Portal:Dakota do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bandeira da Dakota do Sul

Portal da Dakota do Sul

The Mount Rushmore State

Editar
 Flag of South Dakota.svg  O Portal da Dakota do Sul
Localização de Dakota do Sul

Dakota do Sul ou Dacota do Sul (em inglês: South Dakota () é um dos 50 estados dos Estados Unidos, localizado na Região Centro-Oeste do país. A maior parte deste estado localiza-se nas Grandes Planícies americanas. Por causa disto, a maior parte de Dakota do Sul caracteriza-se pelo seu terreno pouco acidentado, relativamente plano. Mais de 90% do estado é coberto por fazendas. A agropecuária tem sido historicamente a principal fonte de renda do estado. O estado é um dos líderes nacionais na produção de trigo. A Dakota do Sul também possui um dos maiores rebanhos de gado bovino do país, embora atualmente as duas maiores fontes de renda do estado sejam a prestação de serviços financeiros e imobiliários e a indústria de manufatura.

Uma das principais fontes de renda de Dakota do Sul é o turismo. Anualmente, milhões de turistas visitam o estado. A região de Black Hills, localizada no oeste do estado, é uma região montanhosa que abriga a principal atração turística do estado, o Monte Rushmore, onde estão esculpidos os bustos de quatro presidentes norte-americanos. Esta enorme escultura é uma das atrações turísticas mais conhecidas dos Estados Unidos, e rendeu ao estado o epíteto The Mount Rushmore State.

O nome do estado provém dos Sioux, que se chamavam a si mesmos de Dakota, que significa "amigo". A região que compõe atualmente a Dakota do Sul foi uma das últimas regiões dos Estados Unidos continental a ser explorada e assentada pelos americanos. Em 1858, o governo americano criaria o Território de Dakota - um território que incluía o que forma atualmente os estados de Dakota do Norte e Dakota do Sul, até então parte do Território de Minnesota. O Território de Dakota seria escassamente povoado até ao século XIX, quando as primeiras ferrovias passando pela região foram construídas ao longo do Território de Dakota, incentivando assim a prática da agricultura na região. Inicialmente, alguns poucos latifundiários dominavam a economia do território. Porém, o sucesso destes latifundiários e as ferrovias atraíram milhares de pessoas à região. Em 2 de novembro de 1889, o Território de Dakota foi dividido nos atuais Dakota do Norte e Dakota do Sul, e ambos foram elevados à categoria de estados.

Sumários temáticos

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Artigos destacados
Fotografia de satélite do parque, com coloração artificial. A verde, vegetação; a rosa ou creme, terreno com pouca ou nenhuma vegetação. A branco/azulado, a rocha nua que constitui as formações geológicas características desta área.

O Parque Nacional das Badlands é um parque nacional localizado no estado do Dakota do Sul, Estados Unidos. Esta área protegida, com cerca de 982 km² de área, possui formações geológicas fortemente escavadas pela erosão, como pináculos, agulhas e buttes. Inclui a maior pradaria protegida nos Estados Unidos.

Uma área de 259 km², denominada Badlands Wilderness, totalmente contida no parque nacional, é uma zona de protecção especial de espécies em perigo de extinção. É feita aqui a reintrodução do toirão americano, o mamífero terrestre em maior perigo na América do Norte.

O termo badlands (em inglês, literalmente "terras más") provém do facto de ser um termo usualmente dado a regiões áridas, especialmente na zona oeste dos Estados Unidos.

A Stronghold Unit ("unidade do forte") é co-administrada pela tribo de Sioux Oglala e inclui locais onde ocorriam a Dança dos Fantasmas e uma antiga zona de testes da Força Aérea dos Estados Unidos.

O parque possui recursos paleontológicos de grande riqueza, com o registo fóssil do Oligoceno mais rico do mundo, datando há entre 23 a 35 milhões de anos. Com estes fósseis pode ser estudada a evolução de espécies de mamíferos como o cavalo, a ovelha, o rinoceronte e o porco.

Registos da presença humana no parque estendem-se por um período de 11 000 anos.


