Pokémon Sword e Shield

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pokémon Sword
Pokémon Shield
Desenvolvedora(s) Game Freak
Publicadora(s) Nintendo
Distribuidora(s) The Pokémon Company
Diretor(es) Shigeru Ômori
Produtor(es) Junichi Masuda
Hitoshi Yamagami
Takanori Sowa
Escritor(es) Toshinobu Matsumiya
Artista(s) James Turner
Suguru Nakatsui
Compositor(es) Minako Adachi
Go Ichinose
Série Pokémon
Plataforma(s) Nintendo Switch
Lançamento 15 de novembro de 2019[1]
Gênero(s) RPG, Aventura
Modos de jogo Um jogador, multijogador
Pokémon Ultra Sun e Ultra Moon
Pokémon Legends: Arceus

Pokémon Sword e Pokémon Shield (ポケットモンスター ソード・シールド, Poketto Monsutā Sōdo・Shīrudo Pocket Monsters Espada e Escudo?) são dois jogos eletrônicos de RPG de 2019, faz parte da oitava geração da série Pokémon, desenvolvidos pela Game Freak, publicados pela The Pokémon Company, e distribuídos pela Nintendo para Nintendo Switch. Os dois jogos são da oitava geração e os segundos jogos da série, após Pokémon: Let's Go, Pikachu! e Let's Go, Eevee!, lançado em um console de jogo de mesa. Provocado originalmente na E3 2017 e anunciado em fevereiro de 2019, Pokémon Sword e Shield foram lançados em novembro de 2019.[2][1] Os jogos receberam dois pacotes de expansão de conteúdo para download por meio de um pacote de expansão com The Isle of Armor, lançados em junho de 2020[3] e The Crown Tundra, lançados em outubro de 2020.[4][5] Um pacote físico incluindo ambos os pacotes de expansão com os jogos básicos foi lançado em novembro de 2020.

O planejamento do conceito de Sword e Shield começou imediatamente após a conclusão de Pokémon Sun e Moon em 2016, enquanto a produção total começou um ano depois, em setembro de 2017. Como nas parcelas anteriores, eles narram a jornada de um jovem treinador Pokémon com o objetivo de se tornar o Pokémon Campeão, desta vez na nova região de Galar, que fica no Reino Unido. O objetivo principal dos jogos é destronar o campeão da Liga Pokémon, Leon, em um torneio do qual vários outros líderes de ginásio e rivais também participam, enquanto lida com a Equipe Yell e uma conspiração nefasta dentro da Liga. Sword e Shield apresenta 81 novos Pokémon ao lado de 13 formas regionais de Pokémon pré-existentes; Dynamaxing, que aumenta o tamanho do Pokémon sob certas condições; Gigantamaxing, que também altera a forma de certos Pokémon; e a Wild Area, que é uma grande área de mundo aberto com movimento de câmera livre que contém batalhas de ataques cooperativas. Os dois jogos também reintroduzem recursos vistos anteriormente em Sun e Moon e Let's Go, Pikachu! e Let´s Go, Eevee!, como formas regionais e Pokémon itinerantes representados no mundo superior

Quando a decisão de não incluir todos os Pokémon pré-existentes em Sword e Shield foi anunciada, houve uma reação de um segmento da comunidade de fãs, resultando em uma polêmica conhecida como "Dexit" e apelos por um boicote meses antes de seu lançamento. Apesar disso, Sword e Shield recebeu críticas geralmente positivas dos críticos. Elogios particulares foram direcionados ao design da criatura, aos novos recursos e à ênfase na simplicidade, liberdade do jogador e encontros simplificados, embora alguns tenham criticado o Pokédex menor do jogo e uma falta percebida de polimento ou profundidade. Em março de 2021, Sword e Shield vendeu mais de 21 milhões de cópias em todo o mundo, tornando-se um dos jogos mais vendidos no Nintendo Switch, e atualmente é o quinto jogo mais vendido no Switch.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Jogabilidade de Pokémon

Pokémon Sword e Shield são elementos de jogos de RPG com jogos de aventura,[6] e na maioria dos casos são apresentados em uma câmera fixa, perspectiva de terceira pessoa; em certos casos, o movimento livre da câmera está disponível.[6] O jogador controla um jovem treinador que parte em uma missão para capturar e treinar criaturas conhecidas como Pokémon e vencer batalhas contra outros treinadores. Ao derrotar Pokémon adversários em batalhas por turnos, o Pokémon do jogador ganha pontos de experiência, permitindo-lhes subir de nível e aumentar suas estatísticas de batalha, aprender novas técnicas de batalha e em alguns casos, evoluir para Pokémon mais poderosos. Os jogadores podem capturar Pokémon selvagens, encontrados durante encontros selvagens, enfraquecendo-os na batalha e capturando-os com Poké Bolas, permitindo que sejam adicionados ao grupo. Os jogadores também podem lutar e trocar Pokémon com outros jogadores humanos usando os recursos de conectividade do Nintendo Switch. Tal como acontece com os jogos anteriores da série, certos Pokémon só podem ser obtidos com Sword ou Shield, sendo os jogadores encorajados a negociar com outros para obter todos os Pokémon de ambas as versões.[6]

