Pinóquio (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pinocchio
Pinóquio (PT/BR)
Pôster original do filme.
 Estados Unidos
1940 •  cor •  87 min 
Realização Hamilton Luske
Ben Sharpsteen
Baseado em Le avventure di Pinocchio
(livro de Carlo Collodi)
Elenco Alexandre Moreno
Jomery Pozzoli
Mônica Rossi
Isaac Bardavid
Mauro Ramos
Peterson Adriano
Luis Carlos Persy
Waldyr Santana
Guilherme Briggs
Hélio Ribeiro
Jorge Vasconcelos
Felipe Grinnan
Julio Chaves
Género Família
Animação
Distribuição RKO Pictures
Lançamento Estados Unidos 23 de Fevereiro de 1940
Brasil 26 de Fevereiro de 1940
Portugal 7 de Outubro de 1942
Idioma Inglês

Pinóquio (no original em inglês: Pinocchio) é um filme norte-americano do gênero fantasia, sendo o segundo longa-metragem de animação produzido pelos estúdios Disney no ano de 1940. O filme é baseado em As aventuras de Pinóquio de Carlo Collodi.

A história do filme mostra um velho carpinteiro italiano chamado Geppetto que faz um boneco de madeira chamado Pinóquio (voz de Dickie Jones) que é trazido a vida pela fada azul (Evelyn Venable). A fada diz ao boneco que ele poderia se tornar real se provasse sua bravura e lealdade. Depois disso seguem as aventuras do boneco que tentava se tornar um menino de verdade, envolvendo diferentes personagens (nome da baleia que engoliu o pai do Pinóquio).

O filme foi adaptado do livro de Collodi por Aurelius Battaglia, William Cottrell, Otto Englander, Erdman Penner, Joseph Sabo, Ted Sears e Webb Smith. A produção foi supervisionada por Ben Sharpsteen e Hamilton Luske e as sequências do filme foram dirigidas por Norman Ferguson, T. Hee, Wilfred Jackson, Jack Kinney e Bill Roberts.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O velho Gepeto constrói Pinóquio, um boneco de madeira que Gepeto trata como filho e que deseja se tornar gente. Numa noite estrelada, uma fada azul dá vida a Pinóquio, começando então uma fantástica aventura que vai testar a coragem, a lealdade e a honestidade do boneco, virtudes que ele tem que aprender para se tornar um menino de verdade.

Apesar dos avisos de seu esperto amigo Grilo Falante, Pinóquio se envolve em uma confusão atrás da outra, até que precisa salvar Gepeto, que está preso dentro da barriga de uma baleia.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Pinóquio foi lançado nos cinemas dos Estados Unidos em 7 de Fevereiro de 1940 e foi relançado em 1945, 1954, 1962, 1971, 1978, 1984 e 1992; no Brasil foi lançado em 26 de Fevereiro de 1940; em Portugal foi lançado em 7 de Outubro de 1942, sendo neste país um grande sucesso.

Televisão[editar | editar código-fonte]

 Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, foi transmitido na Rede Tupi, nos anos 60 e 70 e posteriormente no SBT nos anos 80, na versão brasileira. O filme fez sucesso, fazendo anos depois uma nova dublagem do filme.

 Portugal[editar | editar código-fonte]

O filme foi o primeiro de longa-metragem da Walt Disney a ser transmitida na RTP em Portugal, com muito sucesso. A sua estreia absoluta em televisão efectuou-se no Natal de 1966, em horário nobre. No dia 1 de janeiro de 1973, o filme voltou a ser exibido no 1º Programa da RTP, às 15h30, na rubrica "TV Infantil". A sua transmissão foi um sucesso de audiências, provocando muito impacto na vida dos mais pequenos da época. No dia 22 de Dezembro de 2008, o filme foi exibido na RTP2 na rubrica "Zig Zag", já na versão portuguesa (Europeia).

Em 1992 o filme foi digitalmente restaurado, eliminando distorções na trilha sonora e revitalizando as suas cores. Foi lançado quatro vezes em vídeo, três vezes em DVD e teve um lançamento em Blu-Ray, sendo o primeiro lançamento em VHS e Videodisc um sucesso de vendas em 1985 (esse lançamento foi remasterizado e relançado em 1986).

