Plataforma de gelo Larsen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Larsen A, B, C e D, na península Antártica

A plataforma de gelo Larsen é uma longa plataforma de gelo, situada na parte noroeste do mar de Weddell, que se estende ao longo da costa leste da península Antártica, desde o cabo Longing até à região a sul da ilha de Hearst. Foi assim chamada em homenagem ao capitão norueguês Carl Anton Larsen, que navegou ao longo da bordadura da plataforma até à latitude 68°10'S, em dezembro de 1893.[1]

A plataforma de gelo Larsen é na realidade constituída por três plataformas que ocupam - ou ocuparam - diferentes reentrâncias ao longo da costa. De norte para sul, esses três segmentos são designados, pelos cientistas que trabalham na região, por Larsen A (a menor), Larsen B e Larsen C (a maior). A plataforma Larsen A desintegrou-se em janeiro de 1995. A plataforma Larsen B desintegrou-se em fevereiro de 2002. A plataforma Larsen C parece estável, porém uma rachadura tem crescido rapidamente, ameaçando essa estabilidade.[2] Mais ao Sul, são nomeadas também Larsen D e plataformas muito menores Larsen E, F e G.[3]

As desintegrações de duas das três plataformas Larsen foram acontecimentos fora do comum. Normalmente, as plataformas de gelo perdem massa em decorrência da formação de icebergues e por derretimento nas suas superfícies superior e inferior. Os eventos de desintegração foram relacionados ao aquecimento atmosférico em curso na península Antártica, à razão de aproximadamente 0.5 °C por década, desde finais da década de 1940. O fenômeno é ligado ao aquecimento global.[4][5]

Em 10 de julho de 2017 ocorreu uma das maiores desintegrações da plataforma Larsen C. O parto ocorreu entre o dia 10 e o dia 12 de julho de 2017, quando uma seção de 5.800 km² se separou após longo tempo de monitoramento. O iceberg, que provavelmente será chamado de A68, pesa mais de um trilhão de toneladas e tem o dobro do volume lago Erie, um dos Grandes Lagos situados entre EUA e Canadá.[6]

Larsen A[editar | editar código-fonte]

A plataforma de gelo Larsen A se desintegrou em janeiro de 1995.[7]

Larsen B[editar | editar código-fonte]

Imagem da plataforma de gelo Larsen B durante o colapso e comparação da sua dimensão com a do estado de Rhode Island nos Estados Unidos.

Entre 31 de janeiro e 7 de março de 2002, a plataforma de gelo Larsen B entrou em colapso e fragmentou-se. Aproximadamente 3 250 km² de gelo com 220 metros de espessura separaram-se da plataforma de gelo Larsen. Estima-se que a plataforma se encontrava estável há 12000 anos, de acordo com as investigações de cientistas da Queen's University.[8] Em contraste, a plataforma de gelo Larsen A "teria desaparecido durante grande parte daquele período e ter-se-ia reconstituído há 4 000 anos, segundo o estudo".

Este colapso revelou um ecossistema rico 800 metros abaixo da superfície do mar.[9]

Larsen C[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Iceberg A-68

O processo de separação começou em meados de 2016.[10][11] Em 12 de julho de 2017, o Project MIDAS anunciou que uma grande parcela de 5800 km² de Larsen C havia quebrado do continente em algum ponto entre 10 e 12 de julho.[12][13] O iceberg, designado A-68, pesa mais de trilhão de toneladas[14][15] e tem mais de 200 m de espessura.[16][17]

A partida do A68 da Antártida não afetou imediatamente o nível global do mar. No entanto, uma série de geleiras descarregam na plataforma de terra atrás dela, e agora elas podem fluir mais rápido devido ao atual menor suporte da plataforma de gelo. Se todo o gelo que a plataforma Larsen C atualmente segura entrar no mar, estima-se que as águas globais aumentem em 10 cm.[18]

Larsen D[editar | editar código-fonte]

Rifte da Larsen C em 2016

A plataforma de gelo Larsen D está entre a península de Smith no sul e Gipps Ice Rise. Considera-se que geralmente ela é estável. Ao longo dos últimos cinquenta anos, avançou (expandiu), enquanto as plataformas de gelo comparáveis George VI, Bach, Stange e Larsen C recuaram (para uma extensão líquida muito maior). O levantamento mais recente de Larsen D mediu em 22.600 km2. Há gelo rápido ao longo de toda a frente. Isso dificulta a interpretação da frente do gelo porque o gelo marinho semi-permanente varia em espessura e pode ser quase indistinguível da plataforma de gelo.[19]

Imagem do radar da União Europeia Sentinel-1B tirada em 12 de julho de 2017, mostrando o rompimento completo

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Sistema de Informação de Nomes Geográficos: Plataforma de gelo Larsen». Geographic Names Information System (em inglês) Consultado em 22 de novembro de 2017.
  2. «Iceberg gigante ameaça se desprender da Antártida e gera preocupação - Notícias - Meio Ambiente». Meio Ambiente 
  3. Rignot, E; Jacobs, S; Mouginot, J; Scheuchl, B (13 de junho de 2013). «Ice Shelf Melting Around Antarctica» (PDF). Science. 341 (6143): 266–270. doi:10.1126/science.1235798. Consultado em 21 de janeiro de 2017 
  4. Marshall et al., "The Impact of a Changing Southern Hemisphere Annular Mode on Antarctic Peninsula Summer Temperatures", Journal of Climate, vol. 19, pp. 5388–5404, October 2006.
  5. «NSIDC Scientific Data Search». nsidc.org. Consultado em 23 de julho de 2017 
  6. «Iceberg de um trilhão de toneladas finalmente se desprende da Antártida». 12 de julho de 2017 
  7. Fox, Douglas. «Witness to an Antarctic Meltdown». 307 (1): 54–61. doi:10.1038/scientificamerican0712-54 
  8. «Ice shelf disintegration threatens environment, Queen's study». EurekAlert! (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2017 
  9. «Ice Shelf Collapse Reveals New Undersea World». Live Science 
  10. Adrian Luckman; Daniela Jansen; Martin O'Leary; the MIDAS team (18 de agosto de 2016). «A growing rift on Larsen C». projectmidas.org. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  11. Zee Media Bureau (23 de agosto de 2016). «A massive rift is threatening Antarctic Larsen C ice shelf to collapse». zeenews.india.com. Consultado em 21 de outubro de 2016. Media report on Project MIDAS 
  12. «Iceberg four times the size of London breaks off from Antarctica ice shelf». The Daily Telegraph. 12 de julho de 2017 
  13. «Giant iceberg splits from Antarctic». BBC. 12 de julho de 2017 
  14. «Massive iceberg breaks away from Antarctica». CNN. 12 de julho de 2017 
  15. «Larsen C calves trillion ton iceberg». Project MIDAS. Consultado em 12 de julho de 2017 
  16. Amos, Jonathan (12 de julho de 2017). «Giant iceberg splits from Antarctic». BBC. Consultado em 12 de julho de 2017 
  17. MIDAS, Project. «Larsen C calves trillion ton iceberg». Project MIDAS. Consultado em 12 de julho de 2017 
  18. «Huge Antarctic iceberg poised to break away». BBC News. 6 de janeiro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2017 
  19. Overview of areal changes of the ice shelves on the Antarctic Peninsula over the past 50 years. The Cryosphere Discussions. 3 pp579-630. URL: http://www.the-cryosphere-discuss.net/3/579/2009/tcd-3-579-2009.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikinotícias
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Plataforma de gelo Larsen