Pop (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pop
Álbum de estúdio de U2
Lançamento 3 de março de 1997
Gravação 1995–1996
Gênero(s) Rock alternativo, dance alternativo
Duração 60:09
Gravadora(s) Island
Produção Flood, Howie B, Steve Osborne
Cronologia de U2
Zooropa
(1993)
All That You Can't Leave Behind
(2000)
Singles de Pop
  1. "Discothèque"
    Lançamento: 3 de fevereiro de 1997
  2. "Staring at the Sun"
    Lançamento: 15 de abril de 1997
  3. "Last Night on Earth"
    Lançamento: 14 de julho de 1997
  4. "Please"
    Lançamento: 20 de outubro de 1997
  5. "Mofo"
    Lançamento: 8 de dezembro de 1997
  6. "If God Will Send His Angels"
    Lançamento: 8 de dezembro de 1997

Pop é o nono álbum de estúdio da banda rock irlandesa U2, lançado em 3 de março de 1997. O álbum foi uma continuação de uma reinvenção da banda na década de 1990, uma vez que eles seguiram uma nova direção musical, combinando influências de rock alternativo, techno, dance e eletrônica. O álbum emprega uma variedade de técnicas de produção relativamente nova do U2, incluindo amostragem, loops, bateria eletrônica programada e sequenciamento.

As sessões de gravação começaram em 1995 com vários produtor de discos, incluindo Nellee Hooper, Flood, Howie B e Steve Osborne, que estavam apresentando à banda diversas influências eletrônicas. Na época, o baterista Larry Mullen Jr. estava inativo devido a uma lesão nas costas, fazendo com que outros membros da banda tomassem diferentes abordagens para a composição. Após o retorno de Mullen, a banda começou a refazer grande parte do seu material, mas em última análise, se esforçaram para completar as canções. Depois que a banda permitiu que o gestor da banda, Paul McGuinness, reservasse a sua próxima turnê Popmart Tour antes que o álbum fosse concluído, sendo que o grupo se apressou para completar o álbum. Mesmo depois de adiar a data de lançamento do álbum do Natal e temporada de férias de 1996 para março de 1997, o U2 ficou sem tempo no estúdio e, o produtor final não foi do seu agrado. Desde o lançamento do álbum, muitas de suas canções foram regravadas e remixadas.

Embora tenha atingido a posição de número #1 em 35 países, incluindo Reino Unido e Estados Unidos, o tempo de vida de vendas de Pop estão entre os mais baixos do catálago do U2 e a reação crítica foi mista. Pop foi certificado por platina pela RIAA em 5 de maio de 1997.[1]

Antecedentes e escrita[editar | editar código-fonte]

Na primeira metade da décad de 1990, o U2 passou por uma dramática mudança no estilo musical. A banda tinha experimentado com rock alternativo e música eletrônica e o uso de amostras em seu álbum de 1991, Achtung Baby, e, em maior escala, no álbum de 1993, Zooropa. Em 1995, os projetos paralelos do grupo forneceu-lhes uma oportunidade de investigar mais ainda esses gêneros musicais. O baixista Adam Clayton e o baterista Larry Mullen Jr. gravaram em um estilo eletrônico para o tema da trilha sonora do filme Mission: Impossible. A gravação foi nomeada para um Grammy Award de "Melhor Performance Instrumental Pop" em 1997, e foi um sucesso internacional no Top 10. Em 1995, a banda junto a Brian Eno, gravaram um álbum experimental, Original Soundtracks 1, sob o apelido de "Passengers" ("Passageiros"). O projeto incluiu também Howie B, Chuck D, Akiko Kobayashi, Luciano Pavarotti, entre outros.

Bono e The Edge tinham escrito algumas músicas antes de começar a gravar seriamente. "If You Wear That Velvet Dress", "Wake Up Dead Man",[2] "Last Night on Earth" e "If God Will Send His Angels" foram originalmente concebidos durante as sessões de Zooropa.[3] "Mofo" e "Staring at the Sun" também foram, parcialmente escritas.[4]

Gravação e produção[editar | editar código-fonte]

Para o novo álbum, o U2 queria continuar seus experimentos sonoros, e eles empregaram vários produtores a ter pessoal adicional para compartilhar idéias.[4] Flood foi o principal produtor, tendo trabalhado anteriormente com o grupo como engenheiro do álbum The Joshua Tree e Achtung Baby e co-produtor de Zooropa. Mark "Spike" Stent e Howie B eram os engenheiros principais. Flood descreveu seu trabalho no Pop como "criativo coordenador. Havia algumas faixas onde não têm necessariamente um maior envolvimento... mas no final, a responsabilidade parou em mim. Eu tinha o papel de supervisor criativo, de julgar o que funcionou e o que não funcionou no trabalho".[4] Howie B trabalho pela primeira vez com a banda no álbum Original Soundtracks 1, fornecendo mixagens, tratamentos e "arranhos". No Pop, o papel foi inicialmente dado a "DJ e Vibes". Mais tarde, seus papéis ficaram mais definidos com o co-produtor, engenheiro e mixer. Uma de suas principais tarefas era apresentar a banda para sons e influências dentro do estilo eletrônico. A banda e Howie B regularmente saíram para clubes de dança para experimentar a cultura e a música dos clubes.[4] A principal meta para o álbum, era criar um novo som para a banda que ainda era reconhecível como U2.[4]

