Placar Eletrônico (programa de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Placar Eletronico
Informação geral
Formato Telejornal
Gênero Esportivo
Duração 30 minutos a 1 hora
País de origem  Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Albérico de Souza Cruz (1991-1995)
Evandro Carlos de Andrade (1995-1997)
Ciro José Gonzales (1991-1996)
Apresentador(es) Diversos
Tema de abertura Instrumental
Tema de encerramento Instrumental
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 14 de abril de 1991 - 5 de janeiro de 1997
N.º de temporadas 6
Cronologia
Programas relacionados Globo Esporte
Esporte Espetacular
Gols do Fantástico

Placar Eletrônico foi um telejornal esportivo exibido na Rede Globo nas noites de domingo, durante a década de 1990.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Era um resumo completo dos principais fatos do final de semana esportivo no Brasil e no Mundo. Apresentava os gols, os lances, as entrevistas e os resultados do Futebol e de outras modalidades.

Estreou em 1991, em substituição ao Esporte Espetacular que havia ido para as tardes de sábado. Também era uma versão aumentada dos Gols do Fantástico, exibido após o programa principal nos anos 80 e 90. Ficou no ar até 5 de janeiro de 1997, quando foi extinto (antes, o EE voltou para os domingos, mas pela manhã). O formato passou a ser usado até hoje pelos telejornais esportivos da TV fechada, como o SporTV News, do SporTV, SportsCenter, da ESPN Brasil, entre outros.

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O programa utilizava um recurso muito curioso: dividir a rede durante o programa. Era para exibir os lances dos jogos dos times locais, mesmo sendo um programa nacional. A parte local era exibida no segundo bloco.
  • Na edição de 17 de julho de 1994, dia do tetracampeonato mundial da Seleção Brasileira, o programa não entrou e terminou com a vinheta de abertura, mas utilizou canções musicais para celebrar a conquista histórica.
  • O encerramento do programa não levava os créditos finais, já que as matérias eram feitas pela mesma equipe do Globo Esporte, pelo fato do esportivo diário reprisar o conteúdo do programa dominical.
  • O nome Placar voltou a ser utilizado pela Globo em 2009, para criar o Placar da Rodada, exibido até hoje no Jornal da Globo.
  • Na edição de 1° de maio de 1994, dia da morte de Ayrton Senna, o apresentador Léo Batista fez o programa com uma camisa que ganhou do piloto, com o capacete dele inserido.