Sword e Shield ocorre na região de Galar, que fica no Reino Unido. Tal como acontece com todas as regiões, Galar consiste em várias cidades e vilas ligadas por "Rotas"; no entanto, há também uma área de mundo aberto no centro da região conhecida como "Área Selvagem", um conceito novo para a série. Encontros aleatórios com Pokémon selvagens pode ocorrer em grama alta ou em corpos d'água ao longo de rotas ou na área selvagem. Pokémon selvagens também podem ser encontrados fora da grama alta e em outras partes do ambiente e podem perseguir ou fugir do jogador, dependendo de sua disposição. O jogador ocasionalmente enfrenta treinadores em cidades, vilas, ao longo de rotas e na área selvagem. A força motriz que leva o jogador a viajar pela região de Galar é a participação no “Gym Challenge”, um torneio aberto para decidir o maior Treinador Pokémon da região, apelidado de Campeão. Oito das cidades e vilas do jogo abrigam Ginásio que abrigam "Líderes de Ginásio", poderosos treinadores especializados em certos tipos de Pokémon; derrotar um Líder de Ginásio dá ao jogador uma "Insígnia".[6] Após obter oito Insígnias, o jogador poderá participar da "Copa dos Campeões", onde se enfrentará em um torneio de eliminação única contra os Líderes de Ginásio e outros Treinadores que permaneceram no Desafio de Ginásio. Após sair vitorioso o jogador enfrentará o Campeão da região de Galar.[6]

Novos recursos[editar | editar código-fonte]

Os jogos apresentam vários novos recursos à série. Isso inclui encontros cooperativos de ataque, "Dynamaxing" e "Gigantamaxing", os quais permitem temporariamente que o Pokémon cresça para tamanhos maiores e a Wild Area. A última é uma área de mundo aberto totalmente explorável com movimento de câmera livre e clima dinâmico, o que tem implicações em quais espécies de Pokémon aparecem em um determinado momento.[7][8][9] Gigantamaxing é limitado a selecionar Pokémon e apresenta formas diferentes da aparência normal do Pokémon.[10] Um novo mecânico chamado "Poké Jobs" atribui ao Pokémon do jogador a tarefa de completar solicitações, como ajudar na construção ou cozinhar, para ganhar experiência ou itens raros. As academias Pokémon estão de volta depois de faltarem em Sun, Moon, Ultra Sun e Ultra Moon.[11] Como é típico da série, os dois jogos têm conteúdo exclusivo de versão, como certos Pokémon e pela segunda vez, Líderes de Ginásio.[12] Um novo modo Acampamento permite ao jogador interagir e jogar com seus Pokémon e cozinhar diferentes tipos de caril para fornecer a eles bônus. Novas opções de personalização para o personagem do jogador foram adicionadas, como casacos e outros acessórios.[13] Na maioria dos casos, a caixa Pokémon agora pode ser acessada fora dos Centros Pokémon.[14]

Conectividade[editar | editar código-fonte]

A conectividade com a Internet para outros jogadores é suportada para funcionalidades como negociações, batalhas e encontrar outros treinadores na Área Selvagem; essas funções, entretanto, requerem uma assinatura paga do Nintendo Switch Online.[15] Sword e Shield suportam apenas conectividade direta de jogo para jogo entre si. Os jogos também são compatíveis com Pokémon Home, um serviço de armazenamento em nuvem online para armazenamento de Pokémon, lançado em fevereiro de 2020.[16] Pokémon com suporte podem ser transferidos para os jogos do aplicativo da Nintendo 3DS Pokémon Bank, Pokémon GO e Pokémon: Let's Go, Pikachu! e Let's Go, Eevee! via Pokémon Home.[17][16] Home é o único caminho para trazer Pokémon de jogos anteriores para o Sword e Shield.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Imagem de satélite da Grã-Bretanha (tirada do norte acima ao sul abaixo), que inspirou fortemente o design da região de Galar.

Cenário[editar | editar código-fonte]

Pokemon Sword e Pokémon Shield acontece na região de Galar (ガラル地方 Galar-chihō?), uma grande e estreita extensão de terra e uma das muitas regiões do mundo Pokémon. O diretor do jogo Shigeru Ohmori descreveu-o como um cenário mais moderno.[18] A região em si é inspirada na Grã-Bretanha,[19] com seus muitos marcos que se assemelham a lugares como as Casas do Parlamento e o gigante de Cerne Abbas.[20][21][22] Na região de Galar encontram-se cidades rurais com casas de campo e arquitetura vitoriana ao sul.[21] Uma cidade semelhante à Revolução Industrial com elementos do estilo steampunk preenchem o centro da região.[23] Muitas das vilas e cidades da região apresentam Pokémon Ginásios estilizados como estádios de futebol, que exibem Dynamaxing e Gigantamaxing, implementados pelo presidente da Liga Pokémon de Galar, Rose.[24] Montanhas cobertas de neve dominam grande parte das áreas ao norte da região.[18] Abrangendo uma grande parte da parte centro-sul da região está a Wild Area, uma área de mundo aberto com inúmeras espécies de Pokémon errantes. O clima em toda a área selvagem muda regularmente.[7] Como no Pokémon Sun e Moon, Pokémon anteriormente introduzidos em jogos mais antigos, como Weezing, ganham formas galarianas regionais com novas tipificações, estatísticas e aparências. Alguns Pokémon, como Linoone e Meowth, até ganham evoluções regionais.[25]

História[editar | editar código-fonte]

Semelhante a muitas entradas anteriores na franquia Pokémon, os jogadores embarcam em uma jornada pela região para se tornar o treinador mais forte, lutando contra oito treinadores poderosos chamados Líderes de Ginásio e eventualmente, o Campeão da região. O jogador e seu melhor amigo, Hop, recebem um dos três Pokémon iniciais: Grookey, Scorbunny ou Sobble de Leon, Campeão da região de Galar e irmão mais velho de Hop. Depois disso, os dois exploram uma floresta chamada Slumbering Weald, mas são expulsos por um poderoso Pokémon. Durante a visita subsequente ao Professora Pokémon da região, Magnolia e sua neta Sonia, eles convenceram Leon a apoiá-los para participar do Gym Challenge. Depois de viajar para a próxima cidade para se inscrever no Gym Challenge, eles encontram os rivais Bede e Marnie junto com a Equipe Yell, um grupo devoto de hooligans que atuam como fanbase involuntário de Marnie e estão determinados a impedir qualquer outra pessoa de completar o Challenge. O jogador também conhece o Presidente Rose, que, além de endossar Bede como Desafiador de Ginásio, preside a Liga Pokémon Galar e a principal empresa de energia da região.