Editar
 Messagebox info.png  História de Dakota do Sul

No mesmo ano em que a Dakota do Sul se tornou um estado americano, um movimento nativo americano teve início nas reservas indígenas sioux do estado. Este movimento pedia pelo retorno das antigas tradições e estilos de vida entre a população Sioux. Estes haviam sido forçados a abandonarem muitas destas tradições e estilos de vida ao serem confinados em pequenas reservas, tornando-se sedentários. O nome deste movimento era Ghost Dance. Este movimento foi considerado uma ameaça pelo governo americano. Seu líder, Sitting Bull, foi assassinado pelos policiais (nativos americanos) enviados para prendê-lo. Muitos dos seguidores de Sitting Bull armaram-se e juntaram-se sob a liderança de Big Foot. Soldados americanos foram enviados para desarmar os nativos americanos. Porém, os soldados americanos acabaram matando cerca de 300 nativos americanos, entre mulheres, crianças e idosos, no Massacre de Wound Creek. Este confronto foi a última tentativa de resistência nativo americana contra a ocupação do interior americano por parte dos americanos de ascendência europeia.

As primeiras décadas como estado são marcadas pela instabilidade da economia e também do irregular crescimento populacional do estado. A população de Dakota do Sul havia crescido rapidamente, durante a época em que a região fazia parte do território de Dakota. Porém, um período de seca prolongada iniciou-se em 1889, e durou até 1897. A agropecuária de Dakota do Sul entrou em um período de grande recessão, e o crescimento populacional do estado ficou estagnada. O fim do período de seca em 1897 e o aumento dos preços de trigo e de milho, bem como o estabelecimento de novas terras livres para cultivo (removidas das reservas nativo americanas, às custas dos nativos americanos) iniciou um novo período de grande aumento populacional e de prosperidade econômica no estado, que perduraria até 1911, quando um novo período de seca se iniciou. O fim deste período de estiagem, em 1914, e a Primeira Guerra Mundial, fizeram com que o estado voltasse a prosperar economicamente.

O maior período de recessão econômica da história de Dakota do Sul teve início durante os meados da década de 1920, quando a diminuição dos preços do trigo e do milho no mercado doméstico e internacional causaram grande endividamento entre fazendeiros. Muitos destes, incapazes de pagarem suas dívidas, foram forçados a cederem suas propriedades aos bancos e mudarem-se para outras regiões. Isto causou a falência de inúmeros estabelecimentos bancários no estado. Esta recessão foi agravada com o início da Grande Depressão, em 1929, e que se estenderia até ao início da década de 1940. Além disso, o período mais prolongado de seca da história de Dakota do Sul abateu-se sobre o estado - de 1930 até 1940 - além de grandes tempestades de areia e enxames de gafanhotos, que causaram a destruição da indústria agrária de Dakota do Sul e grande miséria e pobreza entre muito da população do estado, fez com que muitos abandonassem a Dakota do Sul, e mudassem para outros estados, em busca de oportunidades de trabalho, e diminuindo drasticamente a população do estado, que atingira um máximo de 692 849 habitantes em 1930, para cair para 642 961 habitantes em 1940. Diversos programas de assistência sócio-econômica e construções públicas, por parte do governo de Dakota do Sul e dos Estados Unidos, seriam realizadas em uma tentativa de minimizar os efeitos da recessão.

O Monte Rushmore é uma das atrações turísticas mais famosas do país, atraindo milhões de turistas por ano. A construção desta gigantesca escultura iniciou-se em 1927, tendo sido inaugurada em 1941.

Entre 1927 e 1941, o escultor Gutzon Borglum e 400 trabalhadores esculpiram no Monte Rushmore, em Black Hills, os bustos de quatro presidentes americanos: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln. A inauguração desta gigantesca escultura, próxima à Keystone, serviu como um marco para a história dos Estados Unidos, e fez de Dakota do Sul, eventualmente, um grande polo turístico.

