Pompeia (bairro de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vila Pompeia
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Dia Oficial: 7 de outubro
Fundação: 1910
Distrito: Lapa
Subprefeitura: Lapa
Região Administrativa: Oeste

Vila Pompeia, também conhecido como Pompeia, é um bairro de classe média alta da cidade brasileira de São Paulo, localizado entre os distritos de Perdizes e Lapa.

Limita-se com os bairros de: Perdizes, Água Branca, Lapa, Barra Funda, Vila Anglo Brasileira e Vila Romana.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1910 surgia um novo loteamento dividindo as chácaras em um bairro. O empreendedor Rodolpho Miranda, dono da Companhia Urbana e Predial, resolveu homenagear sua esposa Aretusa Pompéia, batizando o novo bairro como o nome de Vila Pompéia.[1]

Rapidamente imigrantes atraídos pelas centenas de indústrias que apareciam na região adquiriam lotes para fixar residência. Italianos, portugueses, espanhóis e húngaros trabalhavam como operários nas fábricas. A região teve grande crescimento com a chegada dos padres Camilianos.[2] O bairro, que hoje abriga a escola de samba Águia de Ouro, nascida no bairro vizinho Vila Anglo Brasileira, destacava-se pela presença de vilas de sobradinhos[3] .

No final da década de 1960 e começo de 1970, o bairro foi berço de bandas importantes no cenário brasileiro como Tutti Frutti, Os Mutantes e Made in Brazil.[4]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

SESC Pompeia implantado em uma fábrica.

Apresenta um complexo cultural, o SESC Pompeia, portador de teatros, quadras esportivas, piscina, dentre outras áreas de lazer, além do Bourbon Shopping Pompeia, do Shopping Pompeia Nobre, onde encontram-se o Teatro Bradesco e o Teatro Plínio Marcos respectivamente. A região conta com um novo espaço de entretenimento e lazer, a Allianz Parque, arena multiuso do Palmeiras construída para abrigar shows, concertos, eventos corporativos e, principalmente, partidas de futebol do clube. O bairro também é composto em parte por moradias populares e casas antigas de renda média e baixa.

Referências

  1. "A Vila Madalena do Século 21", Luciana Matiussi, Época São Paulo número 2, junho de 2008, Editora Globo, pág. 102
  2. Levino Ponciano, Bairros Paulistanos de A a Z, Editora Senac
  3. Um corredor de ouro, de Perdizes à Vila Leopoldina
  4. Lee, Bruno. (28 de fevereiro de 2016). "Mãe do Rock". Folha de S.Paulo (31.742) p. Especial Morar - 8. São Paulo: Grupo Folha.


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.