Política de São Vicente e Granadinas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em São Vicente e Granadinas, o sistema político é organizado da seguinte maneira:

Chefe de Estado: O Chefe de Estado de Santa Lúcia é a Rainha Elizabeth II (desde fevereiro de 1952), representada pelo governador-geral Sir Fredrick Nathaniel Ballantyne (desde setembro de 2002). O Chefe de Governo é o Primeiro Ministro Ralph E. Gonsalves (desde março de 2001).

Governador Geral: indicado pela Rainha Elizabeth II

Gabinete: Gabinete indicado pelo governador-geral, sob auxílio do Primeiro Ministro.

Eleições: após as eleições legislativas, o líder do partido de maioria ou o líder da coalização majoritária é geralmente indicado Primeiro Ministro pelo governador-geral, que também indica o Primeiro Ministro Adjunto.

Poder Legislativo: Parlamento unicameral (21 assentos, 15 representantes eleitos e seis Senadores indicados; os representantes são eleitos por voto popular).

Poder Judiciário : Membro da Eastern Caribbean Supreme Court (Suprema Corte Do Cararibe Oriental), que é baseada em Santa Lúcia, sendo que um juiz da Suprema Corte reside em São Vicente e Granadinas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.