Polygram do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2010). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Polygram Discos Ltda
Empresa detentora Universal Music Group
Fundação Janeiro de 1979
Fechamento Dezembro de 1984
Distribuidor(es) Polygram Discos/ Sinter
Gênero(s) MPB, Pop, Bossa Nova, Regional, Forró, Sertanejo, Samba, Pagode, Romântico, Lambada, Brega, Latinos, Rock
Localização Estrada do Itapicuru, 75, Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro, RJ

PolyGram Discos foi uma das maiores gravadoras da indústria fonogŕafica no Brasil. Fundada durante a Década de 1920, com o nome de Sinter, mudou de designação em 1958 para Phonogram, permanecendo assim até 1979, quando passou a vigorar no Brasil a união entre a Polydor e a PhonoGram, chamando-se "Polygram do Brasil". Localizava-se na Estrada do Itapicuru, 75, no Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro, e foi extinta em 1984. Em 1985, a empresa teve seu nome finalmente alterado apenas para PolyGram do Brasil Ltda, com a prensagem da fábrica de LPs Fonobrás, fechada em dezembro de 1993, no Rio de Janeiro, continuando como apenas "PolyGram" lançando apenas CDs, K7s e VHS até 1998, dando lugar à atual Universal Music.

Selos[editar | editar código-fonte]

Artistas nacionais do selo (incluindo a fase Fonobrás)[editar | editar código-fonte]

Artistas internacionais do selo (até dezembro de 1984)[editar | editar código-fonte]