Pomba-do-cabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPomba-do-cabo
Pomba-do-cabo na Tasmânia
Pomba-do-cabo na Tasmânia
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Procellariiformes
Família: Procellariidae
Género: Daption
Espécie: D. capense
Nome binomial
Daption capense
(Linnaeus, 1758)
Subespécies

A pomba-do-cabo (nome científico: Daption capense) é uma espécie de ave marinha que habita o hemisfério sul. É o único membro do gênero Daption.[3]

Durante a época de reprodução, as pombas-do-cabo se alimentam na plataforma da Antártida e durante o inverno vão mais ao norte, até Angola e as ilhas Galápagos. Procriam em muitas ilhas da Antártida e ilhas subantárticas, algumas indo até as Ilhas Auckland, as Ilhas Chatham e Ilha Campbell.

Taxonomia e etimologia[editar | editar código-fonte]

Ilustração

A pomba-do-cabo é o único membro conhecido do gênero Daption e, por sua vez, é membro da família Procellariidae e da ordem Procellariiformes. Parece haver um subgrupo dentro da família que consiste nos Macronectes, os membros do gênero Fulmar, o Thalassoica antarctica e o Pagodroma nivea.[4]

Todos os Procellariiformes compartilham certas características de identificação. Primeiro, possuem passagens nasais que se ligam ao bico superior, chamadas naricórnios. Produzem um óleo estomacal composto de ésteres de cera e triglicerídeos que é armazenado no proventrículo. Isso pode ser pulverizado para fora de suas bocas como uma defesa contra predadores e como uma fonte de alimento rica em energia para os jovens e adultos durante seus longos voos.[5] Por fim, possuem também uma glândula de sal que fica situada acima da passagem nasal e ajuda a dessalinizar seus corpos, devido à grande quantidade de água do mar que ingerem.[6]

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Há duas subespécies reconhecidas:

  • Daption capense capense (Linnaeus, 1758) - ocorre na Antártida, nas ilhas subantárticas, da ilha Geórgia do Sul até a ilha Heard;
  • Daption capense australe (Mathews, 1913) - ocorre na região que abrange os mares temperados até os mares antárticos entre a Australásia e a Antártida; também encontrada nas ilhas ao redor da Nova Zelândia.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Daption é derivado do grego antigo para "pequeno devorador", e o nome Cape é devido ao local onde o espécime-tipo foi coletado. Por fim, pintado é o espanhol de "pintado", por conta de sua plumagem. Um de seus outros nomes, pomba-do-cabo, é devido ao hábito de bicar a água para se alimentar.[2] A palavra petrel é derivada de São Pedro e da história de sua caminhada sobre as águas. Isso se refere ao hábito da espécie de aparentemente correr na água para decolar.[7]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Pomba-do-cabo durante o voo

É um petrel de aparência única. Tem a cabeça e o pescoço pretos, o ventre e o peito brancos, e a parte inferior das asas é branca com uma borda preta. Suas costas e asas superiores são pintadas de preto e branco, assim como sua cauda, que também tem uma faixa preta. Quando totalmente crescidas, suas asas medem 86 cm (34 in) e têm 39 cm (15 in) de comprimento.[2][8]

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Dieta[editar | editar código-fonte]

Sua dieta é composta por 80% de crustáceos, peixes e lulas. O krill é o seu crustáceo favorito, o qual obtém por apreensão da superfície, bem como mergulhando debaixo d'água e filtrando-os.[2][8] Também são conhecidos por seguir navios e comer resíduos comestíveis e carcaças jogadas ao mar. São agressivos enquanto se alimentam e cospem óleo de estômago nos competidores, até mesmo da sua própria espécie.[2]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

É um pássaro colonial e nidifica em penhascos ou terreno plano a um quilômetro do oceano.[2] Tende a ter colônias menores do que outros petréis.[8] Seus ninhos são formados com seixos e são colocados sob uma rocha pendente para proteção,[2][8] ou em uma fenda.[8] Em novembro, coloca um único ovo claro transparente, que é incubado por 45 dias por ambos os sexos. O ovo geralmente mede 53 por 38 milímetros.[9] Defende seu ninho cuspindo óleo do estômago. Os mandriões, em particular, atacam ovos e filhotes da espécie. Após a eclosão, o filhote é chocado por dez dias até que possa se termorregular, e em seguida ambos os pais auxiliam na alimentação. Os filhotes emplumam depois de mais 45 dias, por volta de março.[2]

Alcance e habitat[editar | editar código-fonte]

Durante a época de reprodução, a pomba-do-cabo se alimenta em torno da plataforma da Antártida e, durante o inverno, variam mais ao norte, até Angola e as Ilhas Galápagos. Reproduz-se em muitas ilhas da Antártida e nas ilhas subantárticas, alguns indo até as Ilhas Auckland, as Ilhas Chatham e a Ilha Campbell. Seus principais criadouros estão na Península Antártica, Geórgia do Sul, nas Ilhas Balleny, nas Ilhas Kerguelen, bem como nas ilhas do Mar da Escócia.[2]

Conservação[editar | editar código-fonte]

Tem um intervalo de ocorrência de 146 000 000 km2 (56 370 915 sq mi), e uma estimativa de 2009 aferiu que existiam 2 milhões de aves adultas desta espécie. A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) a classificou como "espécie pouco preocupante."[10]

Referências

  1. Brands, Sheila (15 Aug 2008a)
  2. a b c d e f g h i ZipCode Zoo (16 Jul 2009)
  3. Brooke, M. (2004). "Procellariidae". Albatrosses And Petrels Across The World. Oxford, UK: Oxford University Press. ISBN 0-19-850125-0.
  4. Tree of Life (27 Jun 2008)
  5. Double, M. C. (2003)
  6. Ehrlich, Paul R. (1988)
  7. Gotch, A. T. (1995)
  8. a b c d e Harrison, C. & Greensmith, A. (1993)
  9. Hauber, Mark E. (1 de agosto de 2014). The Book of Eggs: A Life-Size Guide to the Eggs of Six Hundred of the World's Bird Species. Chicago: University of Chicago Press. p. 41. ISBN 978-0-226-05781-1 
  10. BirdLife International (2012)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Pomba-do-cabo