A recessão da década de 1930 teve fim em 1941, com a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, do período de estiagem e da alta dos preços de produtos agropecuários em geral. A Dakota do Sul voltou a prosperar economicamente, passando a vender grandes quantidades de produtos agropecuários para o governo americano. O governo de Dakota do Sul também adotou programas incentivando o turismo e a indústria de manufatura, buscando diminuir a dependência do estado em relação à indústria agropecuária, bem como o êxodo populacional - especialmente jovens - para outros estados. Porém, a diversificação da economia de Dakota do Sul foi lenta e gradual. Entre 1944 e 1966, quatro grandes usinas hidrelétricas foram construídas no estado. A importância do turismo na economia do estado tornaria-se cada vez maior a partir da década de 1960. Uma recessão na indústria agropecuária do estado causaria uma diminuição da população de Dakota do Sul na década de 1960, embora desde 1970, a população do estado tenha crescido continuamente, e o problema do êxodo populacional diminuiu.

Em 1972, grandes enchentes destruíram a Represa Rapid City Canyon Lake. As águas do reservatório acabaram matando 238 pessoas em Rapid City. Em 1973, a vila de Wounded Knee seria invadido e ocupado por cerca de 200 nativos americanos armados. Os nativos americanos exigiram que o governo do estado desse maior atenção aos problemas enfrentados pelas tribos nativo americanas do estado. A vila foi ocupada por 71 dias, sendo que diversos tiroteios ocorreram entre os nativos americanos e tropas militares, onde dois dos protestantes nativo americanos morreram. Em 1980, a Suprema Corte dos Estados Unidos ordenou que o governo americano pagasse 105 milhões de dólares aos Sioux de Dakota do Sul, como indenização da terra confiscada pelo governo americano na década de 1870. Os sioux recusaram, e até os dias atuais procuram o retorno de suas terras.

Durante a década de 1980, a Dakota do Sul buscou tornar-se um polo financeiro, fornecendo benefícios fiscais a bancos que estejam interessadas em instalarem sua sede corporal no estado. Porém, o Delaware forneceu melhores benefícios fiscais, e a maior parte dos bancos buscando instalar-se no estado mudaram-se para o Delaware. Mesmo assim, diversos bancos - primariamente de pequeno ou médio porte - instalaram-se a Dakota do Norte, fazendo da prestação do serviços financeiros a principal fonte de renda do estado desde então. A indústria de manufatura desenvolveu-se drasticamente durante a década de 1990, iniciando um período de relativo grande crescimento populacional, que perdura até os dias atuais.

Política

Editar
 Messagebox info.png  Política de Dakota do Sul
Mapa de Dakota do Sul e de seus 66 condados.

A atual Constituição de Dakota do Sul foi adotado em 1889. Emendas à Constituição são propostas pelo Poder Legislativo de Dakota do Sul, e para ser aprovada, precisa ser aprovada por ao menos 51% do Senado e da Câmara dos Representantes do estado, e então por 51% ou mais da população eleitoral de Dakota do Sul, em um referendo. A população também pode propor emendas à Constituição estadual através de um processo conhecido como iniciativa e referendo, uma petição assinada por ao menos 4% da população do estado. Se estes 4% são alcançados, então um referendo é realizado, onde, para ser aprovada, precisa ter ao menos 51% dos votos a favor. A Dakota do Sul fora o primeiro estado americano a implementar o processo de iniciativa e referendo. Um terceiro método para realizar emendas à constituição é através da realização de uma convenção constitucional, que para ser realizada, precisa ser proposta por uma das câmaras do Legislativo de Dakota do Sul, e aprovadas por 75% dos membros de ambas as câmaras, e então, por ao menos 51% da população eleitoral do estado, através da realização de um referendo.

O principal oficial do Poder Executivo de Dakota do Sul é o governador. Este é eleito pelos eleitores do estado para mandatos de até quatro anos de duração. Uma dada pessoa pode exercer o cargo de governador quantas vezes puder. Outros oficiais escolhidos são o tenente-governador, o tesoureiro, o secretário de Estado, o attorney general, o comissário da agricultura, o superintendente de educação, entre outros oficiais, para mandatos de até 4 anos de duração.

O Poder Legislativo de Dakota do Sul é constituído pelo Senado e pela Câmara dos Representantes. O Senado possui um total de 35 membros, enquanto que a Câmara dos Representantes possui um total de 70 membros. A Dakota do Sul está dividido em 35 distritos legislativos. Os eleitores de cada distrito elegem um senador e dois representantes, que irão representar tal distrito no Senado/Câmara dos Representantes. O termo de ofício dos senadores é de quatro anos de duração, e o termo de ofício dos representantes é de dois anos.

