Polivinilpirrolidona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Polivinilpirrolidona
Alerta sobre risco à saúde
Polyvinylpyrrolidon.svg
Nome IUPAC Polyvinylpyrrolidone
Outros nomes 1-Etenil-2-pirrolidona homopolímero
  • Pola[1-(2-oxo-1-pirrolidinil)etileno]
  • 1-Vinil-2-pirrolidinon-Polímero
  • PVP
  • Crospovidona
  • PNVP
  • Povidona
Identificadores
Número CAS 9003-39-8
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular (C6H9NO)n
Massa molar 2.500 - 2.5000.000 g·mol−1
Aparência coloração branca a levemente amarelada, higroscópico, pó amorfo
Densidade 1,2 g/cm³
Ponto de fusão

110 - 180 °C

Riscos associados
MSDS MSDS for PVP from EMD Chemicals
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A polivinilpirrolidona (PVP, PNVP; também referida como povidona ou pelo nome comercial Betadine) é um polímero solúvel em água formado por múltiplas cadeias de vinilpirrolidonas.

Propriedades[editar | editar código-fonte]

O PVP é solúvel em água e outros solventes polares. Em água ele tem a útil propriedade da viscosidade Newtoniana, por ser um polímero capaz de interações intermoleculares, mesmo em soluções aquosas diluídas a diferentes temperaturas, devido interações intramoleculares das próprias cadeias de PVP serem mais fortes que as interações PVP-água através de ligações de hidrogênio. Também forma ligações de hidrogênio com as moléculas de água.[1] Quando seco ele é um pó levemente floculento, o qual absorve até 18% de seu peso em umidade do ar. Em solução, ele apresenta excelentes propriedades de umidificação e facilmente forma filmes (películas). Isto o faz bom como revestimento ou aditivo à revestimentos.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

O monômero é carcinogênico e é extremamente tóxico para a vida aquática; mas seu polímero (o PVP) em estado puro é completamente inofensivo. Não só é inócuo, como também é empregado como expansor do plasma sanguíneo em vítimas traumatológicas desde a metade do século XX.

É usado como um veículo em muitos tabletes farmacêuticos; sendo completamente inerte em humanos, ele simplesmente passa através do corpo quando administrado oralmente. PVP adicionado ao iodo forma um complexo (povidone-iodo)[2] que possui propriedades desinfetantes. Este composto está contido em vários produtos como soluções, pomadas, pessários, sabões líquidos e esponjas cirúrgicas.

PVP liga-se a moléculas polares excepcionalmente bem, devido a sua própria polaridade. Isto conduziu a sua aplicação nos revestimentos para papéis e transparências de inkjet (jato de tinta) de qualidade fotográfica, assim como em tintas para impressoras de inkjet.

PVP é também usada em produtos de higiene e cosmética, tais como xampus e pasta de dentes, em tintas, e adesivos que você tem que umedecer, como os antigos selo postais e envelopes. Também tem sido usado em soluções para lentes de contato e soluções para têmpera de aço. PVP é a base das primeiras fórmulas para sprays e géis fixadores de cabelo, e continua ainda a ser um componente de alguns.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Kollidon® (em inglês) Acessado em novembro de 2007
  2. Luvitec® (em inglês) Acessado em novembro de 2007