Ponto (rede varejista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pontofrio)
Ponto
Entrada de uma das lojas do Pontofrio em shopping center.
Razão social Via Varejo S.A.
Nome(s) anterior(es) Pontofrio (1946-2021)
Subsidiária
Slogan Viva a inovação.
Atividade Varejo
Fundação 1946 no Rio de Janeiro, RJ
Fundador(es) Alfredo Monteverde
Sede São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil
Área(s) servida(s) Regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil
Locais 219 lojas
Proprietário(s) Via Varejo
Produtos
Empresa-mãe Via Varejo
Website oficial ponto.com.br
  • Notas de rodapé / referências
  • [1]

Ponto (estilizada Ponto:>, anteriormente Pontofrio) é uma rede varejista brasileira, fundada em 1946 no Rio de Janeiro pelo imigrante romeno Alfredo João Monteverde, que oferece para venda em suas lojas produtos como móveis, eletrodomésticos e eletrônicos. A rede foi adquirida em 2009 pelo Grupo Pão de Açúcar (hoje conhecido como GPA) e, a partir da fusão com a Casas Bahia em 2010, passou a fazer parte da divisão Via Varejo.

História[editar | editar código-fonte]

Antigo logotipo da rede, entre 2012 e 2021.

O nome "Ponto Frio" originou-se na tradução da marca estadunidense Coldspot, uma extinta marca de refrigeradores que era representada pelo Ponto Frio na época de sua fundação.[2]

Filial localizada no bairro de Bonsucesso, na cidade do Rio de Janeiro.

A primeira loja da rede foi inaugurada em 25 de março de 1949, no centro do Rio de Janeiro (Rua Uruguaiana, n.º 134), e se tornou referência na venda de geladeiras e máquinas de costura importadas, além de fogões nacionais.[3] O Ponto foi a primeira rede de eletrodomésticos a investir maciçamente em marketing e a veicular propagandas na televisão, iniciando suas campanhas ainda na década de 1950.[2]

Filial localizada em Coronel Fabriciano, Minas Gerais, desativada em 2016.[4]

A marca rompeu as fronteiras do Rio de Janeiro quando inaugurou sua primeira loja em Brasília, na década de 1960, dando início ao seu processo de expansão. Em seguida vieram os estados de Goiás e Minas Gerais. Em 1992, com a aquisição das “Casas Buri”, a rede fincou sua bandeira no Estado de São Paulo e na região Sul.[2] As Casas Buri S/A Comércio e Indústria foi fundada por Mário Bussab e Paulo Ribeiro em 1942, cujo nome da casa foi a junção das sílabas iniciais dos dois sobrenomes de seus fundadores. A empresa tinha lojas na capital, no interior de São Paulo, no Paraná e Centro Oeste do Brasil e seus produtos comercializados englobavam roupas de cama, banho e mesa, tecidos em geral, até televisores e eletrodomésticos[5]. À época, era concorrente das Casas Bahia e fez muito sucesso nos anos de 1970 e 1980.[6]

Para os consumidores que compravam pelo sistema de crediário, as Casas Buri criaram a financeira "Buri S.A. – Crédito, Financiamento e Investimentos". [6]

Em algumas cidades, era comum a propaganda da Casas Buri ser realizada com o carro da empresa, tanto na zona urbana, como na zona rural da cidade[7]. Sílvio Santos foi um de seus garotos-propaganda, cantarolando um famoso jingle “Todo o dia é dia de oferta na Buri” e no final soletrava o nome da empresa.[6] Já quando Sílvio Santos tornou-se apresentador, as Casas Buri também fazia propaganda em seus programas na década de 1980. [8]

Lançou seu site PontoFrio.com na internet em 1996, inicialmente para consultas sobre os produtos comercializados e informações corporativas, tornando-se um canal de vendas online a partir de 1997.

Incêndio no centro de distribuição do Pontofrio em Guarulhos, ocorrido no dia 12 de maio de 2010.

Em dezembro de 2007, após uma reestruturação organizacional, a acionista majoritária tentou vender a empresa, mas desistiu devido à queda do preço das ações. Em março de 2009, foi anunciada nova tentativa de venda. A intenção é vender o controle acionário e não realizar uma oferta pública de ações. A operação é coordenada pelo banco Goldman Sachs.[9]

Em 8 de junho de 2009, o GPA anunciou que fechou acordo com os acionistas da Globex para a compra do Ponto.[10]

Em 12 de maio de 2010, o Centro de Distribuição do Ponto localizado em Guarulhos, entra em chamas. O local que tem 31 mil metros quadrados, tinha 130 pessoas trabalhando no momento, mas todos foram retirados sem nenhum ferimento. O Centro de Distribuição atendia a 118 lojas do Ponto, a rede varejista conta com mais 2 Centros de Distribuição.[11]

Em 23 de abril de 2021 a empresa passa por um rebranding, passando a se chamar somente Ponto.[12][13][14]

Ponto Frio MegaStore[editar | editar código-fonte]

Desde 2003 possui no BarraShopping, no Rio de Janeiro, sua maior loja da rede do Brasil chamada de Mega Store, conta com outra Mega Store na Marginal Tietê, em São Paulo e a Mega Store do Norte Shopping, no Rio de Janeiro.[2]

Referências

  1. «Nossas Lojas». Pontofrio. Consultado em 9 de junho de 2018 
  2. a b c d «Nossa História». Pontofrio. Consultado em 9 de junho de 2018. Cópia arquivada em 9 de junho de 2018 
  3. «Foi inaugurado sexta-feira o Ponto Frio». Diário de Notícias, ano XIX, edição 8105, Segunda Seção, página 1/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 28 de março de 1949. Consultado em 12 de julho de 2021 
  4. Plox (26 de janeiro de 2016). «Pontofrio fecha filial no Vale do Aço». Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  5. «Maringá Histórica». https://www.maringahistorica.com.br/. Consultado em 18 de abril de 2021 
  6. a b c «Casas Buri». Histórias de empresas. Consultado em 18 de abril de 2021 
  7. «O comércio adamantinense: as Casas Buri». Siga Mais. Consultado em 18 de abril de 2021 
  8. Propaganda das Casas Buri Programa do Silvio Santos 1983, consultado em 18 de abril de 2021 
  9. «Ponto Frio anuncia que procura comprador». Gazeta do Povo. 29 de março de 2009. Consultado em 9 de junho de 2018. (pede subscrição (ajuda)) 
  10. «Pão de Açúcar compra Ponto Frio por R$ 824,5 milhões». Extra Online. Consultado em 19 de agosto de 2020 
  11. «Incêndio atinge centro de distribuição do Ponto Frio em Guarulhos». Abril.com. 12 de maio de 2010. Consultado em 17 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 15 de maio de 2010 
  12. «Via Varejo anuncia mudança da marca Pontofrio para Ponto :> e inaugura nova fase». InfoMoney. 23 de abril de 2021. Consultado em 24 de abril de 2021 
  13. «Pontofrio muda de nome para Ponto :>». Valor Econômico. Consultado em 24 de abril de 2021 
  14. Barbosa, Mariana. «Varejista Pontofrio elimina o "frio" da marca (mas mantém vivo o Pinguim)». Capital - O Globo. Consultado em 24 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons