Poça de maré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Poças de maré em Porto Covo, Portugal.

As poças de maré são poças que se formam entre as rochas e os sedimentos próximos à orla marítima, ao capturar de massa de água quando há baixa de maré. Dão-se sobretudo na costa de mares temperados, mas também em mares tropicais. O mesmo fenômeno pode ser observado em corpos de água doce, mas é mais característico do mar, devido à ressaca e à maré, que agem com regularidade.[1]

Tais poços também constituem habitats para algumas das criaturas por sua adaptabilidade. Têm chamado fortemente a atenção de naturalistas e biólogos marinhos, e também a de alguns ensaístas filosóficos e outros escritores. Um exemplo disso último é o da obra The Log from the Sea of Cortez, de John Steinbeck, onde pode-se ler: « É aconselhável levantar a vista das poças de maré e dirigir às estrelas, e depois baixá-la e dirigi-la outra vez ao poço de maré. » (« It is advisable to look from the tide pool to the stars and then back to the tide pool again. »)[2]

Por serem muitas delas lugares de fácil acesso, são usadas tradicionalmente para a coleta de alimento como moluscos, crustáceos, peixes pequenos, entre outros.

Referências

  1. «Tide Pools». National Geographic. Consultado em 27 de agosto de 2015. 
  2. «NPCA Tide pools». npca.org. 5 de setembro de 2008. Consultado em 6 de setembro de 2008.