Plantago major

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTanchagem
Tanchagem

Tanchagem
Classificação científica
Super-reino: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Eudicotiledônea
Classe: Asterídias
Ordem: Lamiales
Família: Plantaginaceae
Tribo: Plantagineae
Género: Plantago
Espécie: P. major
Nome binomial
Plantago major
L.

Plantago major é uma espécie de Plantago da família das Plantaginaceae.[1] É popularmente conhecida como Tanchagem, Taiova, Orelha de veado[2] Tansagem,[3] Transagem,[4] Tanchá ou 7 nervos.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

É nativa da Europa e acompanhou o invasor europeu ao redor do mundo[5] Folhas ligeiramente adstringentes , assim como as sementes. [6]

Seus princípios ativos são o tanino, mucilagem, a pectina, alguns glicosídeos e a vitamina K.[7]

Sinônimos[editar | editar código-fonte]

  • Plantago borysthenica Wissjul.
  • Plantago dregeana Decne.
  • Plantago gigas H. Lév.
  • Plantago jehohlensis Koidz.
  • Plantago latifolia Salisb.
  • Plantago macronipponica Yamam.
  • Plantago sawadai (Yamam.) Yamam.
  • Plantago villifera Kitag.

Usos[editar | editar código-fonte]

Tanchagem

Usadas topicamente era forma de colírios; em forma de injeção na irritabilidade da membrana mucosa da uretra em casos de gonorreia, e em forma de banho e cataplasma em úlceras.[6] O infuso ou decocto a 50% da casca ou do fruto pode ser usado como enxaguatório bucal.[3]

É febrífugo, considerada útil contra diarreia, para cicatrização de feridas e para extrair excesso de fluido linfático. A tanchagem é eficaz em caso de retenção da urina por seu efeito diurético.[8]

Age como bactericida sobre as vias respiratórias em casos de inflamações, destruindo microorganismos e limpando secreções.[9]

É uma planta sagrada do Candomblé.[4]

Referências

  1. Plantago major (em inglês) The Plant List (2010). Visitado em 25/6/2015.
  2. Paulo Eiró Gansalves (1992). Livro Dos Alimentos. MG Editores. p. 104. ISBN 978-85-7255-027-7.
  3. a b Rogério Cavalcante (2009). Fitodontologia. Clube de Autores. p. 237.
  4. a b Robert A. Voeks (2010). Sacred Leaves of Candomblé: African Magic, Medicine, and Religion in Brazil. University of Texas Press. p. 140. ISBN 978-0-292-77385-1.
  5. a b Gustavo Gusso; José Mauro Ceratti Lopes (2012). Tratado de Medicina de Família e Comunidade: 2 Volumes: Princípios, Formação e Prática. Artmed. p. 751. ISBN 978-85-363-2797-6.
  6. a b Jacinto da Costa (1819). Pharmacopea naval e castrense: offerecida ao illustrissimo senhor Fr. Custodio de Campos e Oliveira. Impressao Regia. p. 47.
  7. Nicete Campos (2010). Aprendendo Com A Mãe Terra. Clube de Autores. p. 90.
  8. Thomas Dunkenberger (2007). Manual da cura tibetana: manual prático para diagnóstico, tratamento e cura com base na medicina natural tibetana. Editora Pensamento. p. 250. ISBN 978-85-315-1487-6.
  9. Antidio Jonas Bispo Barros (2006). Ossaim O Orixá E Nossos Chás Volume Único. Clube de Autores. p. 259.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Plantago major