Ponte Romana em Murça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:

A ponte romana de Murça (ou ponte filipina), localizada sobre o rio Tinhela, situa-se no norte de Portugal, no concelho de Murça. É um dos rastros deixados pela civilização romana quando dominou a Península Ibérica.

Durante a dinastia filipina a ponte foi restaurada, sendo por este motivo também denominada de ponte filipina. Passou depois por reparações adicionais.

Murça e sua arquitetura histórica[editar | editar código-fonte]

O concelho de Murça possui uma história interessante que se revela em seus monumentos arquitetónicos, como por exemplo, a ponte medieval em Noura, a Capela da Misericórdia (séc XVIII), o pelourinho manuelino (séc XVI), o famoso monumento da porca de Murça que tornou-se um símbolo do conselho e entre outros, a Ponte Romana que foi construída com a chegada dos romanos por volta do século II a.c.

O conselho da Murça, do distrito de Vila Real, está incluído na Região Norte, no Trás-os-Montes e localiza-se na margem direita do rio Tinhela (afluente da Tua),a cerca de 100 km a nordeste do Porto. O conselho é moldado por um conjunto de elevações naturais, destacando-se as serras de São Domingos e da Garria. A área que ocupa é de 189,4 km2, na qual se distribuem 9 freguesias, entre as quais se destacamos a freguesia da Murça com a sua ponte Romana.

A economia do concelho baseia-se principalmente no sector-primário, quase exclusivamente e exclusivamente nas actividades agrícolas, como a olivicultura, a vitivinicultura, a pecuária, a silvicultura. O vinho produzido nessa região é a actividade agrícola que mais lucro dá no conselho.    

Via Romana[editar | editar código-fonte]

Em Murça passa a via romana que servia de ligação entre Astorga (um município da Espanha) e a foz do rio Douro, atravessando o rio Tinhela através da ponte romana de Murça e que depois desta divide-se em sentido a Braga ou vale do Douro.

Características e estrutura[editar | editar código-fonte]

Tem 12,5 metros de comprimento, 3 metros de largura e 5 metros de altura. Esta ponte é formada por pedras tendo como estrutura básica um arco de volta perfeita, típico das construções romanas.

Para compreender como funciona a sua estrutura é necessário perceber o funcionamento do arco tão utilizado na arquitetura romana. O arco é um sistema estrutural que possui uma grande estabilidade, funcionando por meio da compressão. Estes eram feitos em torno de uma forma de madeira que mantinha as pedras firmes até a colocação de uma pedra central que distribuía o peso por igual para cada lado do arco.

O terreno, ao receber essa carga, forma uma força de reação que passa de pedra em pedra até chegar empurrando a pedra fundamental que está apoiando a carga. O arco é melhor do que paredes retas tanto em termos de resistência como em eficiência, estes requerem muito menos materiais e são muito fortes para suportar pesos em cima.