Pirâmides mesoamericanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pirâmide do Sol e da Lua (ao fundo) nas ruínas de Teotihuacán, México

Pirâmides mesoamericanas são estruturas piramidais que são uma parte importante da arquitetura antiga da Mesoamérica. Estas estruturas foram geralmente possuíam templos em seu topo, mais semelhantes aos zigurates da Mesopotâmia do com as pirâmides do Egito Antigo. A maior maior pirâmide do mundo em volume é a Grande Pirâmide de Cholula, no estado mexicano de Puebla.

Os astecas, um povo com uma rica mitologia e patrimônio cultural, dominaram a região central do atual México durante os séculos XIV, XV e XVI.[1] Sua capital era Tenochtitlan, na margem do lago Texcoco - o local da moderna Cidade do México. Eles estavam relacionados com as culturas precedentes na bacia do México tais, como a cultura de Teotihuacan, cujo estilo arquitetônico eles adotaram e adaptaram. Outros povos que viviam na região, como os maias, os zapotecas, a Cultura de Veracruz, entre outros, também criaram grandes construções piramidais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «The Aztecs/Mexicas». Consultado em 27 de dezembro de 2006. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]