A região de Galar foi fortemente inspirada no Reino Unido, com a cidade principal – Wyndon – sendo uma representação de Londres (foto). A cidade do jogo tem a Rosa dos Rondelands, uma construção inspirada nas Casas do Parlamento.

Enquanto sua busca continua, o jogador auxilia Sonia em sua pesquisa sobre dois Pokémon Lendários que salvaram Galar de uma crise antiga chamada de Darkest Day e deduz que eles são os mesmos Pokémon encontrados anteriormente em Slumbering Weald. Depois de derrotar os oito Líderes de Ginásio, incluindo Piers, o irmão mais velho de Marnie e o líder da Equipe Yell, o jogador segue para Wyndon, onde ganha a Copa dos Campeões, ganhando a oportunidade de lutar contra Leon. No dia seguinte, antes que a batalha entre o jogador e Leon possa começar, Chairman Rose desperta o lendário Pokémon Eternatus em uma tentativa de aproveitar seu poder para fornecer energia ilimitada a Galar, inadvertidamente desencadeando um segundo Darkest Day. O jogador e Hop retornam ao Slumbering Weald e garantem a ajuda dos lendários Pokémon, Zacian e Zamazenta, para derrotar o Presidente Rose e Eternatus, após o qual o jogador pega Eternatus. O jogador então enfrenta e derrota Leon em uma batalha e se torna o novo campeão da região de Galar.

Depois de derrotar Leon, o jogador e Hop voltam para Slumbering Weald para devolver os artefatos de Zacian e Zamazenta ao seu devido lugar. Os dois também conhecem Sonia, que se tornou a nova Professora Pokémon da região de Galar. No entanto, eles são confrontados por Sordward e Shielbert, dois irmãos que afirmam ser descendentes de antigos reis galarianos. Os dois roubam uma das relíquias e começam a forçar Pokémon inocentes a Dynamax. O jogador, Hop e Piers trabalham com os Líderes de Ginásio para subjugar o Pokémon Dynamax e depois rastrear e confrontar os irmãos. Eles usam a energia Dynamax para levar Zamazenta (em Sword) ou Zacian (em Shield) à loucura, e o jogador os afasta com a ajuda de Zacian (em Sword) ou Zamazenta (em Shield). Eles então são desafiados para uma batalha pelo Pokémon Lendário e podem pegá-lo, enquanto Hop segue Zamazenta/Zacian de volta para o Slumbering Weald e o acalma, sendo escolhido por ele como seu Treinador. O jogador e Hop têm uma batalha final, após a qual Hop decide ser um Professor Pokémon e se torna o assistente de Sonia.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do Pokémon Sword e Shield começou imediatamente após a conclusão de Sun e Moon nos meses anteriores ao seu lançamento em novembro de 2016. Shigeru Ohmori, que anteriormente dirigiu Sun e Moon, formou uma equipe que começou a pensar em ideias para o título. Kazumasa Iwao, diretor do Pokémon Ultra Sun e Ultra Moon mais tarde se juntou ao projeto como diretor de planejamento e a produção completa começou em setembro de 2017. Uma das primeiras ideias que a equipe teve foi tornar o Pokémon gigante, pois o jogo poderia ser jogado em uma tela grande, graças à capacidade do Switch de se conectar a uma televisão. Ohmori então pensou em ter uma espada e um escudo Pokémon para derrotar o Pokémon gigante; foi assim que os títulos dos jogos foram decididos.[26][27]

Aproximadamente 1.000 pessoas de várias empresas estiveram envolvidas no desenvolvimento, marketing e relações públicas associadas à Sword e Shield. Aproximadamente 200 funcionários da Game Freak trabalharam diretamente nos jogos, enquanto cerca de 100 funcionários da Creatures Inc. trabalharam na modelagem 3D, com mais 100 envolvidos na depuração e teste do jogo. Junichi Masuda estimou que o número total de pessoas envolvidas era 50% maior do que os títulos anteriores de Pokémon.

A ideia de força e esforço para ser o maior e mais forte foi um dos temas centrais que a Game Freak usou na concepção dos jogos. Isso é expresso pelo status do Nintendo Switch como o console mais poderoso para rodar um jogo de Pokémon, com recursos como Dynamaxing e referências ao folclore britânico.[27] A trilha sonora dos jogos é inspirada na música rock britânica.[27] Uma faixa foi composta por Toby Fox, mais conhecido por ser o criador de Undertale.[28] A capacidade do Switch de renderizar modelos maiores de Pokémon e mostrar melhor as diferenças de tamanho entre as espécies é a raiz do recurso Dynamax. A ideia de "crescer e evoluir" é um conceito central dos jogos – tanto para o treinador quanto para seu Pokémon – derivado da experiência do produtor Junichi Masuda e do diretor Shigeru Ohmori com a franquia.[29]

Produtor Junichi Masuda disse que a decisão de cortar alguns Pokémon dos jogos foi uma escolha difícil.

