Pius Thicknesse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pio Thicknesse)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Pius Thicknesse
Pio Thicknesse
Dados pessoais
Sexo Masculino
Cabelo Negro
Sangue Puro
Dados biográficos
Casa Blason Serpentard.svg Slytherin
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e as Relíquias da Morte
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1
Intérprete Guy Henry
Personagem da série Harry Potter

Pius Thicknesse (ou, segundo as edições brasileiras, Pio Thicknesse) é um personagem fictício da série de livros Harry Potter, escrita pela autora britânica J.K. Rowling. Pius é, no tempo da ação, um funcionário de importantes cargos administrativos no Ministério da Magia, promovido a Chefe do Departamento de Execução da Lei Mágica após a morte de Amélia Bones em 1996, e nomeado Ministro da Magia no regime dos Comensais da Morte em 1997.

História[editar | editar código-fonte]

Quando Amelia Bones, Chefe do Departamento de Execução da Lei Mágica, foi assassinada por Lord Voldemort no verão de 1996, Thicknesse foi nomeado como seu sucessor, presumivelmente pelo então Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour.

— Meu Senhor, tenho boas notícias a esse respeito. Eu… com dificuldade e grande esforço… consegui lançar a Maldição Imperius sobre o Pius Thicknesse.
Muitos do que se achavam sentados em redor de Yaxley se mostraram impressionados; o seu vizinho, Dolohov, um homem com um rosto comprido e contorcido, assestou-lhe uma palmada nas costas.
— Já é um começo — reconheceu Voldemort. — Mas o Thicknesse é apenas um homem. Antes de eu agir, o Scrimgeour tem de estar rodeado de gente nossa. Um atentado frustrado contra a vida do Ministro obrigar-me-ia a um grande retrocesso.
— Sim… meu Senhor, isso é verdade… mas sabe, enquanto Chefe do Departamento de Execução da Lei Mágica, o Thicknesse tem contactos regulares não apenas com o próprio Ministro, como também com os chefes de todos os outros departamentos do Ministério. Estou convencido de que, agora que temos um funcionário de alta patente sob o nosso poder, nos será fácil subjugarmos outros, e depois eles podem unir-se para derrubar o Scrimgeour.
 
Harry Potter e os Talismãs da Morte — Capítulo I (A Ascensão do Senhor das Trevas).

No verão de 1997, como parte do plano de Lord Voldemort para tomar o Ministério da Magia, Yaxley, um Devorador da Morte, lançou a Maldição Imperius — uma maldição que resulta na perda do livre-arbítrio; que leva o alvo a fazer tudo o que quem lançou a maldição quer que ele faça — sobre Thicknesse. Yaxley mencionou que este feito havia sido mais difícil do que estava à espera, o que fez com que quase chegasse atrasado a uma importante reunião de Devoradores da Morte na Mansão dos Malfoy. Muitos dos outros Devoradores da Morte ficaram impressionados com o feito de Yaxley, mas Voldemort assegurou-os que o trabalho ainda não estava acabado, e de que o Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour precisaria de estar rodeado por agentes seus antes de Voldemort atentar contra a sua vida.

Thicknesse revelou-se útil, todavia. Como Chefe do Departamento da Execução da Lei Mágica, Thicknesse tinha contactos regulares com o próprio Ministro e com os chefes de todos os outros departamentos do Ministério. Thicknesse foi forçado, sob a Maldição Imperius, a subjugar outros membros importantes do Ministério, trabalhando lentamente para infiltrar a segurança do Ministro.

Thicknesse ainda foi de auxílio a Voldemort, na medida em que encurralou Harry Potter na residência dos seus tios, Número 4 de Privet Drive, ao tornar a conexão à Rede de Floo, a presença de Botões de Transporte ou a Desmaterialização de lá, crimes puníveis com prisão. Oficialmente, todas estas precauções foram feitas com o intuito de garantir a segurança de Harry. O Detector (um detetor de magia que garante que os feiticeiros menores de idade não fazem magia fora da escola sem o conhecimento do Ministério) estava também em utilização.

A Ordem da Fénix, como resultado, passou a acreditar que Thicknesse se havia passado para o inimigo, o que constituia um grande problema quanto ao plano de transportar o Harry para A Toca, uma das casas seguras da Ordem da Fénix. Como tal, a Ordem teve de se servir dos únicos meios de transporte mágicos que se podiam servir sem serem detetados: vassouras, Thestrals e a mota voadora de Sirius Black. Os Devoradores da Morte, que se enteiraram do plano, esperavam-nos nos céus sobre Little Whinging, o que deu origem a uma batalha que se travou nos céus sobre a Inglaterra.

— Mas as pessoas com certeza que se apercebem do que se está a passar?
— O golpe foi fácil e virtualmente silencioso — explicou-lhe Lupin. — A versão oficial do assassinato do Scrimgeour é que ele se demitiu; foi substituido pelo Pius Thicknesse, que se encontra sob o efeito da Maldição Imperius.
 
Harry Potter e os Talismãs da Morte — Capítulo XI (O Suborno).