A corte mais alta do Poder Judiciário de Dakota do Sul é a Suprema Corte de Dakota do Sul, composta por cinco juízes. Pessoas que são eleitas pela primeira vez como juiz da Suprema Corte de Dakota do Sul possuem um mandato de até três anos de duração. Após este termo, a população do estado, através de uma nova votação, escolhe entre terminar com o termo de ofício do juiz em questão ou em permitir que ele continue seu ofício. Caso seja reaprovado, o juiz em questão é eleito pela população do estado para um mandato de até oito anos de duração, onde após este período, uma nova votação é realizada. A Dakota do Sul está dividida em sete distritos judiciais, cada uma composta por no mínimo quatro juízes. Estes juízes são eleitos pela população do seus distritos para mandatos de até 8 anos de duração. Estas cortes judiciais são chefiadas por um chefe da justiça, eleitos pelos juízes de suas respectivas cortes para mandatos de até 8 anos de duração.

A Dakota do Sul está dividido em 66 condados. Cada um destes condados é governador por um conselho de comissionadores, composto por três a cinco membros eleitos pela população de seus respectivos condados para mandatos de até quatro anos de duração. A Dakota do Norte possui cerca de 300 cidades. Estas cidades estão livres para escolherem sua estrutura de governo. A maior parte das cidades de Dakota do Sul são governadas por um prefeito e por um conselho municipal.

Cerca de 40% da receita do orçamento de Dakota do Sul é gerada por impostos estaduais, sendo o restante vem de verbas recebidas do governo federal e de empréstimos. Em 2002, o governo do estado gastou 2 772 milhões de dólares, tendo gerado 2 491 milhões de dólares. A dívida governamental de Dakota do Sul é de 2 308 milhões de dólares. A dívida per capita é de 3 036 dólares, o valor dos impostos estaduais per capita é de 1 285 dólares, e o valor dos gastos governamentais per capita é de 3 647 dólares.

Desde a criação de Dakota do Sul em 1889 e de sua elevação à categoria de estado, a Dakota do Sul tem sido dominado politicamente pelo Partido Republicano. O primeiro governador do estado foi um republicano. Historicamente, de cada quatro pessoas eleitas para a posição de governador, três tem sido republicanos. A maioria dos políticos eleitos para posições no Legislativo, em cidades e em condados também são republicanos. A nível nacional, a maioria dos senadores e membros da Câmara dos Representantes federal tem sido republicanos. Os democratas passaram a ganhar crescente força somente a partir da década de 1950, embora ainda em tempos atuais os republicanos dominem politicamente a Dakota do Sul.

Geografia

Editar
 Messagebox info.png  Geografia de Dakota do Sul
Região de badlands de Dakota do Sul.

A Dakota do Sul limita-se ao norte com a Dakota do Norte, a leste com o Minnesota e o Iowa, ao sul com o Nebraska e a oeste com o Wyoming e o Montana. Com quase 200 mil quilômetros quadrados,[1] é o 17º maior estado americano em área do país.

O rio mais importante de Dakota do Sul é o Rio Missouri. O Missouri e seus afluentes banham praticamente todo o estado, com exceção da região nordeste. O maior lago do estado, o Lago Oahe, é artificial, sendo o reservatório da Represa Oahe. Florestas cobrem aproximadamente 4% de Dakota do Sul.

O estado pode ser dividido em quatro distintas regiões geográficas:

