Pollyanna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

{{Info/Livro

|nome          = Pollyanna (Poliana)
|título_original = Pollyanna
|imagem        =Pollyanna 1920 advertisement newspaper Fairport NY Herald 1920-03-10.png
|legenda       =Cartaz do filme Pollyanna, de 1920, baseado no livro
|autor         = Eleanor H. Porter 
|idioma        = [[Língua inglesa|português] 
|origem        =  Estados Unidos
|assunto       =
|gênero        =   boa 
|série         =
|tempo         =
|espaço        =  Estados Unidos
|ilustrador    =
|artista_capa  =
|editora       = L. C. Page[1] 
|lançamento    = 1913[1] 
|páginas       = 310
|isbn          = 1-55748-660-3
|título_br = Pollyana
|tradutor_br  = Monteiro Lobato
|editora_br = Companhia Editora Nacional (Biblioteca das Moças)
|lançamento_br = 1934[2] 
|isbn_br =
|precedido_por =
|seguido_por   =
|título_pt =
|tradutor_pt =
|editora_pt =
|lançamento_pt =
|isbn_pt =
|precedido_por = Miss Billy's Decision (1912)
|seguido_por   = Pollyanna Grows Up

}}

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Pollyanna

Pollyanna (Poliana) (ISBN 8504006085) é uma comédia de Eleanor H. Porter, publicado em 1913 e considerado um clássico da literatura infantojuvenil. O livro fez tanto sucesso que a autora veio a publicar, em 1915, uma continuação chamada Pollyanna Grows Up (no Brasil, "Pollyanna Moça"). Mais onze Pollyannas se seguiram, muitas delas escritas por Elizabeth Borton ou Harriet Lummis Smith. A mais recente sequência de Pollyanna foi publicada no meio da década de 1990, escrita por Colleen L. Reece.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
  • Pollyanna: protagonista, órfã de pai e mãe com 11 anos de idade.
  • Miss Polly: tia de Pollyanna.
  • Dr. Chilton: médico que conseguiu que Pollyanna voltasse a andar.
  • Dr. Hantom: veio de Nova Iorque para tentar resolver o caso de Pollyanna.
  • Jimmy: menino, órfão como Pollyanna. Ela o encontrou na rua e arranjou-lhe um lar na casa do senhor Pendlenton.
  • Senhor John Pendlenton: homem mais rico da cidade, solteirão e que vivia sozinho em uma mansão.
  • Nancy: empregada da senhorita Polly.
  • Senhora Snow: pobre senhora que, quando conheceu Pollyanna, "saiu" de um quarto escuro e sombrio para um quarto lindo e maravilhoso abrindo janelas e cortinas.

Observação: em algumas traduções do livro, a maioria dos nomes é aportuguesada. Exemplos: Pollyanna - Poliana; Polly - Paulina; Mrs. Snow - Dona Maria etc.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Poliana, uma menina de onze anos, após a morte de seu pai, um missionário pobre, se muda de cidade para ir morar com uma tia rica e severa que não conhecia anteriormente. No seu novo lar, passa a ensinar, às pessoas, o "jogo do contente" que havia aprendido de seu pai. O jogo consiste em procurar extrair algo de bom e positivo em tudo, mesmo nas coisas aparentemente mais desagradáveis.[3]

A autora, presbiteriana, trabalhou um aspecto da evangelização cristã, de que é necessário procurar manter a felicidade, o amor e o bem, mesmo nas situações mais adversas. A felicidade em Cristo Jesus. Curiosamente, em psicologia e sociologia, isso passou a ser chamado de "princípio de Poliana", mas os autores raramente citam ou entendem a origem cristã, secularizada, desse comportamento descrito.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Traduções em língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

Adaptações para o cinema[editar | editar código-fonte]

Em 1920, foi lançado o primeiro filme baseado no livro, com Mary Pickford e dirigido por Paul Powell, um clássico do cinema mudo.[6] Em 1960, foi lançado o filme Pollyanna, dirigido por David Swift e com Hayley Mills no papel-título e Jane Wyman no papel de tia Polly.[7]

Utilização na programação neurolinguística[editar | editar código-fonte]

Na programação neurolinguística, o livro é utilizado como treinamento de "ressignificação de conteúdo", através do qual o paciente aprende a mudar sua interpretação dos acontecimentos cotidianos, aprendendo a enfatizar o lado positivo e agradável dos fatos, tal como a protagonista Poliana faz no livro com o seu "jogo do contente".[8]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Englekirk, John E.. Bibliografia de Obras Norteamericanas em Tradução Portuguesa. [S.l.]: Tulane University.
  2. a b Catálogo da Companhia Editora Nacional
  3. Golfinho: o portal da PNL no Brasil. Disponível em http://www.golfinho.com.br/livros/liv222.asp. Acesso em 3 de maio de 2014.
  4. Traduções de Monteiro Lobato
  5. Catálogo da Companhia Editora Nacional
  6. Pollyanna (1920)
  7. Pollyanna
  8. Golfinho: o portal da PNL no Brasil. Disponível em http://www.golfinho.com.br/livros/liv222.asp. Acesso em 3 de maio de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.