A Abril Vídeo lançou o VHS do filme no Brasil em Julho de 1993, o primeiro DVD e o último VHS do filme foram lançados em 2001. O último lançamento de Pinóquio foi em 10 de Março de 2009 na Edição Disney Platinum com DVD e Blu-Ray.

As suas composições musicais chegaram a ser incluídas nos programas de variedades da Emissora Nacional de Lisboa, executadas pela Orquestra de Variedades de Fernando de Carvalho.

Músicas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Pinóquio (trilha sonora)

A trilha sonora do filme foi lançada em 9 de Feveriro de 1940 nos Estados Unidos pelas gravadoras Victor Records, Disneyland Records e Walt Disney Records. As músicas foram compostas por Leigh Harline e as letras escritas por Ned Washington. Leigh Harline e Paul J. Smith compuseram a música incidental. Algumas das canções, quando o filme foi lançado em Portugal, foram incluídas nas "Horas de Variedades" da Emissora Nacional, executadas pela Orquestra de Variedades de Fernando de Carvalho, e cantadas pelo tenor Luiz Piçarra e alguns cançonetistas da estação, fazendo um esmagador sucesso, como fez a estreia do filme em Portugal, chegando a ser transmitida em televisão anos mais tarde, na RTP, em 1966.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1940 (Estados Unidos)

Pinóquio na cultura pop[editar | editar código-fonte]

  • Yin Yang Yo! - O conselho do Grilo Falante de Pinóquio é referido quando a Fada Lorota avisa a Yin e Yang a não contarem mentiras, senão sofrem consequências.
  • Aladdin - Há uma cena em que o gênio transforma sua cabeça em uma semelhante ao Pinóquio.

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Video-game[editar | editar código-fonte]

Sega Mega Drive, Game Boy e Super Nintendo lançaram jogos baseados no filme, os personagens Geppetto e Pinóquio apareceram no jogo Kingdom Hearts. Os personagens também aparecem em Kingdom Hearts: Chain of Memories e Kingdom Hearts II.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Walt Disney participou de todos os aspectos da produção, especialmente a história. Um problema enfrentado durante a produção foi que os personagens de Pinóquio não tinham o mesmo charme e carisma dos personagens de Branca de Neve e os sete anões, e que o protagonista não era forte o bastante para carregar a história. Depois de seis meses, Disney resolveu parar a produção para resolver o problema, pois ele percebeu que novos elementos tinham que ser adicionados. Como resultado, surgiu o Grilo Falante, a consciência de Pinóquio que ajudaria a guiar o filme ao lado do boneco de madeira.
  • Oficialmente, Pinóquio é o primeiro filme animado onde foi contratado um escultor para esculpir as maquetes dos personagens, que serviram de guia para os animadores.
  • Chuva de verdade foi incorporada em uma cena do filme.
  • Pinóquio teve um orçamento tão alto que o filme perdeu dinheiro em sua estreia original. Parte do fracasso em sua bilheteria inicial foi o estouro da Segunda Guerra Mundial na Europa, pois cerca de 45% da renda de Disney vinha do exterior. O filme conseguiu se recuperar com os relançamentos ao longo dos anos, e hoje é um dos filmes animados de maior sucesso do estúdio.
  • Pinóquio é tido como o filme mais perfeito tecnicamente produzido por Walt Disney, pela complexidade das técnicas empregadas e seu perfeccionismo.
  • A dublagem brasileira dos anos 40 do filme é tida como rara, pois os lançamentos em VHS, DVD e Blu-Ray estão com a dublagem da década de 60.
  • No filme "A.I - Inteligência Artificial", a Fada Azul aparece como um ícone de salvação e David pensa que como Pinóquio, ela pode transformá-lo num menino de verdade.
  • Em 2015, o Ministério da Justiça do Brasil reclassificou o clássico de "Livre para todos os públicos" para "inadequado para menores de 10 anos" por conter violência.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Branca de Neve e os Sete Anões
Lista de filmes de animação da Disney
1940
Sucedido por
Fantasia