Eventualmente, o Thicknesse e outros funcionários de alta patente do Ministério, subvertidos, lançaram um golpe de estado "fácil e virtualmente silencioso", juntamente com os Devoradores da Morte. A 1 de agosto de 1997, o Ministério caiu, e Scrimgeour foi assassinado. Os meios de comunicação foram, também, tomados pelos Devoradores da Morte: a versão oficial dos acontecimentos era que Scrimgeour se havia aposentado, e Thicknesse o havia sucedido. Apenas a Ordem da Fénix parecia ter conhecimento que Thicknesse estava sob a Maldição Imperius. Como resultado, Thicknesse era nada mais do que um fantoche, que trata de todos os assuntos quotidianos no Ministério, enquanto Voldemorte, efetivamente o verdadeiro Ministro, estava livre para estender o seu poder para além dos limites do Ministério.

Às ordens dos Devoradores da Morte, contra a sua vontade, Thicknesse instaurou um novo regime no Ministério, que se ajustava melhor à ideologia dos Devoradores da Morte. Os seus atos enquanto Ministro incluiram eregir um monumento no Átrio do Ministério, mostrando uma feiticeira e um feiticeiro sentados num trono feito de corpos despidos de muggles, inscrito com o lema "Magia é Poder, substituindo a Fonte da Irmandade Mágica. Yaxley substituiu Thicknesse na qualidade de Chefe do Departamento da Execução da Lei Mágica, e muitos outros Devoradores da Morte, como Travers, foram nomeados para cargos de grande poder no Ministério.

Usando pesquisas falsificadas efetuadas pelo Departamento dos Mistérios, o Ministério afirmava que os feiticeiros nascidos de famílias muggles "roubavam" a sua magia de feiticeiros "reais". Como resultado, o Ministério criou um novo corpo, a Comissão de Registo dos Feiticeiros de Origem Muggle que perseguia e prendia Nascidos-Muggles, tendo Dolores Umbridge como a chefe da comissão. Os Raptores, uma outra organização, foram criados com o intuito de capturar Nascidos-Muggles que escapavam a julgamentos injustos no Ministério. Pessoas com ligações à Ordem da Fénix, como Arthur Weasley foram postas sob vigilância.

Entretanto, na Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts, Devoradores da Morte ensinavam Magia Negra e Estudos Muggles (uma extensão da propaganda anti-Muggle do Ministério), sob o comando do novo diretor, Severus Snape. A frequência da escola foi obrigatória, e os alunos tinham de dar provas de que não eram Nascidos-Muggle (tendo crianças de onze anos sido capturadas e presas injustamente na prisão de Azkaban). Harry Potter foi declarado "Indesejável Número 1", sendo procurado por todo o país, alegadamente por estar envolvido no assassinato de Albus Dumbledore, que ocorrera no verão passado.

— Olá, Senhor Ministro! — gritou Percy, lançando um feitiço perfeito a Thicknesse, que largou a varinha e se agarrou ao manto, aparentemente aflito. — Já lhe comuniquei que me vou demitir?
— Estás a gozar, Perce! — bradou Fred, quando o Devorador da Morte com quem lutava cedeu sob o peso de três Feitiços de Atordoar diferentes. Thicknesse tombara entretanto, começando a brotar-lhe minúsculos espinhos de todo o corpo; dava a impressão de estar a transformar-se numa espécie de ouriço-do-mar.
 
Harry Potter e os Talismãs da Morte — Capítulo XXXI (A Batalha de Hogwarts).

Thicknesse, ainda sob a Maldição Imperius, tomou parte na Batalha de Hogwarts a 2 de maio de 1998. Thicknesse do lado dos Devoradores da Morte, tendo conseguido penetrar nas defesas do castelo, e envolvido-se em duelo com Percy Weasley, seu antigo subordinado no Ministério. Percy lançou-lhe um feitiço que o Transfigurou parcialmente num ouriço-do-mar, tendo-lhe crescido minúsculos espinhos de todo o corpo. Isto não se tornou fatal, todavia, e, mais tarde no decorrer da batalha, lutou contra Arthur e Percy Weasley, de onde saiu "derrotado". É incerto se Thicknesse ficou apenas desabilitado na Batalha, ou se os Weasleys o mataram(morto por voldemort no filme). De qualquer das formas, Thicknesse não voltou ao cargo de Ministro da Magia após a morte de Voldemort, tendo-lhe sucedido Kingsley Shacklebolt, que foi instrumental para a descorruptização do Ministério.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Na versão cinematrogáfica de Harry Potter e os Talismãs da Morte, Pius foi interpretado pelo ator Guy Henry. Diferente do que acontece no livro, o personagem é mostrado como Devorador da Morte mesmo antes do assassinato de Scrimgeour, e não há menções sobre ele estar a ser controlado pela Maldição Imperius. No filme Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2, Thicknesse é morto pelo próprio Voldemort, num surto de raiva, no decurso da Batalha de Hogwarts.

Referências

Precedido por
Rufus Scrimgeour
Ministro da Magia
31 de agosto de 1997 — 2 de maio de 1998
Sucedido por
Kingsley Shacklebolt