Pop barroco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pop barroco
O cravo é um instrumento musical comum no pop barroco.
Origens estilísticas
Contexto cultural Década de 60, Estados Unidos, Reino Unido.
Instrumentos típicos Cravo, trompa, oboé, seção de cordas
Formas derivadas Chamber pop - Philadelphia soul

Pop barroco (ou rock barroco)[1] é um gênero de fusão que combina rock com elementos típicos da música clássica.[2] Surgiu em meados da década de 1960, uma vez que os artistas possuiam um som majestoso e orquestral, e é identificável pela apropriação de estilos de composição barroca (melodias contrapuntais e padrões de harmonia funcional) e gestos dramáticos ou melancólicos. Os cravos figuram de forma proeminente, enquanto os oboés, as trompas francesas e os quartetos de cordas também são comuns.

Embora os cravos tenham sido empregados para uma série de hits pop desde a década de 1940, a partir da década de 1960, produtores musicais como Phil Spector e Brian Wilson colocaram cada vez mais o instrumento em primeiro plano nos seus arranjos. Inspirado em parte pela música dos Beatles "In My Life" (1965), vários grupos começaram a usar instrumentação barroca e clássica até o início de 1966. O termo "rock barroco" foi inventado em material promocional para o grupo The Left Banke, que freqüentemente usava cravos e violinos em seus arranjos. Sua canção de 1966 "Walk Away Renée" exemplificou o estilo.

A popularidade do pop barroco desapareceu pela década de 1970, em parte porque o punk rock, a música disco e o hard rock assumiram; No entanto, a música ainda era produzida dentro da tradição do gênero. Estilos como Philadelphia soul na década de 1970 e o Chamber pop na década de 1990 incorporaram o espírito do pop barroco.

Início[editar | editar código-fonte]

No início dos anos 60 Phil Spector investe em novas tecnicas de produção, formas de composição e instrumentação associada a musica classica. Foi seguindo a mesma tendencia de Spector que Brian Wilson produziu os trabalhos dos Beach Boys ainda em 1963.

The Zombies em julho de 1964 lança a She's Not There, uma canção muito influente para o estilo pop barroco. Outro registro foi When I Grow Up (To Be a Man) dos The Beach Boys lançada em agosto de 1964, que inclui o cravo.

The Beatles em 1965 gravam Yesterday e In My Life. A partir deste periodo, o grupo explorou em vários discos a influência erudita.

Outros grupos que gravaram no estilo foram; The Moody Blues, The Left Banke, The Rolling Stones, Love e Procol Harum.

Alguns discos que contém o estilo[editar | editar código-fonte]

  • Beach Boys: Today! e Summer Days (And Summer Nights!!) (ambos de 1965), Pet Sounds (1966).
  • Zombies : Begin Here (1965) e Odessey and Oracle (1968).
  • Beatles: Help e Rubber Soul (ambos de 1965), Revolver (1966).
  • Harry Nilsson: Harry (1969), Nilsson Schmilsson (1969)
  • The Moody Blues: Days of Future Passed (1967).
  • Procol Harum: A Whiter Shade of Pale (1967).
  • Arcade Fire: Funeral (2004) e Neon Bible (2007).
  • Fleet Foxes - Fleet Foxes (2008).
  • Panic! At The Disco: A Fever You Can't Sweat Out (2005), Pretty. Odd. (2008), Death of a Bachelor (2016).
  • Lana Del Rey: Born To Die (2012).
  • Florence + the Machine: How Big, How Blue, How Beautiful (2015).

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Rock é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.