Pitágoras (liberto)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o liberto romano. Para outros significados, veja Pitágoras (desambiguação). Para a escultura, veja Doríforo.
Pitágoras
Conhecido(a) por casamento com Nero
Nascimento Desconhecido
Nacionalidade Romano Roma
Ocupação Liberto
Cargo Provador de vinho

Pitágoras foi um liberto do imperador Nero, que se casou com Nero em uma cerimônia pública como seu esposo.[1][2][3][4]

Vida[editar | editar código-fonte]

Pouco é conhecido sobre a vida anterior de Pitágoras exceto que ele era um liberto que acompanhava Nero, chamado "um de seu rebanho imundo" (uni ex illo contaminatorum grege).[5] Ele era possivelmente seu provador de vinho.[3]

Casamento com Nero[editar | editar código-fonte]

Em 64, durante a Saturnália, houve uma série de banquetes oferecidos por Tigelino a Nero onde poucos dias depois Nero casou-se com Pitágoras.

... ele inclinou-se para casar-se com um de seu rebanho imundo, por nome Pitágoras, com todas as cerimônias de um casamento regular. O véu de noiva foi colocado sobre o imperador; o povo viu as testemunhas da cerimônia, o dote do casamento, o sofá e as tochas nupciais; tudo em resumo era plenamente visível, ao invés do quando uma mulher se casa e a escuridão a esconde.
 
Tácito, Anais, XV.

Doríforo[editar | editar código-fonte]

Suetônio conta a história de Nero sendo a noiva para um liberto chamado "Doríforo". Tanto Tácito quanto Dião Cássio somente mencionam "Pitágoras". De acordo com Champlin, é improvável que dois escândalos deste tipo ocorreram sem terem sido mencionado: a solução mais simples é que Suetônio confundiu o nome.[6] Um dos mais ricos e poderosos libertos de Nero chamado Doríforo morreu em 62 antes do banquete de Tigelino,[6] onde Nero, coberto com peles de animais selvagens, era solto de uma jaula e atacava as partes privadas de homens e mulheres amarrados a estacas, depois do que era morto pelo seu liberto "Doríforo".[7]. Como Doríforo significa "lanceiro"[8] (Δορυφόρος) como a escultura, pode ser que a palavra latinizada tenha apenas capitalizado a palavra grega.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ancient History Sourcebook: Suetonius: De Vita Caesarum--Nero, c. 110 C.E. (em inglês)
  2. Cassius Dio Roman History: LXII, 28 - LXIII, 12-13 (em inglês)
  3. a b Frier, Bruce W. (2004). «Roman Same-Sex Weddings from the Legal Perspective». Classical Studies Newsletter, Volume X (em inglês). University of Michigan. Consultado em 29 de fevereiro de 2012 
  4. Champlin, 2005, p.145
  5. Tácito. «Annals: XV» (em inglês). Bible History Online. Consultado em 29 de fevereiro de 2012 
  6. a b Champlin, 2005, p.161
  7. Champlin, 2005, p.169
  8. Champlin, 2005, p.166
  9. Champlin, 2005, p.313