaforético (produção de suor) e sialogogo (produção de saliva).[1] Trata-se de um agonista muscarínico não específico, lentamente degradado e sem efeitos sobre os receptores nicotínicos.

Administração[editar | editar código-fonte]

A pilocarpina em colírio é usada como agente miótico (provoca a contração da pupila) e no tratamento do glaucoma. Em comprimidos serve para tratar ressacamento de olhos, boca e pele.

A pilocarpina também pode ser administrada por via intravenosa para exercer efeito antídoto contra envenenamento por atropina, um antagonista dos receptores colinérgicos muscarínicos.

Mecanismos de ação[editar | editar código-fonte]

A pilocarpina é um fármaco parassimpaticomimético, ou seja, tem efeitos semelhantes aos da acetilcolina ativando o sistema parassimpático para aumentar a produção de secreções das glândulas exócrinas no organismo. Por este motivo ela é usada atualmente como primeira linha de tratamento em doentes com xerostomia (produção insuficiente de saliva), que pode ocorrer como efeito colateral da radioterapia em cabeça e pescoço para o tratamento de neoplasias e na síndrome de Sjogren.[2]

Efeitos adversos[editar | editar código-fonte]

Efeitos indesejáveis comuns incluem[2] :

  • Náusea e vômito
  • Corrimento nasal
  • Diarreia
  • Calafrios ou calor
  • Urinar mais
  • Cansaço
  • Tontura
  • Acidez e dor estomacal
  • Inflamação de membros
  • Dor de cabeça

Referências

  1. Holmstedt, B; Wassén SH, Schultes RE. (Jan 1979). "Jaborandi: an interdisciplinary appraisal". J Ethnopharmacol 1: 3-21. PMID 397371.
  2. a b http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/druginfo/meds/a608039-es.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]