Pinto do Acordeon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pinto do Acordeon
Informação geral
Nome completo Francisco Ferreira Lima
Nascimento 18 de fevereiro de 1948
Local de nascimento Conceição, PB
País Brasil
Morte 21 de julho de 2020 (72 anos)
Local de morte São Paulo, SP
Gênero(s) baião, forró, xote, xaxado
Instrumento(s) Acordeão
Afiliação(ões) Luiz Gonzaga, Elba Ramalho, Genival Lacerda, Fagner, Dominguinhos, Os 3 do Nordeste, Trio Nordestino e Aleijadinho de Pombal.
Pinto do Acordeon
Vereador de João Pessoa
Período 1993–1997
Partido PDT

Pinto do Acordeon (Conceição, 18 de fevereiro de 1948São Paulo, 21 de julho de 2020), cujo nome de batismo é Francisco Ferreira Lima, foi um instrumentista, cantor, compositor e político brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Natural de Conceição, Paraíba, Pinto foi morar em Patos em meados da década de 1960.

A música lhe gerou interesse desde a infância e ele também é aficionado por acordeão, instrumento em que se tornou um virtuoso, ficou conhecido desde quando fazia parte das apresentações com a trupe de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, período em que ganhou notoriedade da música nordestina e que produziu músicas que estão presentes até hoje nos festejos juninos brasileiros.[2]

Gravou seu primeiro LP em 1976 e na atualidade detém em torno de vinte álbuns gravados em seu nome (entre CDs e LPs), já tendo composto músicas para Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos, Fagner, Os 3 do Nordeste e Trio Nordestino. Um de seus sucessos, “Neném Mulher”, ficou consagrada na voz de Elba Ramalho e foi tema da telenovela Tieta.[3][4][5][6]

Em 2008, foi para o Festival de Montreux, Suíça, no qual se apresentou junto com outros artistas brasileiros, entre os quais Gilberto Gil, Elba Ramalho, Milton Nascimento, Chico César, Flávio José, Aleijadinho de Pombal, e Trio Tamanduá.[7]

Política[editar | editar código-fonte]

Pinto foi eleito vereador de João Pessoa, capital da Paraíba, para exercer o mandato entre os anos de 1993 e 1997.[8]

Morte[editar | editar código-fonte]

Morreu em 21 de julho de 2020, aos 72 anos, no Hospital Beneficência Portuguesa em São Paulo, de câncer de bexiga, problemas renais e diabetes.[1][9][10][11]

Referências

  1. a b «Câmara de Patos emite nota de pesar pelo falecimento de Pinto do Acordeon». Câmara Municipal de Patos. 21 de julho de 2020. Consultado em 26 de julho de 2020 
  2. Redação. Troféu Gonzagão homenageia Pinto do Acordeon . Disponível em [1]. Acesso em Setembro de 2017
  3. Prefeitura de Patos
  4. Diário da Borborema[ligação inativa]
  5. O Norte[ligação inativa]
  6. CDs Completos.Org
  7. Folha de S.Paulo
  8. Redação. Pinto do Acordeon é internado em Pernambuco com problemas circulatórios; está na UTI. Disponível em [2]. Acesso em Setembro de 2017
  9. «Cultura Nordestina de luto! Pinto do Acordeom não resiste e vai a óbito». Patosonline.com. Consultado em 26 de julho de 2020 
  10. «Pinto do Acordeon, músico paraibano, morre com câncer, em São Paulo, aos 72 anos». G1. Consultado em 26 de julho de 2020 
  11. «Cadela viaja mais de 300 km para velório de Pinto do Acordeon marcado por forró e homenagens». G1. Consultado em 26 de julho de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.