Ao contrário de outros jogos Pokémon básicos, nem todas as espécies Pokémon existentes aparecem ou podem ser usadas no Sword e Shield. Masuda abordou isso como um problema potencial em uma entrevista de 2018 com a GameSpot, quando disse que "fica complicado quando você fala sobre os detalhes e ainda estamos descobrindo, mas temos planos de encontrar maneiras de permitir os jogadores usam seus Pokémon no próximo jogo."[30] Em 2019, Masuda explicou que o grande número de espécies, combinado com a necessidade de produzir ativos relacionados a novos recursos, como o sistema Dynamaxing, preservam o equilíbrio do jogo e manter um grau de qualidade inviabilizava a inclusão de todos os Pokémon existentes sem prolongar muito o tempo de desenvolvimento. Como tal, apenas Pokémon que aparecem na região Galar podem ser transferidos de títulos anteriores através da página inicial do Pokémon Home.[17][31] Além disso, de acordo com os desenvolvedores, os modelos de maior fidelidade, que foram projetados para serem mais "expressivos", tiveram que ser construídos do zero, pois simplesmente transferir os existentes produzidos para a plataforma 3DS não era possível.[32][33] Masuda confirmou que todas as três empresas envolvidas no desenvolvimento, Nintendo, Game Freak e The Pokémon Company, concordaram em reduzir a Pokédex Nacional.[34]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Os jogos foram originalmente apresentados por meio de uma mensagem especial do presidente da The Pokémon Company, Tsunekazu Ishihara, durante a apresentação da Nintendo na E3 2017, onde Ishihara mencionou que a Game Freak estava trabalhando em uma nova série central de RPG Pokémon para Nintendo Switch, mas que não seria lançado por mais de um ano.[35] Durante uma coletiva de imprensa realizada pela The Pokémon Company no Japão em 30 de maio de 2018, Junichi Masuda confirmou que os próximos jogos da série principal de Pokémon seriam lançados no Switch no segundo semestre de 2019.[36] Ishihara também garantiu que o então – os próximos títulos não teriam influências de Pokémon GO como Let´s Go, Pikachu! e Let´s Go, Eevee! tinha e que iria introduzir muitos novos Pokémon e gráficos "polidos".[37]

Sword e Shield foram totalmente revelados em uma apresentação especial do Nintendo Direct em 27 de fevereiro de 2019, apresentando a região dos jogos e o Pokémon inicial. A apresentação coincidiu com o Pokémon Day, uma celebração dos fãs de Pokémon no aniversário do lançamento japonês de Pokémon Red e Green.[38] Um segundo Nintendo Direct sobre os jogos foi realizado em 5 de junho de 2019, que revelou alguns de seus novos recursos, personagens e Pokémon, incluindo os lendários Pokémon Zacian e Zamazenta, que aparecem na caixa de arte.[8] A data de lançamento, 15 de novembro de 2019, também foi anunciada como parte desta apresentação. O Game Freak limitou intencionalmente o número de novos Pokémon revelados por meio de material promocional para encorajar os jogadores a descobri-los no jogo.[39]

Um crossover promocional entre Sword e Shield e Tetris 99 ocorreu de 8 a 11 de novembro, durante o qual um tema des-bloqueável por tempo limitado baseado nos jogos estava disponível.[40] Um aplicativo da web também foi lançado, permitindo ao visualizador explorar a Wild Area online.[41] No Super Smash Bros. Ultimate, um torneio online com o tema Pokémon foi realizado de 15 a 18 de novembro para promover o lançamento de Sword e Shield, enquanto um evento espiritual ocorreu de 22 a 27 de novembro, com alguns Pokémon disponíveis como colecionáveis espíritos.[42][43]

Pacotes de expansão[editar | editar código-fonte]

Durante o Pokémon Direct em 9 de janeiro de 2020, um par de pacotes de expansão foram anunciados, os quais foram lançados ao longo de 2020 como parte de um pacote de expansão. O primeiro pacote, The Isle of Armor, foi lançado em 17 de junho de 2020, enquanto o segundo pacote, The Crown Tundra, foi lançado em 22 de outubro de 2020.[44] Um pacote físico incluindo os dois pacotes de expansão com os jogos básicos foi lançado em 6 de novembro de 2020. Os pacotes de expansão introduzem novos Pokémon Lendários, como Kubfu e suas formas evoluídas na Isle of Armor e Calyrex na Crown da Tundra, junto com novas formas regionais para Pokémon pré-existentes, como Slowpoke.[45] Entre os dois pacotes de expansão, eles adicionam mais de 200 Pokémon pré-existentes que não estão disponíveis no jogo base.[46] A área explorável introduzida em The Isle of Armor inspira-se na Ilha de Man, enquanto a área em The Crown Tundra é baseada na Escócia.[47]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Pré-lançamento[editar | editar código-fonte]

A decisão de não incluir todos os Pokémon pré-existentes nos jogos atraiu críticas de muitos fãs, que se referiram a ele como "Dexit", uma amálgama de Pokédex e Brexit (vinculado ao tema britânico da região de Galar),[48] e usado a hashtag "#BringBackNationalDex" para discutir o assunto nas redes sociais.[49] A reação dos fãs se concentrou na remoção de um aspecto de longa data da franquia, o descarte de seu antigo slogan em inglês "tenho que pegar todos" e uma percepção da falta de melhorias em outras áreas dos jogos, como os gráficos e animações.[49][50] Alguns fãs pediram que os jogos fossem adiados até que todos os Pokémon pudessem ser adicionados.[51][52] Em uma entrevista à Famitsu, Shigeru Ohmori afirmou que os modelos para Pokémon que aparecem em Sword e Shield estavam sendo feitos novamente do zero.[53][54]