  • As Planícies Dissected Till ocupam o sudeste de Dakota do Sul. Caracteriza-se pela presença de grandes quantidades de sedimentos glaciais, deixados por antigas geleiras. Caracteriza-se também pelo seu terreno relativamente plano e pelo seu solo muito fértil. O solo da região é erosionado facilmente, fazendo que rios presentes na região escavem vales muito profundos.
  • O Drift Praire ocupa a maior parte da região oriental de Dakota do Sul. Caracteriza-se pelo seu terreno coberto por pequenos morros achatados, pelo seu solo fértil e pelos seus vários pequenos lagos glaciais, que atraem milhares de patos selvagens anualmente.
  • As Grandes Planícies cobrem a maior parte de Dakota do Sul, cobrindo toda a região central, a maior parte da região ocidental e muito da região oriental do estado. Caracteriza-se pelo seu terreno relativamente pouco acidentado, marcado pela contínua presença de morros pouco elevados, pela sua baixa altitude, e pelo seu solo fértil, embora menos fértil do que o solo do Drift Praire. Badlands - regiões cujo solo foi extensivamente erosionado - são comuns nas Grandes Planícies de Dakota do Sul
  • O Black Hills - a menor das quatro regiões geográficas - cobre o centro-oeste de Dakota do Sul, localizado entre o Rio Belle Fourche e o Rio Cheyenne, sendo um pequeno enclave das Grandes Planícies. O Black Hills caracteriza-se por ser uma região montanhosa, com uma altitude entre 600 e 1 200 metros. A região possui um terreno acidentado, possuindo diversos vales profundos e formações rochosas, e é rica em minerais tais como ouro, prata, cobre e chumbo. Estes acidentes geográficos fazem do Black Hills a principal atração turística de Dakota do Sul. Em uma destas formações rochosas, o Monte Rushmore, está esculpido os bustos de quatro Presidentes americanos. O Black Hills também abriga o ponto mais alto do estado, o Harney's Peak, que possui 2 207 metros de altitude.


Editar
 Messagebox info.png  Clima de Dakota do Sul
Tipos climáticos de Dakota do Sul.

O clima de Dakota do Sul é temperado. Devido ao seu terreno pouco acidentado e distante de grandes massas de água, a Dakota do Sul possui grandes variações de temperatura e um clima instável, embora não tanto quando a instabilidade do clima de Dakota do Norte. Os invernos de Dakota do Norte são frios, enquanto que verões são muito quentes.

No inverno, as temperaturas médias mais altas são registradas no sudoeste do estado, e diminuem à medida que se viaja em direção ao nordeste. A temperatura média no sudoeste é de -6 °C no sudoeste e de -12 °C no nordeste. A média das mínimas é de -12 °C no sudoeste e de -19 °C no nordeste. A média das máximas é de 2 °C no sudoeste e de -4 °C no nordeste. Extremos variam entre -45 °C e 18 °C. A temperatura mais baixa já registrada no estado foi de -50 °C, registrada em McIntosh, em 17 de fevereiro de 1936.

No verão, as temperaturas mais altas são registradas no sudeste, e diminuem à medida que se viaja em direção ao norte, ou na região montanhosa de Black Hills. A temperatura média no sudeste, é de 26 °C, e de 20 °C no noroeste e no Black Hills. A média das mínimas é de 14 °C no sudoeste e de 11 °C no noroeste, e a média das máximas é de 32 °C no sudoeste e de 25 °C no noroeste. Extremos variam entre 2 °C e 44 °C. A temperatura mais alta já registrada no estado foi de 49 °C, registrada em Gannvalley, em 5 de julho de 1936.

A Dakota do Sul possui baixas taxas de precipitação média anual de chuva. Nenhuma parte do estado recebe mais do que 70 centímetros de chuva por ano. As taxas de precipitação são maiores na região de Black Hills e no leste do estado - que recebem cerca de 62 centímetros anuais - e diminuem à medida que se viaja em direção a oeste, onde certas regiões recebem menos de 30 centímetros anuais de chuva. A taxa de precipitação de neve no estado é de 64 centímetros no sudeste e de 33 centímetros no noroeste do estado.

Cultura

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Biografia selecionada

George Armstrong Custer (New Rumley, 5 de dezembro de 1839 — Montana, 25 de junho de 1876) foi um oficial do exército dos Estados Unidos e comandante de uma unidade de cavalaria durante a Guerra Civil Americana e as Guerras Indígenas. Criado em Michigan e Ohio, Custer foi aceito em West Point em 1857 e se formou em último da sua classe em 1861, com a patente de segundo-tenente. Com o começo da guerra civil no país, Custer foi convocado a servir no Exército da União.

