Pleuroto-ostra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPleuroto-ostra
Pleurotus ostreatus JPG7.jpg
Classificação científica
Reino: Fungi
Divisão: Basidiomycota
Classe: Homobasidiomycetes
Ordem: Agaricales
Família: Pleurotaceae
Género: Pleurotus
Espécie: P. ostreatus
Nome binomial
Pleurotus ostreatus
(Jacq. ex Fr.) P.Kumm., 1871

O Pleurotus ostreatus, comummente conhecido como cogumelo-ostra[1], é um cogumelo comestível do género Pleurotus. Inicialmente foi cultivado na Alemanha como medida de subsistência, durante a 1ª Guerra Mundial.[2] O cogumelo-ostra encontra-se em praticamente no mundo todo e é reconhecido pelo seu sabor e aroma intensos.[3]

Nomes comuns[editar | editar código-fonte]

Dá ainda pelos seguintes nomes comuns: pleuroto-ostra[4] e repolga[5]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Do que toca ao nome científico:

  • O nome genérico, pleurotus[6], provém da aglutinação do étimo neolatino pleuro-[7], que signfica «lateral; ou relativo à pleura» com o étimo grego clássico οὖς (otus), que significa «orelha ou aleta»[8].
  • O epiteto específico, ostreatus[9], provém do latim clássico, «semelhante a ostra; repleto de ostras»[10].

Descrição[editar | editar código-fonte]

O pleuroto-ostra é um dotado de umbráculo, o qual pode alcançar cerca de 20 centímetros de diâmetro.[4] Caracteriza-se pela sua consistência dura e pela coloração variegada, que pode alternar entre o bege e o cinzento-escuro.[4] A repolga brota dos troncos de árvores mortas.[5]

O pleuroto-ostra é nutritivo, rico em proteínas, contendo em relação à matéria seca 18.7% de proteínas, com onze aminoácidos. Tem também princípios medicinais já relatados na literatura científica, incluindo as beta-glucanas em quantidade similar à encontrada em Agaricus blazei (polissacarídeos são comuns a todos os cogumelos pois fazem parte da parede das hifas) e compostos de baixo peso molecular, tais como a lovastatina (anticolesterolêmico e auxiliar em terapias de cardiopatias) e inúmeros compostos hidrossolúveis polares, de média polaridade e apolares, incluindo os derivados do ergosterol.

Produção[editar | editar código-fonte]

A produção do pleuroto-ostra é feita em composto orgânico à base de serragem, farelo de arroz e/ou trigo e/ou soja, onde primeiramente é feita uma hidratação da mistura e a correção do pH por meio de calcário na sequência é feita uma esterilização para eliminação de concorrentes e depois a “semeadura” do fungo. O produto fica em repouso (corrida do micélio) por um período de tempo (75 dias) em local fechado e climatizado a 15 °C até o aparecimento dos frutos e sua colheita. Este processo também é conhecido como cultivo axénico.

Conservação[editar | editar código-fonte]

Estes cogumelos podem ser conservados entre 10 a 15 dias no frigorífico (4 °C). Geralmente, são embalados em bandejas de isopor (200g), recobertos por filme de PVC, ou em pequenas caixas de papelão. O Cogumelo in natura é muito mais sadio, pois não leva nenhum agente de branqueamento e conserva muito mais o seu sabor original.

Utilização[editar | editar código-fonte]

O pleuroto-ostra pode ser preparado em sopas, molhos, saladas, refogados, marinados e até empanado. Pode ser preparado de modo parecido ao da carne.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Infopédia. «cogumelo-ostra | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 13 de setembro de 2022 
  2. Eger, G., Eden, G. & Wissig,E. (1976).Pleurotus ostreatus – breeding potential of a new cultivated mushroom. Theoretical and Applied Genetics 47: 155–163.
  3. Kaufert, F. (1936) The biology of Pleurotus corticatus Fries. Minnesota Agricultural Experiment Station Bulletin 114.
  4. a b c Infopédia. «pleuroto-ostra | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 13 de setembro de 2022 
  5. a b Infopédia. «repolga | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 13 de setembro de 2022 
  6. «Pleurotus - WordSense Dictionary». www.wordsense.eu (em inglês). Consultado em 13 de setembro de 2022 
  7. «pleuro- | Search Online Etymology Dictionary». www.etymonline.com. Consultado em 13 de setembro de 2022 
  8. «οὖς - WordSense Dictionary». www.wordsense.eu (em inglês). Consultado em 13 de setembro de 2022 
  9. «ONLINE LATIN DICTIONARY - Latin - English». www.online-latin-dictionary.com. Consultado em 13 de setembro de 2022 
  10. «ONLINE LATIN DICTIONARY - Latin - English». www.online-latin-dictionary.com. Consultado em 13 de setembro de 2022