Escrevendo para a Polygon, Patricia Hernandez comentou que "até certo ponto, a reação faz sentido", acrescentando que "saiu do controle".[49] Alex Donaldson do VG247 observou que o recurso rastejar–onde um aumento de novos recursos ao longo do tempo pode levar à remoção dos anteriores–finalmente atingiu Pokémon, e falhas de design há muito esquecidas do Game Freak foram trazidas à tona como resultado.[55] Kotaku gita Jackson resumidos a folga como "a tensão de um desejo de entrar na nostalgia contra um desejo de experimentar mais complexidade."[56] Joe Merrick, o webmaster do fansite Serebii, considerada a polêmica por ter causado a maior agitação entre os fãs de Pokémon desde o lançamento conturbado do Pokémon Bank em 2013.[48]

Masuda respondeu formalmente às críticas em 28 de junho de 2019, duas semanas após a erupção, expressando apreço pelo amor e paixão demonstrados pelos fãs.[57] Ele reiterou que a remoção de certos Pokémon foi uma decisão difícil de ser tomada e que eles estariam disponíveis em diferentes jogos no futuro. Michael McWhertor do Polygon observou que embora a declaração de Masuda reconhecesse o descontentamento dos fãs, "[não] foi muito importante".[58]

Resposta de crítica[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Destructoid 7/10[59]
Electronic Gaming Monthly 4 de 5 estrelas.[60]
Famitsu 38/40[61]
Game Informer 8.75/10[62]
GameSpot 9/10[63]
GamesRadar+ 4.5 de 5 estrelas.[64]
IGN 9.3/10[65]
Nintendo Life 8 de 10 estrelas.[66]
VG247 3 de 5 estrelas.[67]
Pontuação global
Agregador Nota média
Metacritic 80/100[68][69]

Após o lançamento, Pokémon Sword e Shield receberam "análises geralmente favoráveis", de acordo com o agregador de análises Metacritic.[68][69] Os críticos elogiaram a simplicidade dos jogos, novos elementos como Dynamaxing e encontros de batalha simplificados, mas criticaram a Pokédex incompleta e não aproveitando totalmente o potencial dos jogos.

Brian Shea da Game Informer, elogiou particularmente o novo recurso Dynamax por ser visual e estrategicamente empolgante sem ser usado em demasia: "embora a mecânica Dynamax tenha o potencial de interromper o fluxo de qualquer batalha, ela não influencia a maioria dos encontros, já que pode apenas ser usado em batalhas de ginásio e selecionar outras situações".[62] Casey DeFreitas para IGN também elogiou Sword e Shield por sua jogabilidade divertida e falta de atividades monótonas, enquanto criticava aspectos como cinemáticos e falta de uma Pokédex completa.[65] Escrevendo para GameSpot, Kallie Plagge também elogiou a dupla pelos sistemas de jogo fáceis de entender e uma sensação de liberdade, afirmando: "você não é impedido por sistemas de processo interno excessivamente complicados ou obstáculos para pular; desde o início, você pode começar a vagar a região de Galar, vendo seu novo Pokémon e testando suas novas estratégias de batalha com muito pouco em seu caminho."

Por outro lado, Chris Tapsell da Eurogamer criticou os jogos, comentando que faltava substância e não correspondia aos títulos anteriores da série. Tapsell comentou "esta é uma nova geração de jogos Pokémon que promete muito, com um novo Pokémon Brilhante, uma série de consertos de sistema intrincados para fãs de longa data e uma facada inédita em uma área de mundo aberto. Mas tudo isso novo parece ter um custo – e o custo é quase tudo no jogo."[70] James Grebey e Tom Philip da GQ também se sentiram um pouco desapontados, elogiando a Wild Area, mas afirmando que os jogos eram "satisfatórios, mas práticos" e pareciam "prova de conceito [com] mais um estágio de evolução para Pokémon de console." Eles também disseram que "há... muito no Sword e Shield que não parece que não poderia ter sido alcançado no Nintendo 3DS."[71]

Vendas[editar | editar código-fonte]

No Japão, Sword e Shield vendeu dois milhões de cópias durante os primeiros três dias de venda, superando Super Smash Bros. Ultimate como o jogo Switch de venda mais rápida naquela região.[72][73] Nos Estados Unidos, eles venderam mais de dois milhões de cópias em seu fim de semana de estreia. Em 21 de novembro de 2019, Sword e Shield vendeu mais de seis milhões de cópias em todo o mundo, ultrapassando Super Smash Bros. Ultimate como o jogo Switch de venda mais rápida.[74] Em março de 2021, os jogos haviam vendido 21,10 milhões de cópias em todo o mundo.[75]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Lista de prêmios e nominações para Pokémon Sword e Pokémon Shield
Ano Prêmio Categoria Resultado Ref.
2019 Game Critics Awards Melhor Jogo de RPG Indicado [76]
Melhor Jogo Familiar/Social Indicado
Gamescom Melhor Jogo de RPG Indicado [77]
Melhor Jogo da Nintendo Switch Indicado
Titanium Awards Melhor Jogo Familiar/Social Indicado [78]
2020 New York Game Awards Zoo Award da Central Park Children para Melhor Jogo Infantil Indicado [79]
Tin Pan Alley Award para Melhor Música de Jogo Indicado
23º Annual D.I.C.E. Awards Melhor Jogo de RPG do Ano Indicado [80]
NAVGTR Awards Jogo, Franquia Familiar Indicado [81]
SXSW Gaming Awards Jogo Tendência do Ano Venceu [82]
Famitsu Dengeki Game Awards 2019 Jogo do Ano Venceu [83]
Melhor RPG Venceu