Custer desenvolveu uma boa reputação militar durante a guerra civil nos Estados Unidos. O primeiro grande combate que participou foi a Batalha de Bull Run, em 21 de julho de 1861, próximo de Washington, D.C.. Sua associação com vários oficiais de alta patente durante o conflito ajudou a catapultar sua carreira, além de suas habilidades como comandante de cavalaria. Custer recebeu um mandado (brevet) de general de brigada aos 23 anos, uma semana antes da Batalha de Gettysburg, onde ele liderou um ataque de cavalaria contra uma tropa confederada que pretendia reforçar os companheiros no ataque de Pickett. Custer foi mais tarde ferido na batalha de Culpeper, na Virgínia, em 13 de setembro de 1863. Em 1864, ele recebeu uma comendação por bravura, além de mais um mandado, o promovendo, em caráter temporário, para major-general. Na conclusão da Campanha de Appomattox (março-abril de 1865), onde ele e suas tropas desempenharam um papel fundamental, Custer estava presente quando o general Robert E. Lee se rendeu para Ulysses S. Grant, em 9 de abril de 1865.

Após a guerra civil, Custer continuou no exército, mantendo a patente de capitão e depois foi apontado como tenente-coronel no 7º Regimento de Cavalaria americana, em julho de 1866. Ele foi despachado para o oeste, em 1867, para lutar contra os índios. Em 25 de junho de 1876, enquanto liderava seus homens na Batalha de Little Bighorn, no Território de Montana, contra uma coalizão de tribos indígenas, Custer e todo o seu destacamento — que incluía seus dois irmãos — foram mortos. Sua derrota fatídica acabou obscurecendo seus feitos anteriores em guerra. Muitos o saudaram como um herói trágico, que lutou até a morte junto com seus soldados. Outros o culpam pelo massacre, afirmando que ele recusou ofertas de reforços, querendo receber toda a glória de uma eventual vitória. Sua reputação militar nos Estados Unidos segue controversa.

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Educação em Dakota do Sul

A primeira escola pública de Dakota do Sul foi fundada em 1860, em Bon Homme, embora esta escola tenha sido demolida apenas três meses depois, e seu material, usado para a construção de uma muralha de defesa contra ataques indígenas. Em 1862, o governo do território de Dakota criou um sistema de educação pública. Em 1864, o governo do território indicaria o primeiro superintendente de educação pública do território. A primeira escola construída em caráter permanente na Dakota do Sul foi fundada em 1865, em Vermillion. Quando os estados de Dakota do Norte e Dakota do Sul foram criados, cada uma continuou a suportar economicamente todas as escolas de língua inglesa no Estado. Posteriormente, o Estado também passaria a fornecer verbas a escolas que ensinassem idiomas nativos americanos em reservas indígenas.

Atualmente, todas as instituições educacionais em Dakota do Sul precisam seguir regras e padrões ditadas pelo Conselho Estadual de Educação de Dakota do Sul. O Conselho é composto por nove membros indicados pelo governador e aprovados pelo Senado, para termos de ofício de até quatro anos de duração. Cada cidade primária (city), diversas cidades secundárias (towns) e cada condado, é servida por um distrito escolar. Nas cidades, a responsabilidade de administrar as escolas é do distrito escolar municipal, enquanto que em regiões menos densamente habitadas, esta responsabilidade é dos distritos escolares operando em todo o condado em geral. Cada distrito escolar possui seus próprios superintendentes. A Dakota do Sul não permite a operação de escolas charter - escolas públicas independentes, que não são administradas por distritos escolares, mas que dependem de verbas públicas para operarem. Atendimento escolar é compulsório para todas as crianças e adolescentes com mais de seis anos de idade, até a conclusão do segundo grau ou até os quinze anos de idade.

Em 1999, as escolas públicas do estado atenderam cerca de 131 mil estudantes, empregando aproximadamente 9,4 mil professores. Escolas privadas atenderam cerca de 9,4 mil estudantes, empregando aproximadamente 700 professores. O sistema de escolas públicas do Estado consumiu cerca de 697 milhões de dólares, e o gasto das escolas públicas foi de aproximadamente 5,6 mil dólares por estudante. Cerca de 88,7% dos habitantes do Estado com mais de 25 anos de idade possuem um diploma de segundo grau.

