Plaza Hotel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Plaza Hotel
Registro Nacional de Lugares Históricos
Marco Histórico Nacional dos EUA
Marco Histórico de Nova York
O Plaza Hotel, visto da esquina da Quinta Avenida com a rua 58th em Manhattan
Plaza Hotel está localizado em: Nova Iorque (cidade)
Localização: Manhattan, Nova York
Coordenadas: 40° 45′ 52,96″ N, 73° 58′ 28,46″ O
Construído/Fundado: 1907
Arquiteto: Henry Janeway Hardenbergh
Thomas Hastings
Adicionado ao NRHP: 29 de novembro de 1978[1]
Designado NYCL
9 de dezembro de 1969
Registro NRHP: 78001878

O Plaza Hotel, localizado no bairro de Manhattan, Nova York, é um hotel de luxo com 20 andares e 76 m de altura com 120 m comprimento. Sua localização é próxima ao Central Park, na Quinta Avenida se estendendo ao longo do lado leste da Grand Army Plaza.

O Plaza Hotel é reconhecido como um Marco Histórico Nacional dos Estados Unidos e na Cidade de Nova York.[2] Foi inaugurado em 1907 e é atualmente propriedade da Katara Hospitality.

História[editar | editar código-fonte]

A construção do primeiro Plaza Hotel neste local começou em 1883. Os construtores ficaram sem dinheiro, e a companhia de seguros de vida de Nova York contratou os arquitetos mais famosos da época, McKim, Mead & White, para concluir o hotel, que finalmente foi inaugurado em 1º de outubro de 1890.[3]

Logo ficou claro que o primeiro hotel era pequeno demais e foi demolido em 1905. Um novo e maior Plaza Hotel, um edifício em estilo château francês da renascença, projetado por Henry Janeway Hardenbergh, foi construído em vinte e sete meses a um custo de US$ 12,5 milhões, abrindo para o público em 1 de outubro de 1907.[3] Quando o hotel abriu, um quarto no Plaza Hotel custava apenas US$ 2,50 por noite, o equivalente a US$ 65,66 em 2017. O mesmo quarto custava mais de US$ 1.000,00 por noite 2001.[4] O hotel provou ser tão popular que um enorme anexo de 300 quartos foi adicionado ao hotel ao longo da rua 58 de 1920 a 1921.[3]

Conrad Hilton comprou o Plaza Hotel por US$ 7,4 milhões em outubro de 1943 e gastou US$ 6 milhões para renová-lo. Hilton vendeu o hotel dez anos depois, em 1953, para o industrialista de Boston AM "Sonny" Sonnabend por US$ 16 milhões. Hilton vendeu o Plaza para arrecadar fundos para a construção do Beverly Hilton, mas imediatamente alugou o Plaza de volta por dois anos e meio, e depois outros quatro quando o contrato expirou.[5] Sonnabend tornou-se presidente da The Childs Company, uma rede de restaurantes nacional, dois anos depois, e Childs comprou o Plaza em 18 de novembro de 1955 por US$ 6,2 milhões em ações.[6] Childs tinha parceria no desenvolvimento do vizinho Savoy-Plaza Hotel,[7] (agora o local do Edifício General Motors). Sonnabend criou o Hotel Corporation of America (HCA) em 1956,[8] para alavancar as perdas fiscais de Childs. HCA assumiu a gestão do Plaza de Hilton em janeiro de 1960. HCA mudou seu nome para Sonesta International Hotels em 1970.[8] Sonesta vendeu o Plaza para a Western International Hotels em 1975 por US$ 25 milhões.[9] A Western International mudou seu nome para Westin Hotels em 1980.

A Westin vendeu o Plaza para Donald Trump por US$ 390 milhões em 27 de março de 1988.[10] Trump comentou sobre sua compra em uma carta aberta de página inteira no The New York Times: "Eu não comprei um prédio, eu comprei uma obra-prima - a Mona Lisa. Pela primeira vez na minha vida, eu conscientemente fiz um negócio que não era econômico - pois eu nunca posso justificar o preço que paguei, não importa o quão bem sucedido o Plaza se torne." Trump designou sua esposa, Ivana Trump, como presidente do hotel.[11] Após US$ 50 milhões em reformas, o hotel estava obtendo uma receita operacional saudável, mas não o suficiente para fazer os pagamentos de sua pesada carga de dívidas.[12] Trump fez planos para pagar a dívida do hotel, vendendo muitas de suas unidades como condomínios.[13] Em vez disso, foi feito um acordo para que os credores do Plaza, um grupo de bancos liderados pelo Citibank, assumissem uma participação de 49% no hotel em troca do perdão de US$ 250 milhões em dívidas e uma redução da taxa de juros.[14] O acordo foi apresentado como uma falência em novembro de 1992.[15]

Usos notáveis[editar | editar código-fonte]