Referências

  1. a b Webster, Andrew (27 de fevereiro de 2019). «Pokémon Sword and Shield are coming to the Switch this year». The Verge. Consultado em 27 de fevereiro de 2019 
  2. McWhertor, Michael (5 de junho de 2019). «Pokémon Sword and Shield coming to Nintendo Switch Nov. 15». Polygon. Consultado em 5 de junho de 2019 
  3. «Pokémon Sword and Shield expansion launching June 17». Polygon. Consultado em 20 de julho de 2020. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2020 
  4. Farokhmanesh, Megan. «Pokémon Sword and Shield expansion, The Crown Tundra, launches October 22nd». The Verge. Consultado em 29 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2020 
  5. Fischer, Tyler (9 de outubro de 2020). «Pokemon Sword and Shield: The Crown Tundra Trailer Features New Look at Legendaries». Comicbook.com. Consultado em 31 de outubro de 2020. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2020 
  6. a b c d e Webb, Kevin (15 de novembro de 2019). «Everything we know about 'Pokémon Sword and Shield,' the newly released Pokémon games for Nintendo Switch». Business Insider. Consultado em 14 de março de 2020. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2020 
  7. a b «Check Out the Natural Beauty of the Wild Area». The Pokémon Company. 2019. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 8 de julho de 2019 
  8. a b Jackson, Gita (5 de junho de 2019). «Pokémon Sword And Shield Will Have Co-Op Raids (And Everything Else We Learned Today)». Kotaku. Consultado em 6 de junho de 2019. Cópia arquivada em 5 de junho de 2019 
  9. Knezevic, Kevin (6 de junho de 2019). «Pokemon Sword And Shield Reveal More New Gen 8 Pokemon». Gamespot. Consultado em 6 de junho de 2019. Cópia arquivada em 6 de junho de 2019 
  10. «Poké Jobs». Pokémon Sword and Shield Gameplay. The Pokémon Company. 7 de agosto de 2019. Consultado em 7 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2019 
  11. Tapsell, Chris (11 de junho de 2019). «We've seen two new Pokémon from Pokémon Sword and Shield». Eurogamer. Gamer Network. Consultado em 19 de junho de 2019. Cópia arquivada em 19 de junho de 2019 
  12. Fingas, Jon (8 de julho de 2019). «'Pokémon Sword' and 'Shield' will have version-exclusive gyms». engadget. Consultado em 8 de julho de 2019. Cópia arquivada em 8 de julho de 2019 
  13. Frushtick, Russ (4 de setembro de 2019). «Pokémon Sword and Shield: Character customization, curry cooking in Camp». Polygon. Consultado em 10 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2019 
  14. Citação:
  15. Carpenter, Nicole (15 de novembro de 2019). «There's an extra step to going online in Pokémon Sword and Shield». Polygon. Consultado em 8 de maio de 2021 
  16. a b «Everything You Need To Know About Pokemon HOME - What It Is, How To Get It, Transfers, Trade, Price, and More - IGN» (em inglês). Consultado em 2 de março de 2020. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2020 
  17. a b Knezevic, Kevin (12 de junho de 2019). «E3 2019: You Can't Transfer Every Old Pokemon To Sword And Shield». GameSpot (em inglês). Consultado em 12 de junho de 2019 
  18. a b Frank, Allegra (27 de fevereiro de 2019). «Pokémon Sword and Pokémon Shield are the series' new games for Switch». Polygon. Vox Media. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2019 
  19. Barder, Ollie (27 de fevereiro de 2019). «The Galar Region In 'Pokémon Sword and Shield' Looks A Lot Like The United Kingdom». Forbes. Consultado em 28 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2019 
  20. Webster, Andrew (27 de fevereiro de 2019). «Pokémon Sword and Shield are coming to the Switch this year». The Verge. Consultado em 27 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2019 
  21. a b Watts, Steve (27 de fevereiro de 2019). «Pokemon Sword & Shield's New Galar Region Looks Very Familiar». GameSpot. Consultado em 28 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2019 
  22. Van Allen, Eric (12 de junho de 2019). «The Pokemon Sword and Shield Interview: "We Knew at Some Point We Weren't Going to be Able to Keep Indefinitely Supporting All of the Pokemon"». US Gamer. Consultado em 12 de junho de 2019. Cópia arquivada em 12 de junho de 2019 
  23. Radulovic, Petrana (27 de fevereiro de 2019). «Is Pokémon Sword and Shield's region based on the UK?». Polygon. Consultado em 2 de março de 2019. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2019 
  24. «The Galar Pokémon League Provides Entertainment that Ignites the Whole Region!». The Pokémon Company. 2019. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 8 de julho de 2019 
  25. «Pokemon Sword And Shield Introduces New Rivals And Team». GameSpot (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 8 de novembro de 2019 
  26. «プロジェクトストーリー1|採用情報|GAME FREAK 株式会社ゲームフリーク». 採用情報|GAME FREAK 株式会社ゲームフリーク (em japonês). Consultado em 17 de abril de 2020. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2020 
  27. a b c «We Interview Junichi Masuda and Shigeru Ohmori about Pokémon Sword and Pokémon Shield». The Pokémon Company. 13 de junho de 2019. Consultado em 16 de junho de 2019. Cópia arquivada em 16 de junho de 2019 
  28. Beckhelling, Imogen (1 de novembro de 2019). «Undertale creator composed song for Pokémon Sword and Shield». Eurogamer. Gamer Network. Consultado em 2 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2019 
