Política de Defesa e de Segurança Comum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Política de Defesa e de Segurança Comum, ou PDSC, é um elemento importante da política da União Europeia (UE) e é o domínio da política da UE que abrange a defesa e os aspectos militares. A PDSC é o sucessor da Segurança e Defesa da Identidade Europeia sob a tutela da NATO, mas difere na medida em que se insere no âmbito da jurisdição da União Europeia em si, incluindo os países sem laços com a NATO. Com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, sucedeu à Política Europeia de Segurança e de Defesa.

Formalmente, a Política de Defesa e de Segurança Comum é um domínio do Conselho da União Europeia, sendo um organismo intergovernamental em que os Estados-membros estão representados. No entanto, o Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, também desempenha um papel significativo. Na qualidade de Secretário-Geral do Conselho, ele prepara e analisa as decisões a serem feitas antes de serem levadas ao Conselho. Ele é apoiado pelo Secretariado-Geral do Conselho da União Europeia.

Estrutura atual[editar | editar código-fonte]

Os seguintes órgãos políticos e militares permanentes foram estabelecidos após a aprovação do Conselho Europeu:

A partir de 1 de Janeiro de 2007, o Centro de Operações da UE começou a trabalhar em Bruxelas. Ele pode comandar um tamanho limitado de cerca de 2000 tropas (por exemplo, um agrupamento tático).

Para além do centro da UE, cinco sedes operacionais nacionais foram disponibilizados para uso da União: Mont Valerien em Paris, Northwood em Londres, Potsdam, Centocelle em Roma e Larissa. A UE pode também utilizar unidades da NATO.[1]

Referências

  1. Centro de Operações da UE no consilium.europa.eu (em inglês)

Futura leitura[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a União Europeia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.