Ponte sobre o rio Tua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Ponte sobre o rio Tua
Vista a montante da margem direita
Geografia
Cruza Rio Tua
Localização Mirandela  Portugal
Coordenadas 41° 29' 06" N 7° 11' 01" O

A Ponte sobre o rio Tua, conhecida também como Ponte Velha ou Ponte Medieval de Mirandela, é uma ponte de estilo românico que se localiza sobre o Rio Tua. Esta ponte é um ex-libris da cidade de Mirandela e é uma das três pontes que atravessam o Rio Tua, em Mirandela.

A Ponte sobre o rio Tua está, desde 1910, classificada como Monumento nacional.[1][2]

Cidade de Mirandela[editar | editar código-fonte]

A cidade de Mirandela, que se supõe que antigamente se chamava Caladunum, é hoje em dia o segundo maior concelho do distrito de Bragança, e está subdividida em 30 freguesias. Situa-se a norte do rio Douro e faz fronteira com Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Murça, Valpaços, Vinhais e Macedo de Cavaleiros. Foi atribuída à cidade pelo rei D. Afonso III uma carta de foral a 25 de Maio de 1250. Esta carta servia para delimitar o território, tornando possível o estabelecimento de relações sócio-económicas. Conta ainda com o Metropolitano Ligeiro de Mirandela, que explora a Linha do Tua no seu troço em exploração de Carvalhais ao Cachão (16 km).

História[editar | editar código-fonte]

Cheia de 1909 ponte destruída

Na Ponte de Mirandela há indícios da existência de uma ponte romana ou da Idade Média, devido às marcas de canteiros nos arcos originais. A data da sua construção não é determinada, mas acredita-se que terá sido levantada nos finais do século XV ou início do século XVI. No ano de 1514 encontrava-se em construção, e em 1536 tinha sido concluída.

Contrariamente ao que Ernesto de Sales tinha dito, Cunha Leal afirmou que o imperador romano Trajano mandou construir a ponte de Mirandela, alegando que D. Dinis nunca se referiu a ela e que nunca havia existido qualquer via romana militar, entre outros argumentos.

No século XVI, no reinado de D. Manuel I, dá-se a construção da actual ponte com vinte arcos. Até à década do século XX, foi utilizada como rodovia, passando mais tarde a ser utilizada para uso pedonal. Devido a esta alteração foi então necessária a construção de uma outra ponte para uso rodoviário, a Ponte Europa, por onde passa a EN 15.

Em 1726 realizou-se o primeiro projecto de reparação, seguindo-se, mais tarde, nos anos de 1792, 1807 e 1844 outras novas recuperações da ponte. Contudo, nos arcos são ainda visíveis siglas que ajudavam no trabalho dos pedreiros.

Características[editar | editar código-fonte]

Arcos

Até 1886, a ponte de Mirandela apresentava 20 arcos visíveis, mas anterior a esta data terá sido possível que tenha tido 22 arcos. De 1866 a finais de 1909 passou a ter somente 19 arcos, pois um deles, situado do lado da cidade, ficou soterrado. Com as cheias de 23 de Dezembro de 1909, quatro dos vinte arcos caíram, tendo sido necessário a construção de dois arcos quebrados com maiores vãos. Foi necessário reforçar a ponte com talha-mares triangulares em ambos os lados. Actualmente, possui um gradeamento de ferro que forma uma quadrícula. Grandes estruturas de ferro pintadas de verde fazem iluminação da ponte através de lanternas, colocadas nas laterais sobre os arcos.

Tabuleiro

Inicialmente a ponte tinha um comprimento aproximado de 270 metros; após as cheias o comprimento da ponte ficou reduzido a 228,5 metros. A largura média do seu leito, antes das obras de modificação de 1876-1878, variava entre 4,8 metros e 5,3 metros. O tabuleiro da ponte era plano e lajeado, sendo que até 2016 esta se encontrava alcatroada, mas hoje em dia está empedrada. É também um dos pontos atractivos da cidade de Mirandela, e serve exclusivamente para uso pedonal.

Nichos

Ao centro do tabuleiro eram visíveis dois nichos, um do lado norte com a imagem de Nossa Senhora do Amparo e outro do lado sul com uma imagem de Nossa Senhora dos Aflitos. Na última reparação, em Outubro de 1876, estes nichos foram retirados.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma ponte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.