Fenômeno parapsíquico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Poderes paranormais)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Fenômeno parapsíquico é o fenômeno que parece transcender as leis da natureza ou a base de conhecimentos estabelecida pela ciência atual.

Ainda que extremamente controvertidos, os fenômenos parapsíquicos têm sido extensamente relatados pelos mais diversos povos e culturas ao longo da história. Segundo a crença geral da comunidade científica, a existência de tais fenômenos não foi comprovada por nenhum experimento rigorosamente controlado e passível de reverificação. Este visão é além de errônea é manipuladora, pois pesquisas tem sido realizadas desde os finais de 1800 com resultados surpreendentes. De igual modo, a inexistência dos fenômenos parapsíquicos também não foi comprovada por quaisquer meios. A discussão remonta-se ao método científico. Para a ciência ortodoxa, o único método válido é o experimental, laboratorial em que é passível de replicação. Pois bem, sabemos que um dos problemas dos laboratórios psicológicos é justamente o humor dos ratos, uma variável imprevisível. Assim, em ciências humanas, lidamos com pessoas e pessoas são imprevisíveis. Fenômenos parapsíquicos são fenômenos pesquisados em humanos, logo, outro método deve ser desenvolvido. A não replicabilidade não pode ser alegada como argumento contra a existência de fenômenos parapsíquicos, pois a pesquisa com seres humanos não obedece aos mesmos pressupostos epistemológicos da pesquisa em ciências naturais. Temos ainda o vício do passado científico, de que ciência é o conhecimento gerado pela aplicação de método científico usado em ciências naturais. Eis os pressupostos errados por que parte muitos críticos desinformados. A pesquisa parapsicológica parte de abordagens integrativas, quantitativas e qualitativas, especialmente as fenomenológicas. Inclui-se aqui também as auto-induções e hetero-induções de experiências parapsíquicas como metodologia participativa, cientificamente válida.

O mais justo é desviarmos do foco do debate e irmos ao debate sobre o que vem a ser ciência e que métodos produzem conhecimento científico.

São exemplos de fenômenos parapsíquicos: telepatia, telecinésia, clarividência, premonição, precognição, psicometria, experiência fora-do-corpo, transposição de sentidos, poltergeist, psicofonia, psicografia, aparições, materialização, desmaterialização, apport, entre outros.

Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.