As primeiras bibliotecas públicas de Dakota do Sul foram fundadas durante a década de 1880. Atualmente, o estado possui 126 sistemas de bibliotecas públicas diferentes, que movimentam anualmente uma média de 8 livros por habitante. A primeira instituição de educação superior fundada no estado foi a Faculdade Yankton, fundada em 1881, e fechada em 1984. Atualmente, o estado possui 27 instituições de educação superior, dos quais 14 são públicas e 13 são privadas. Destas instituições, 10 são universidades e 17 são faculdades. A maior universidade do estado é a Universidade Estadual de Dakota do Sul.

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Transportes e comunicações

A primeira ferrovia conectando a Dakota do Sul com outras regiões do país foi inaugurada em 1872, em Vermillion. A Dakota do Sul em 2002 contava 2 956 km de ferrovias. Em 2003, a Dakota do Sul possuía 134 683 km de vias públicas, dos quais 1 093 km eram rodovias interestaduais, considerados parte do sistema federal rodoviário dos Estados Unidos.

Atualmente, duas companhias ferroviárias fornecem transporte de carga, e a Amtrak fornece serviço de transporte de passageiros. O aeroporto mais movimentado de Dakota do Sul é o Aeroporto Internacional de Sioux Falls. Muitos aeródromos estão espalhados em áreas rurais de Dakota do Sul, conectando regiões mais isoladas com o restante do estado. Sioux Falls é o principal pólo rodoviário, ferroviário e aeroportuário do estado.

O primeiro jornal do estado, o The Dakota Democrat, foi publicado pela primeira vez em 1859, em Sioux Falls. O jornal mais antigo do estado ainda em circulação, por sua vez, é o Weekly Dakotian, jornal semanal impresso pela primeira vez em 1861, em Sioux Falls, e que tornaria-se em 1875 o atual Daily Dakotian, de circulação diária. Atualmente são publicados no estado cerca de 125 jornais, dos quais nove são diários. São impressos na Dakota do Sul cerca de 20 periódicos diferentes.

A primeira estação de rádio de Dakota do Sul foi fundada em 1922, em Rapid City. A primeira estação de televisão foi fundada em 1953, em Sioux Falls. Atualmente há no estado 83 estações de rádio - dos quais 36 são AM e 47 são FM - e 19 estações de televisão.

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Demografia de Dakota do Sul
Crescimento populacional
Censo Pop.
18604 837
187011 776143,5%
188098 268734,5%
1890348 600254,7%
1900401 57015,2%
1910583 88845,4%
1920636 5479,0%
1930692 8498,8%
1940642 961−7,2%
1950652 7401,5%
1960680 5144,3%
1970665 507−2,2%
1980690 7683,8%
1990696 0040,8%
2000754 8448,5%
2010814 1807,9%
2020886 6678,9%
Fonte: US Census

O censo nacional de 2000 estimou a população de Dakota do Sul em 754 844 habitantes, um crescimento de 8,5% em relação à população do estado em 1990, de 696 004 habitantes. Uma estimativa realizada em 2005 estima a população em 775 933 habitantes, um crescimento de 11,4% em relação à população do estado em 1990, de 2,8%, em relação à população em 2000, e de 0,7% em relação à população estimada em 2004.

O crescimento populacional natural de Dakota do Sul entre 2000 e 2005 foi de 19 199 habitantes - 56 247 nascimentos menos 37 048 óbitos - o crescimento populacional causado pela imigração foi de 3 957 habitantes, enquanto que a migração interestadual resultou no ganho de 735 habitantes. Entre 2000 e 2005, a população do estado cresceu em 21 089 habitantes, e entre 2004 e 2005, em 5 312 habitantes.

6,8% da população de Dakota do Sul tem menos de 5 anos de idade, 26,8% menos de 18 anos de idade, e 14,3% 65 anos de idade ou mais. Pessoas do sexo feminino compõem aproximadamente 50,4% da população do estado.

