Playcenter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Playcenter
Localização São Paulo, SP
 Brasil
Website www.playcenter.com.br
Proprietário Marcelo Gutglas
Aberto em 27 de julho de 1973
Fechado em 29 de julho de 2012
Funcionamento Desativado
Área 85.000 m² (120.000 m² originalmente)
Atrações 44
Slogan Sempre Jovem, Sempre Playcenter

Playcenter foi um parque de diversão brasileiro, localizado na cidade de São Paulo. Inaugurado em 27 de julho de 1973, foi o primeiro grande parque de São Paulo sendo fundado com base nos parques das grandes cidades dos Estados Unidos e da Europa. Localizava-se em uma área de 85 mil m², o parque recebia em torno de 1,6 milhão de pessoas anualmente. O Playcenter encerrou suas atividades no dia 29 de julho de 2012 para uma reforma no parque.[1][2][3][4]

O parque funcionava durante os meses de baixa temporada (janeiro a junho) de quinta a domingo, sendo quintas e sextas aberto exclusivamente para escolas e excursões. Durante a alta temporada (julho a dezembro) o parque funcionava de terça a domingo.

Com a construção do Hopi Hari (encomendada pelos próprios donos do Playcenter) o parque teve alguns de seus recordes batidos das atrações: Turbo Drop, Boomerang, Evolution, Waimea, Looping Star entre outros.

História[editar | editar código-fonte]

As portas do Playcenter, um dos primeiros parques de diversões do Brasil, foram abertas em São Paulo, em 27 de julho de 1973. O parque de 50 mil m² de área tinha 20 atrações, entre brinquedos giratórios, teleférico, splash e a Super Jet, a primeira montanha-russa de aço do país.O empreendimento pioneiro logo se tornou cartão postal da cidade. Além dos brinquedos, fizeram sucesso também apresentações como o Orca Show, uma de acrobacias de golfinhos e baleias em um tanque (1985 a 1986). As baleias Nandu (orca) (macho) e Samoa (orca) (fêmea) ficaram conhecidas por serem as primeiras baleias orcas utilizadas em shows no Brasil. Elas foram capturadas na Islandia e possivelmente eram irmãs. No parque também havia o Show dos Ursos, em que "ursos" animatrônicos cantavam e dançavam. Em 1988, foi realizada a primeira edição das Noites do Terror, que se transformaria no evento mais rentável do parque a partir da década de 1990. O parque foi criado pelo empresário boliviano Marcelo Gutglas, inspirado nos grandes parques de diversões da Europa e dos Estados Unidos da década de 70. Com o passar dos anos, foram incorporadas à lista de atrações montanhas russas mais modernas.

Em 1997, a GP Participações, que detinha 50% das ações do empreendimento, assumiu o controle da empresa. Apesar da aposta, o setor de parques de diversões como um todo decepcionou investidores nos anos seguintes, principalmente por conta da forte desvalorização do Real em 1999. E o Playcenter estava no meio da crise. Em dezembro de 2001, o parque tinha uma dívida de 145,3 milhões de reais.

A controladora decidiu, em 2002, vender o empreendimento, e Gutglas, que estava afastado desde 1997, retomou a direção com o objetivo de revitalizar o parque, que não recebia investimentos desde 1998. Sua estratégia envolveu corte de custos, ampliação de eventos e mudança de foco do público dos adolescentes para a família, além da compra de novos brinquedos.

Waymea, uma das atrações do parque

Reforma do parque[editar | editar código-fonte]

Em 19 de março de 2012 foi noticiado que o parque teria suas atividades encerradas a partir do dia 29 de julho do mesmo ano. Em julho de 2013, após uma reforma e adoção de modelo inédito no Brasil, baseado em parques como a Legolândia, o Grupo Playcenter inauguraria um novo empreendimento, afirmando que o novo parque seria voltado ao público infantil, com atrações temáticas, educacionais e interatividade. A quantidade de pessoas por dia será limitada de 12 para 4,5 mil pessoas por dia. Segundo o grupo, uma pesquisa feita em São Paulo apontou uma carência de espaços onde os pais possam brincar com seus filhos, que originou o novo conceito para o parque.[5][6]

Mas, contrariando as expectativas, o parque não reabriu em Julho de 2013 e ainda no ano de 2014 podia se notar que o terreno estava cada vez mais abandonado e não havia sinal nenhum de obras no local. Ainda em 2017, não há sinal de que o parque antigo reabrirá.

Novo Parque[editar | editar código-fonte]

Após muito tempo de espera, o parque Playcenter irá reabrir na cidade de Olímpia (interior de São Paulo) com um investimento previsto de 25 milhões de euros e capacidade de 50% do antigo parque na Marginal Tietê.

Estão planejando construir dois parques de diversões no Brasil, um na região sudeste, que foi escolhida a cidade de Olímpia e outro na região nordeste do país, ainda sem mais detalhes divulgados. Os diretores do Playcenter relataram ao prefeito o que nós já sabemos, todos os equipamentos dos parques de diversões são importados, não existem grandes fabricantes em nosso país e isso acaba acarretando em uma alta quantidade de impostos.

Para viabilizar o parque, toda a diretoria do Playcenter está trabalhando junto ao Ministério de Indústria e Comércio, o objetivo é conseguir um desconto na taxa de importação, justamente para entretenimento, conforme previsto na legislação Brasileira. Devido a isso, Marcelo Gutlas pela primeira vez foi visitar a cidade de Olímpia para prospectar área (Locais possíveis para a construção do parque), conhecer o Thermas do Laranjais, a cidade no geral e toda a estrutura futura que será instalada voltada para o turismo.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre parque de diversões é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.