  29. Jackson, Gita (17 de junho de 2019). «Pokémon Sword And Shield Director Says It's About 'Growing And Evolving'—For The Trainer, Too». Kotaku. Univision Communications. Consultado em 17 de junho de 2019. Cópia arquivada em 17 de junho de 2019 
  30. Knezevic, Kevin (17 de outubro de 2018). «Nintendo Switch's Core Pokemon RPG Will Let You Use Your Older Monsters». GameSpot. Consultado em 16 de junho de 2019. Cópia arquivada em 17 de junho de 2019 
  31. Marshall, Cass (11 de junho de 2019). «Not all Pokémon will carry over to Pokémon Sword and Shield». Polygon. Vox Media. Consultado em 13 de junho de 2019. Cópia arquivada em 12 de junho de 2019 
  32. Good, Owen S. (13 de junho de 2019). «No, Pokémon Sword and Shield is not reusing models from recent Pokémon games». Polygon. Vox Media. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de julho de 2019 
  33. Masuda, Junichi; Ohmori, Shigeru (13 de junho de 2019). «『ポケットモンスター ソード・シールド』の"いま聞きたいこと"について増田順一氏、大森滋氏を直撃。「連れて来られるポケモンの話」にも言及!【E32019】». Famitsu (entrevista) (em japonês). Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 14 de julho de 2019 
  34. Masuda, Junichi; Ohmori, Shigeru (24 de outubro de 2019). «Game Freak explains the 1,000 staff, missing creatures, and leek size of Pokémon Sword and Shield». Polygon (entrevista). Matt Leone. Vox Media. Consultado em 7 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2019 
  35. Goldfarb, Andrew (13 de junho de 2017). «E3 2017: A Core Pokemon RPG Is in Development for Nintendo Switch». IGN (em inglês). Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 13 de abril de 2019 
  36. Life, Nintendo (30 de maio de 2018). «Pokémon Core Series RPG Will Arrive In The Second Half Of 2019». Nintendo Life (em inglês). Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 12 de março de 2019 
  37. «Full comments from Pokémon's president on the Let's Go games and 2019 entries – Nintendo Everything». nintendoeverything.com. Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 13 de abril de 2019 
  38. Newsbeat (27 de fevereiro de 2019). «Pokemon: Nintendo announces two new games, Sword and Shield, for the Switch». BBC News. Consultado em 27 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2019 
  39. Junichi Masuda and Shigeru Ohmori (26 de outubro de 2019). «『ポケモン ソード・シールド』先行プレイレビュー。シリーズ完全新作の手触りはどうなっている?【動画有り】». Famitsu (entrevista) (em japonês). Takeuchi Hakushu. Consultado em 31 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2019 
  40. Wales, Matt (1 de novembro de 2019). «Tetris 99's next limited-time event celebrates Pokémon Sword and Shield». Eurogamer (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2019 
  41. News, Jordan Gerblick 2019-11-13T00:17:50Z. «Pokemon Sword and Shield Wild Area search app lets you explore and learn about Pokemon». gamesradar (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  42. «New Pokemon Sword & Shield Spirits Being Added To Smash Bros. Ultimate». GameSpot (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2019 
  43. Life, Nintendo (13 de novembro de 2019). «Smash Bros. Ultimate's Pokémon Themed Tournament Starts Later This Week». Nintendo Life (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  44. Guisao, Jason (8 de outubro de 2020). «Pokémon Sword and Shield Physical Bundle With Expansion Pass Costs $90». Game Informer. Consultado em 6 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2020 
  45. Farokhmanesh, Megan (9 de janeiro de 2020). «Pokémon Sword and Shield will get even bigger with all-new expansion pass». The Verge (em inglês). Consultado em 9 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 9 de janeiro de 2020 
  46. Jackson, Gita (9 de janeiro de 2020). «Pokémon Sword and Shield Expansions Add Over 200 Existing Pokémon». Kotaku (em inglês). Consultado em 14 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2020 
  47. Gailloreto, Coleman (27 de maio de 2020). «Pokemon Sword & Shield: Isle of Armor Real Life Location Explained». ScreenRant. Consultado em 26 de junho de 2020. Cópia arquivada em 6 de junho de 2020 
  48. a b Oxford, Nadia (25 de junho de 2019). «The Pokemon Sword and Shield Pokedex Controversy Has a Name, and the Conversation Around It is Getting Worse». USgamer. Gamer Network. Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 29 de junho de 2019 
  49. a b c Hernandez, Patricia (13 de junho de 2019). «Why Pokémon Sword and Shield's limited Pokédex is such a huge deal to fans». Polygon. Vox Media. Consultado em 17 de junho de 2019. Cópia arquivada em 16 de junho de 2019 
  50. Baird, Scott (18 de julho de 2019). «Pokémon Sword & Shield Have Bigger Issues Than Just The National Pokédex». Screen Rant. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 19 de julho de 2019 
  51. Fahey, Mike (14 de junho de 2019). «Not All Pokémon Can Be Imported Into Sword And Shield». Kotaku. Univision Communications. Consultado em 17 de junho de 2019 
  52. Cotton, Paul (13 de junho de 2019). «Revealed: why you can't catch 'em all in Pokemon Sword and Shield». Dexerto. Consultado em 17 de junho de 2019. Cópia arquivada em 17 de junho de 2019 
  53. EDT, Phillip Martinez On 7/15/19 at 12:47 PM (15 de julho de 2019). «Game Freak confirmed that the models used in 'Pokémon Sword and Shield' are not reused». Newsweek (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 20 de outubro de 2020 
  54. Blake, Vikki (14 de julho de 2019). «Game Freak isn't recycling 3DS models in Pokémon Sword and Shield after all». Eurogamer (em inglês). Consultado em 23 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2020 
