Pirangi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Pirangi (desambiguação).
Pirangi
  Município do Brasil  
Rio da Onça
Rio da Onça
Símbolos
Bandeira de Pirangi
Bandeira
Brasão de armas de Pirangi
Brasão de armas
Hino
Gentílico pirangiense
Localização
Localização de Pirangi em São Paulo
Localização de Pirangi em São Paulo
Pirangi está localizado em: Brasil
Pirangi
Localização de Pirangi no Brasil
Mapa de Pirangi
Coordenadas 21° 05' 27" S 48° 39' 28" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Bebedouro, Taiaçu Taiuva, Vista Alegre do Alto, Ariranha, Palmares Paulista, Paraíso e Monte Azul Paulista
Distância até a capital 383 km
História
Fundação 3 de agosto de 1895 (124 anos)
Aniversário 7 de março de 1935
Administração
Prefeito(a) Luis Carlos de Moraes (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 215,809 km²
População total (Estimativa IBGE/2014 [1]) 11 167 hab.
Densidade 51,74 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 538 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [2]) 0,779 alto
PIB (IBGE/2008[3]) R$ 114 505,496 mil
PIB per capita (IBGE/2008[3]) R$ 10 657,62

Pirangi[nota 1] é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º05'29" sul e a uma longitude 48º39'28" oeste, estando a uma altitude de 538 metros. Sua população estimada em 2014 era de 11 167 habitantes. Possui uma área de 215,81 km².[1]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O topônimo Piranji origina-se da língua tupi e significa rio vermelho ou rio do peixe vermelho.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Junto ao córrego Boa Vista, em 1895, foi aberta uma trilha pelos habitantes do distrito de São Sebastião do Turvo (atual Paraíso), desmataram uma área e fundaram um povoado, erigindo uma capela sob o orago de Santo Antonio.

Naquele mesmo ano, Antônio Bernardo de Souza, Galdino Olegário do Nascimento e Joaquim Bernardo de Miranda doaram suas terras para a expansão do povoado, que recebeu o nome de Santo Antônio da Boa Vista, depois alterado para Santo Antônio da Bela Vista. Anos depois, para facilitar o acesso de outras famílias, foi aberta uma ligação para a estrada do Taboado e, com o aumento da população, criou-se no povoado um distrito policial, que foi elevado em 1913 à categoria de distrito de paz, sob a jurisdição de Jaboticabal (Lei Estadual 1402, de 23 de dezembro de 1913). Este distrito recebeu o nome de Pirangi, cuja emancipação ocorreria em 1935, quando foi elevado à categoria de município com a denominação de Pirangi (Decreto 6997, de 7 de março de 1935), sendo desmembrado de Jaboticabal.[4]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados da estimativa - 2008

População Total: 10.315

  • Urbana: 8.687
  • Rural: 1.351
  • Homens: 5.257
  • Mulheres: 5.058

Densidade demográfica (hab./km²): 46,52

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 13,67

Expectativa de vida (anos): 72,43

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,05

Taxa de Alfabetização: 89,21%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,779

  • IDH-M Renda: 0,704
  • IDH-M Longevidade: 0,791
  • IDH-M Educação: 0,843

(Fonte: IPEADATA)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[5], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[6], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[7] para suas operações de telefonia fixa.

Notas

Referências

  1. a b c «IBGE Cidades_Pirangi». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2014. Consultado em 26 de janeiro de 2015 
  2. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. a b c «Histórico». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2014. Consultado em 27 de janeiro de 2015 
  5. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  6. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  7. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]