O U2 começou a trabalhar no Pop em meados de 1995, colaborando com Nellee Hooper em Londres, França e Irlanda.[4] Em setembro, a banda mudou as sessões de gravação para Hanover Quay em Dublin, para um estúdio em que a banda tinha acabado de converter em um armazém.[5] O estúdio foi projetado para ser um local de ensaio muito mais do que um estúdio.[5] Flood, Howie B, Steve Osborne, e Marius de Vries, juntou Hooper e a banda no local, cada um incorporando as suas influências e experiências da música eletrônica.[4] Flood descreveu a influência de Howie da seguinte maneira: "Howie estaria tocando todos os tipos de registros para inspirar a banda e para que eles improvisassem, podendo ser qualquer coisa de um solo de trompete de jazz e algo funk super groove, sem tabus. Nós também programamos a bateria em loops e levamos as coisas a partir de CDs de amostras; nada a deixar a coisa rolar. O U2 chega no estúdio com muito pouco material acabado". Essas sessões duraram até dezembro, e em torno de 30-40 partes de músicas surgiram durante este período.[4]

Mullen, que tinha estado ausente na maior parte das sessões prestes a iniciar uma família e um enfermeiro cuidando de uma lesão em suas costas que estava em agravamento, estava com uma cirurgia programada em suas costas em novembro.[6] Mullen foi incapaz de tocar bateria adequadamente durante este período, forçando o U2 a abandonar seus métodos usuais de composição como um grupo e que eles permitissem seguir diferentes influências musicais.[4] Mullen admite que estava chateado pelo fato da banda ter entrado em estúdio sem ele, conscientes de que decisões mais importantes seriam feitas nos primeiros meses de gravação.[6] Eno tentou convencer os outros membros da banda a esperar pela recuperação de Mullen, mas The Edge explicou, dizendo: "A idéia era que nós estávamos indo experimentar mais com a noção de que uma banda era sobre tudo e, encontrar novas maneiras de escrever canções, aceitando a influência e a estética da música dance... pensávamos: 'Vamos começar com batidas de mixagem da bateria de Howie e ver onde iria nos levar'".[6] Mullen estava de volta ao estúdio depois de três semanas da cirurgia, mas sua costas o impedia de se dedicar totalmente à gravação. Como ele descreveu: "Eu precisava de um pouco mais de tempo para se recuperar. Mas nós estávamos lutando contra alguns dos materiais, e para o projeto avançar, eu tive que esperar muito tempo".[7] As sessões cessaram temporariamente em janeiro de 1996, para permitir que Mullen se reabilitasse.[4]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Produzido por Duração
1. "Discothèque"   Flood 5:19
2. "Do You Feel Loved"   Steve Osborne, Flood 5:07
3. "Mofo"   Flood 5:46
4. "If God Will Send His Angels"   Flood, Howie B 5:22
5. "Staring at the Sun"   Flood 4:36
6. "Last Night on Earth"   Flood 4:45
7. "Gone"   Flood 4:26
8. "Miami"   Flood, Howie B 4:52
9. "The Playboy Mansion"   Flood, Howie B 4:40
10. "If You Wear the Velvet Dress"   Flood 5:14
11. "Please"   Flood, Howie B 5:10
12. "Wake Up Dead Man"   Flood 4:52

Faixa bônus lançada apenas no Japão

Posições e vendas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Gold and Platinum Database Search». Consultado em 21 de outubro de 2011 
  2. * Fallon, BP (1994). U2, Faraway So Close. London: Virgin Publishing Ltd. ISBN ISBN 0-86369-885-9 Verifique |isbn= (ajuda) 
  3. «Books by BP». BP Fallon. Consultado em 21 de outubro de 2011 
  4. a b c d e f g h i j Tingen, Paul (Julho-1997). «Pop Art: Flood & Howie B». Sound on Sound. Consultado em 10 de novembro de 2011  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. a b McCormick (2006), p. 265.
  6. a b c McCormick (2006), p. 262.
  7. McCormick (2006), p. 266.
  8. a b c d e f g h «1ste Ultratop-hitquiz». Ultratop. Consultado em 19 de agosto de 2010  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Ultratop" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  9. «ARIA Charts - Accreditations - 1997 Albums». Australian Recording Industry Association. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  10. IFPI Austria
  11. «Search Results: Pop U2». RPM. 17 de março de 1997. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  12. a b «CRIA Certification Results: U2». Music Canada. 30 de abril de 1997. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  13. a b «Kulta - ja platinalevyt» (em Finnish). IFPI Finland. Consultado em 26 de novembro de 2009 
  14. a b NVPI
  15. ZPAV
  16. IFPI Switzerland
  17. «U2 albums». Everyhit.com. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  18. BPI
  19. «U2: Charts and Awards». Allmusic. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  20. «Search the charts». Irishcharts.ie. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  21. a b «U2: Charts and Awards». Allmusic. Consultado em 19 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2009 
  22. «U2 singles». Everyhit.com. Consultado em 19 de agosto de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de U2 é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.