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Desportos em Dakota do Sul
Brock Lesnar in March 2015.jpg

Brock Edward Lesnar (Webster, 12 de julho de 1977) é um lutador profissional americano, ex-lutador de artes marciais mistas (MMA), lutador amador e jogador de futebol profissional que possui cidadania americana e canadense. Ele está atualmente assinado com a WWE. Nas histórias da WWE, ele é um agente livre, permitindo que ele apareça em qualquer divisão da WWE. Ele é a única pessoa a deter os principais títulos dos pesos pesados ​​na WWE, Ultimate Fighting Championship (UFC), New Japan Pro-Wrestling (NJPW), e National Collegiate Athletic Association (NCAA). No geral, ele é onze vezes campeão mundial nas principais promoções de pro-wrestling (WWE e NJPW).

Lesnar competiu no wrestling amador pela Universidade de Minnesota, vencendo o Campeonato Nacional da NCAA Division I em 2000. Ele logo assinou com a World Wrestling Federation (WWF, agora WWE), ganhando destaque na indústria em 2002 ao vencer o Campeonato da WWE aos 25 anos. , estabelecendo o recorde para o lutador mais jovem a vencer o campeonato. Em 2004, Lesnar deixou a WWE para se juntar ao Minnesota Vikings da National Football League (NFL), mas foi cortado da equipe durante a pré-temporada. Ele ganhou o Campeonato Peso-Pesado da IWGP em 2005 enquanto estava na NJPW, e re-assinou com a WWE em 2012; seu reinado de 504 dias como Campeão Universal é o sétimo mais longo reinado de campeonato mundial na história da promoção. Lesnar também é um vencedor do Royal Rumble, vencedor do Money in the Bank, vencedor do torneio King of the Ring, e encabeçou vários eventos pay-per-view, incluindo o principal evento da WWE, WrestleMania, quatro vezes (XIX, 31, 34 , e 36), além disso, ele também encerrou a sequência invicta de The Undertaker na WrestleMania em 2014.

Lesnar começou uma carreira no MMA em 2007, e assinou com o UFC em 2008. Ele rapidamente ganhou o Campeão Peso Pesado do UFC, mas foi afastado com diverticulite em 2009. Em seu retorno em 2010, Lesnar derrotou o campeão interino dos pesos pesados ​​do UFC Shane Carwin para unificar o campeonatos dos pesos pesados, tornando-se o único indiscutível campeão peso-pesado do UFC. Após uma série de derrotas e mais lutas com diverticulite, Lesnar se aposentou do MMA em 2011. Ele retornou em 2016 e derrotou Mark Hunt; sua vitória foi revertida para um no-contest depois que Lesnar testou positivo para clomifeno, uma substância proibida na política antidoping do UFC. Lesnar então se aposentou do MMA pela segunda vez em 2017. Uma sensação de bilheteria, Lesnar competiu em alguns dos eventos pay-per-view mais vendidos da história da promoção, incluindo o UFC 91, UFC 100, UFC 116 e UFC 121.

Editar
 Flag of South Dakota.svg  Categorias
Editar
 Flag of South Dakota.svg  Tópicos
  • Árvore: Picea
  • Bebida: Leite
  • Cavalo: Raça Nokota
  • Cognomes:
    • Mount Rushmore State
    • Coyote State (não oficial)
  • Dança quadrilha
  • Esporte: Rodeio
  • Flor: Pulsatilla
  • Fóssil: Madeira petrificada tipo Teredo
  • Gema: Ágata
  • Grama: Agropyron smithii
  • Inseto: Abelha
  • Lema: Under God the People Rule (Sob Deus o Povo Reina)
  • Mamífero: Coiote
  • Mineral: Quartz
  • Música: Hail, South Dakota!
  • Pássaro: Faisão
  • Peixe: Sander vitreus
  • Pão: Taco navajo
  • Slogan: Great Faces. Great Places. (Grandes Rostos. Grandes Lugares.)
  • Sobremesa: Kuchen
Editar
 Flag of South Dakota.svg  Portais relacionados




Territórios fronteiriços

Aqueles listados em negrito itálico são Portais em destaque.


Editar
 Flag of South Dakota.svg  Wikimedia


  1. «United States Summary: 2010 Population and Housing Unit Counts» (PDF). census.gov. Departamento do Censo dos Estados Unidos (setembro de 2012). Consultado em 9 de maio de 2021 

Purgar cache do servidor