  55. Donaldson, Alex (13 de junho de 2019). «Pokemon's "Gotta Catch 'em All" catchphrase comes back to haunt it as fans backlash against Sword and Shield's cut-back Pokedex». VG247. Gamer Network. Consultado em 3 de julho de 2019. Cópia arquivada em 3 de julho de 2019 
  56. Jackson, Gita (9 de julho de 2019). «Why Pokémon Fans Are So Mad About Sword And Shield». Kotaku. Univision Communications. Consultado em 9 de julho de 2019. Cópia arquivada em 9 de julho de 2019 
  57. Masuda, Junichi (28 de junho de 2019). «A Message for Pokémon Video Game Fans». Pokémon. The Pokémon Company. Consultado em 8 de julho de 2019. Cópia arquivada em 2 de julho de 2019 
  58. McWhertor, Michael (28 de junho de 2019). «Game Freak responds to fan anger over Pokémon Sword and Shield's limited Pokédex». Kotaku. Univision Communications. Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 29 de junho de 2019 
  59. Andriessen, CJ (20 de novembro de 2019). «Review: Pokemon Sword». Destructoid. Consultado em 20 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 6 de março de 2021 
  60. Carsillo, Ray (13 de novembro de 2019). «Pokémon Sword & Shield review». EGM. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  61. Romano, Sal (4 de dezembro de 2019). «Famitsu Review Scores: Issue 1618». Gematsu. Consultado em 4 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2019 
  62. a b Shea, Brian (13 de novembro de 2019). «Pokémon Sword & Shield Review – Maxing Out The Pokémon Formula». Game Informer. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  63. Plagge, Kallie (13 de novembro de 2019). «Pokemon Sword & Shield Review – The Cliffs of Snover». GameSpot. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  64. Loveridge, Sam (13 de novembro de 2019). «Pokemon Sword and Shield review: "A Pokemon game for a new generation"». GamesRadar+. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  65. a b DeFreitas, Casey (13 de novembro de 2019). «Pokemon Sword and Shield Review». IGN. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  66. Olney, Alex (13 de novembro de 2019). «Pokémon Sword And Shield – A Solid Start To Gen 8 On Switch, Despite The Hate». NintendoLife. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  67. Donaldson, Alex (13 de novembro de 2019). «Pokemon Sword & Shield review: ambitious in places, seemingly unfinished in others». VG247. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  68. a b «Pokemon Sword for Switch Reviews». Metacritic. Consultado em 19 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2019 
  69. a b «Pokemon Shield for Switch Reviews». Metacritic. Consultado em 19 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 6 de março de 2021 
  70. Tapsell, Chris (13 de novembro de 2019). «Pokémon Sword and Shield review – a shadow of a former great». Eurogamer. Consultado em 13 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2019 
  71. Grebey, James; Philip, Tom (19 de novembro de 2019). «Pokémon Sword and Shield Review: Are These Games Getting Easier or Are We Getting Older?». GQ. Consultado em 19 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2019 
  72. Romano, Sal (19 de novembro de 2019). «Pokemon Sword and Shield sold 1.36 million retail copies in first three days in Japan». Gematsu. Consultado em 20 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2019 
  73. 3年ぶりのシリーズ完全新作 『ポケットモンスター ソード・シールド』Nintendo Switchソフト史上最速・最多! 初週世界販売本数600万本突破 (PDF). Consultado em 21 de novembro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 21 de novembro de 2019 
  74. Webb, Kevin (21 de novembro de 2019). «'Pokémon Sword' and 'Pokémon Shield' had the most successful launch of any Pokémon game to date». Business Insider. Consultado em 21 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2019 
  75. «IR Information : Sales Data - Top Selling Title Sales Units». 6 de agosto de 2020. Consultado em 6 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2020 
  76. Nunneley, Stephany (27 de junho de 2019). «E3 2019 Game Critics Awards – Final Fantasy 7 Remake wins Best of Show». VG247. Consultado em 27 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2019 
  77. Milligan, Mercedes (15 de agosto de 2019). «Gamescom Award 2019 Nominees Revealed». Animation Magazine. Consultado em 27 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de setembro de 2019 
  78. «Titanium Awards 2019». Fun & Serious Game Festival. Consultado em 27 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2019 
  79. Sheehan, Gavin (2 de janeiro de 2020). «The New York Game Awards Announces 2020 Nominees». Bleeding Cool. Consultado em 4 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2020 
  80. Chalk, Andy (13 de janeiro de 2020). «Control and Death Stranding get 8 nominations each for the 2020 DICE Awards». PC Gamer. Consultado em 19 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2020 
  81. «2019 Nominees». National Academy of Video Game Trade Reviewers. 13 de janeiro de 2020. Consultado em 19 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2020 
  82. Watkins, Gary (24 de março de 2020). «Announcing the 2020 SXSW Gaming Awards Winners». South by Southwest. Consultado em 27 de julho de 2020. Cópia arquivada em 8 de abril de 2020 
  83. Sato (18 de abril de 2020). «Here Are the Winners of the Famitsu Dengeki Game Awards 2019». Siliconera. Consultado em 4 de maio de 2020. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]