Há muito tempo o Plaza tem sido um local para artistas e convidados notáveis, também tem sido o ponto de encontro para importantes reuniões políticas e outros eventos de grande repercussão. As cantoras e cantores internacionalmente conhecidos Josephine Baker, Eartha Kitt, Liza Minelli, Marlene Dietrich, Lena Horne, Kay Thompson, Sandler e Young, Ethel Merman, Shirley Bassey, Andy Williams, The Mills Brothers, Patti Page e Peggy Lee se apresentaram no hotel. Miles Davis gravou um álbum ao vivo no Plaza em 1958.[16]

No dia 25 de junho de 1979 o Plaza Hotel foi palco para a realização do draft da NBA. A equipe do Los Angeles Lakers elegeu Magic Johnson como primeira escolha da primeira rodada.[17]

Em 22 de setembro de 1985, ministros dos países desenvolvidos França, Alemanha Ocidental, Japão, Estados Unidos e Grã-Bretanha, reuniram-se no Plaza Hotel para consultas sobre questões financeiras e confirmaram o acordo assinando chamado "Acordo Plaza", que tinha como objetivo principal depreciar o dólar em relação à suas moedas, como o iene japonês e o marco alemão, intervindo no mercado de câmbio.[18]

Os Beatles ficaram no Plaza Hotel durante sua primeira visita aos Estados Unidos em fevereiro de 1964.[4]

Em 28 de novembro de 1966, em homenagem à editora Katharine Graham, o escritor Truman Capote apresentou seu aclamado "Black and White Ball" no Grand Ballroom. O salão de baile também foi o local, em 1993, do casamento de Donald Trump com Marla Maples com a presença de 1.500 convidados.[19]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • Crocodile Dundee II (1988); O personagem principal Mick Dundee fica hospedado no hotel Plaza. As cenas dentro do quarto, no entanto, foram gravadas em um estúdio.[20]
  • Home Alone 2: Lost in New York (1992); Quando ainda era conhecido como Park Plaza Hotel, o então proprietário Donald Trump faz uma aparição, direcionando o personagem principal Kevin McCallister para o saguão.[21]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «National Register of historic places» (em inglês). NRHP. Consultado em 2 de abril de 2014. 
  2. «Plaza Hotel» (em inglês). Plaza Hotel. Consultado em 2 de abril de 2014. 
  3. a b c «Timeline - The Plaza». The Plazany 
  4. a b Morehouse, Ward. Inside the Plaza: an Intimate Portrait of the Ultimate Hotel. New York: Applause, 2001
  5. «AM Sonnabend» (PDF). Consultado em 16 de outubro de 2018. 
  6. "Childs Approves Plaza Purchase", The New York Times, November 18, 1955
  7. McKim, Mead, and White, architects; demolished in 1964.
  8. a b «Timeline». 13 de abril de 2016 
  9. «Western Hotels Co. Buying the Plaza For $25‐Million». 13 de novembro de 1974 – via www.nytimes.com 
  10. Cole, Robert J. (27 de março de 1988). «Plaza Hotel Is Sold To Donald Trump For $390 Million» – via www.nytimes.com 
  11. Marion M. White (26 de setembro de 1988). «Ivana Trump: Hard work, discipline and self-reliance». Tampa Bay Times – via NewsBank 
  12. Floyd Norris (5 de junho de 1990). «A haze of debt clouds the Plaza Hotel's gleam». New York Times. Consultado em 26 de março de 2016. 
  13. Richard D. Hylton (9 de abril de 1991). «Trump expected to sell rooms in Plaza Hotel». Los Angeles Daily News – via NewsBank 
  14. «Trump yields 49% of Plaza Hotel in N.Y.». The Star-Ledger. Newark, NJ. 19 de março de 1992 – via NewsBank 
  15. «Trump's Plaza Hotel bankruptcy plan approved». New York Times. 12 de dezembro de 1992. Consultado em 26 de março de 2016. 
  16. «THE COMPLETE JAZZ AT THE PLAZA». Jazz Messengers. Consultado em 9 de novembro de 2018. 
  17. The Basketball Draft Fact Book: A History of Professional Basketball's. [S.l.: s.n.] p. 260. ISBN 978-0-8108-9068-8 
  18. «Plaza Agreement». Enciclopédia Britânica. Consultado em 9 de novembro de 2018. 
  19. Mike Capuzzo (21 de dezembro de 1993). «Marla finally becomes Mrs. Trump». Philadelphia Inquirer. Consultado em 26 de março de 2016. 
  20. «`CROCODILE DUNDEE` ISN`T ANY OLD MOVIE--JUST ASK THE PLAZA HOTEL» (em inglês). Chicago Tribune. Consultado em 16 de outubro de 2018. 
  21. «Home Alone 2: Lost in New York» (em inglês). On Locations Tour. Consultado em 2 de abril de 2014. 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Plaza Hotel