Poder de mercado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Poder de mercado é a capacidade que um agente econômico detém de manter seus preços acima do nível competitivo, de forma a aumentar seus lucros, sem com isso perder clientes[1]. Outra forma de exercer esse poder é impedindo a inovação ou o aumento de qualidade por parte de eventuais competidores[2].

O exercício de poder de mercado ocorre tipicamente em situações de monopólio ou quando há fortes barreiras de entrada, que impedem o surgimento de concorrentes que disputem o mercado com preços mais baixos. Isso pode acontecer por haver poucos recursos (tornando inviável a competição) ou por imposições do governo[3]. Nesse caso, o poder de mercado é unilateral; caso duas ou mais empresas formem um cartel para fixar os preços, a situação passa a ser de poder de mercado colateral[4].

Referências

  1. Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Guia prático do CADE. São Paulo, 2007, página 24
  2. POSSAS, Mario Luiz. Os conceitos de mercado relevante e de poder de mercado no âmbito da defesa da concorrência. IE-UFRJ. Página 11
  3. Competição e poder de mercado. Econoteen - FEA-SP
  4. AGUIAR, Danilo. Mensuração de Poder de Mercado por. Meio de Dados de Marcas Comerciais. Revista de Economia Política, vol. 20, no 3 (79), julho-setembro/2000, página 153

Ver também[editar | editar código-fonte]