Piseiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Piseiro
Origens estilísticas Influência direta da pisadinha, com elementos de arrochadeira,[1] tecnomelody e eletrobrega.
Contexto cultural Década de 2010 na Bahia, tendo sucesso na região Nordeste
Instrumentos típicos guitarra, contrabaixo (4 ou 6 cordas), sanfona, teclado, bateria, percussão, sintetizador, caixa de ritmos e saxofone.
Popularidade Em todo o Brasil

O piseiro, variação da pisadinha, é um estilo musical surgido no estado da Bahia, derivado do forró.[2][3][4][5][6]

Segundo a Folha de S.Paulo, o piseiro pode ser descrito como "descendente do forró com objetivos estéticos alinhados ao funk atual".[7]

O piseiro tem traços da pisadinha, apresentando uma coreografia marcada por passos arrastados e mãos posicionadas junto ao corpo. Esta derivação do forró tradicional tem batida mais rápidas, propondo uma dança solo.[8] O nome "piseiro" deriva da designação do sítio onde se dança a pisadinha.[9]

Uns dos nomes considerados responsáveis pelo sucesso do piseiro são Barões da Pisadinha e Vitor Fernandes.[7][8] Natural de Petrolina, Vitor Fernandes começou a carreira profissional em março de 2019, estando poucos meses depois ao ritmo de 20 shows por mês. O seu clipe "Roxinho" tem atualmente quase 50 milhões de visualizações no Youtube.[10]

Referências

  1. FolhaGO, -G1 /. «Pisadinha: como essa inovação do forró domina paredões e se espalha pelo Brasil». emaismt - O Portal de notícias do Estado de Mato Grosso. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  2. Belo, Lyllyan (10 de dezembro de 2021). «Qual a diferença entre forró e piseiro? Saiba como surgiu o ritmo do momento». JC. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  3. «Piseiro: conheça mais sobre esse estilo e os grandes sucessos». Deezer Brazil. 23 de dezembro de 2021. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  4. (15 de janeiro de 2020). «Piseiro ou pisadinha, vertente do forró que tem chamado atenção na música». Acervo. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  5. (2 de fevereiro de 2022). «Terra do forró, axé e piseiro: pluralidade de ritmos é sinal da multiculturalidade do Nordeste». Acervo. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  6. «#TrackBrazuca: por que você precisa conhecer e ouvir o forró piseiro?». tracklist.com.br. tracklist. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  7. a b «Com Barões da Pisadinha e Vitor Fernandes, podcast fala do novo forró do país». Folha de S.Paulo. 20 de agosto de 2020. Consultado em 17 de setembro de 2020 
  8. a b «Matheus Fernandes grava primeiro piseiro da carreira com participação de Zé Neto e Cristiano - É Hit - Diário do Nordeste». diariodonordeste.verdesmares.com.br. 21 de agosto de 2020. Consultado em 17 de setembro de 2020 
  9. Albuquerque, GG (21 de dezembro de 2019). «Como a 'pisadinha' do Nordeste virou fenômeno da música popular». tab.uol.com.br. TAB - UOL. Consultado em 17 de setembro de 2020 
  10. «'Piseiro': Vitor Fernandes explica a nova vertente do forró». Diário do Nordeste. 15 de novembro de 2019. Consultado em 17 de setembro de 2020