Pinduca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o compositor. Para o personagem de HQ, veja Henry (banda desenhada).
Pinduca
Pinduca em 2012
Informação geral
Nome completo Aurino Quirino Gonçalves
Também conhecido(a) como Pinduca
Nascimento 4 de junho de 1937 (81 anos)
Origem Igarapé-Miri, Pará
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Carimbó / Lambada / Siriá / Sirimbó / Cúmbia / Merengue
Período em atividade 1951 - atualmente

Pinduca (batizado como Aurino Quirino Gonçalves) ou Rei do Carimbó Moderno (Igarapé-Miri, 4 de junho de 1937) é um músico brasileiro, cantor e compositor de músicas no gênero e ritmo paraense Carimbó.

Pertencente a uma família de músicos, Pinduca iniciou sua carreira aos quatorze anos de idade cantando carimbó, sendo também chamado "Rei do Carimbó",[1][2] disputando o título com outro cantor e compositor do estado do Pará.

Pinduca faz parte de uma geração de músicos que ousaram transformar os ritmos populares do interior do estado paraense em sucessos radiofônicos,[3] com a inserção de elementos inovadores, músicos como por exemplo: Mestre Verequete, Mestre Vieira e Mestre Cupijó.

Em 2017, seu álbum No Embalo do Pinduca foi indicado ao Grammy Latino de 2017 de Melhor Álbum de Raizes Brasileiras.[4]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • 1973 - Carimbó e sirimbó do Pinduca (Beverly Som e Eletrônica LTDA)
  • 1974 - Carimbó e sirimbó no embalo do Pinduca v.2 (Beverly Som e Eletrônica LTDA)
  • 1974 - Carimbó e sirimbó no embalo do Pinduca v.3 (Beverly Som e Eletrônica LTDA)
  • 1975 - Carimbó e sirimbó no embalo do Pinduca v.4 (Beverly Som e Eletrônica LTDA)
  • 1976 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.5 (Som Indústria e Comércio S/A)
  • 1977 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.6 (Beverly Som e Eletrônica LTDA)
  • 1978 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.7 (Som Indústria e Comércio S/A)
  • 1979 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.8 (Som Indústria e Comércio S/A)
  • 1980 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.9 (Som Indústria e Comércio S/A)
  • 1981 - Pinduca no embalo do carimbó e sirimbó v.10
  • 1982 - Pinduca v.11
  • 1983 - Pinduca O Rei do Carimbó v.12
  • 1984 - Pinduca o Rei do Carimbó v.13
  • 1985 - Pinduca o Rei do Carimbó, Eu Faço o Show
  • 1986 - Pinduca v.15
  • 1987 - Pinduca O Criador da Lambada
  • 1988 - Pinduca Apresenta Kizomba
  • 1989 - Pinduca Na Onda do Surubá
  • 1993 - Pinduca Na Explosão Do Carimbó (BMG)
  • 1997 - Pinduca Na base do Xengo Xengo
  • 2003 - Pinduca Sempre
  • 2005 - Pinduca: ao Vivo
  • 2007 - Pinduca 40 anos de Sucesso
  • 2009 - Pinduca Vol.33

Referências

  1. «Morte de Pinduca é apenas boato». Diário Online. 28 de dezembro de 2013. Consultado em 14 de setembro de 2015. 
  2. «José Nery lamenta a morte de Mestre Verequete, o 'Rei do Carimbó'». Senado Federal do Brasil. Senado Notícias. 3 de novembro de 2009. Consultado em 10 de abril de 2018. 
  3. «Adeus ao grande mestre brasileiro». Notícias de Cultura. Portal Diário do Pará on-line. 26 de setembro de 2012. Consultado em 12 de março de 2018. 
  4. Ceccarini, Viola Manuela (20 de novembro de 2017). «The 18th Latin GRAMMY Awards in Las Vegas». Livein Style. Consultado em 28 de dezembro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]