Porto Seguro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Porto Seguro (desambiguação).
Porto Seguro
  Município do Brasil  
Vista do litoral de Porto Seguro a partir do centro histórico
Vista do litoral de Porto Seguro a partir do centro histórico
Símbolos
Bandeira de Porto Seguro
Bandeira
Brasão de armas de Porto Seguro
Brasão de armas
Hino
Lema Jam ante brasilian ego
"Antes do Brasil, Eu"
Apelido(s) "Terra Mãe do Brasil"
Gentílico porto-segurense[1]
Localização
Localização de Porto Seguro na Bahia
Localização de Porto Seguro na Bahia
Porto Seguro está localizado em: Brasil
Porto Seguro
Localização de Porto Seguro no Brasil
Mapa de Porto Seguro
Coordenadas 16° 27' S 39° 03' 54" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Região intermediária[2] Ilhéus-Itabuna
Região imediata[2] Eunápolis-Porto Seguro
Municípios limítrofes Santa Cruz Cabrália, Eunápolis, Itabela, Itamaraju e Prado
Distância até a capital 707 km
História
Fundação 1535 (484 anos)[3]
Emancipação 30 de junho de 1891 (128 anos)[3][4]
Aniversário 30 de junho[3][4]
Administração
Distritos
Prefeito(a) Claudia Silva Santos Oliveira (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 2 287,085 km²
População total (IBGE/2019[6]) 148 686 hab.
 • Posição BA: 13°
Densidade 65,01 hab./km²
Clima tropical oceânico (Af)
Altitude 4 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 45810-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,676 médio
Gini (PNUD/2010[8]) 0,56
PIB (IBGE/2016[9][10]) R$ 2 523 425,43 mil
PIB per capita (IBGE/2016[9]) R$ 17 114,47
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Pena
www.portoseguro.ba.gov.br (Prefeitura)
www.cmps.ba.gov.br (Câmara)

Porto Seguro é um município situado no sul do estado da Bahia, no Brasil. Compartilha, com os municípios limítrofes de Santa Cruz Cabrália e Prado, a primazia de ser o local de chegada dos portugueses ao Brasil em 1500, ocorrida aproximadamente três meses após o descobrimento do Brasil pelo navegador espanhol Vicente Yáñez Pinzón em Pernambuco.[11][12][13] O vilarejo que deu origem ao município de Porto Seguro foi fundado em 1535 e está tombado em quase sua totalidade pelo patrimônio histórico, não sendo permitida a construção de prédios altos (com mais de dois andares).[3][14] É cortado pelo Rio Buranhém.

Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2019, era de 148 686 habitantes.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Por volta do ano 1000, as tribos indígenas tapuias que habitavam a região foram expulsas para o interior do continente devido à chegada de povos tupis procedentes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros portugueses à região, a mesma era habitada pela tribo tupi dos tupiniquins.[15]

Porto Seguro localiza-se na região que foi, oficialmente, a primeira a que chegaram os navegadores portugueses no atual território brasileiro. Em 22 de abril de 1500, o navegador Pedro Álvares Cabral avistou terra firme, após ter deixado a costa africana um mês antes. O lugar avistado foi o Monte Pascoal, 62 quilômetros ao sul de Porto Seguro. No dia seguinte, os portugueses desembarcaram em terra firme pela primeira vez no atual território brasileiro, num local cujo ponto exato ainda é debatido pelos historiadores.

Em 24 de abril, a expedição ancorou em Porto Seguro. A cidade teve seu primeiro fortim levantado em 1504 por Gonçalo Coelho. Em 1530, quando o comércio com as Índias Orientais enfraqueceu, Portugal passou a se interessar pela nova terra descoberta e veio dela tomar posse. Terra esta que lhe cabia pelo Tratado de Tordesilhas. Na época colonial, Porto Seguro era chamada de Nhoesembé.[16]

Antiga prisão
Igreja Matriz de Nossa Senhora da Pena

Visitar o sítio histórico da Cidade Alta de Porto Seguro é quase uma obrigação para os milhares de turistas que chegam a Porto Seguro - cidade Monumento Nacional instituída por decreto presidencial em 1973. Um dos primeiros núcleos habitacionais do Brasil, Porto Seguro, além de ostentar o Marco do Descobrimento, desempenhou papel importante nos primeiros anos da colonização. São desta época prédios históricos que podem ser visitados durante o dia ou apreciados à noite, quando sob efeito de iluminação especial.

O passeio histórico pode começar pelo Marco do Descobrimento, de onde se descortina uma das mais belas paisagens do litoral de Porto Seguro. O marco veio de Portugal entre 1503 e 1526 e simboliza o poder da coroa portuguesa, utilizado para demarcar suas terras. Todo em pedra de cantaria, de um lado está esculpida a cruz da Ordem de Avis e, do outro, o brasão de armas de Portugal.

Na mesma área, está a Igreja Matriz Nossa Senhora da Pena, construída em 1535 pelo donatário da capitania, Pero do Campo Tourinho. Aí estão guardadas imagens sacras dos séculos XVI e XVII, entre elas a de São Francisco de Assis - primeira imagem trazida para o Brasil - e a de Nossa Senhora da Pena, padroeira da cidade, festejada a 8 de setembro. Para se ter uma melhor ideia de como era a capitania no século de Tourinho e da chegada dos jesuítas, pode-se ler alguns trechos das cartas escritas por Manuel da Nóbrega ou por José de Anchieta, padres da Companhia de Jesus, sobre a região.

Mais adiante, o Paço Municipal ou Casa de Câmara e Cadeia, datada do século XVIII, uma das mais belas construções do Brasil colônia. Nesse prédio, funciona o Museu Histórico da Cidade ou Museu do Descobrimento. A igreja da Misericórdia, ou do Senhor dos Passos, de estilo singelo, guarda imagens barrocas, destacando-se a do Senhor dos Passos e a de Cristo crucificado.

Ainda em meio do casario tombado como monumento nacional, se ergue a igreja de são Benedito, ao lado das ruínas da antiga residência e colégio dos jesuítas. A igreja foi construída pelos jesuítas em 1551 e era conhecida como de São Pedro e de Nossa Senhora do Rosário. Do lado oposto, ainda na Cidade Alta, localizam-se a estação rodoviária e o aeroporto.

No século XVII, o fortim que havia sido levantado por Gonçalo Coelho foi reforçado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[17] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Ilhéus-Itabuna e Imediata de Eunápolis-Porto Seguro.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Porto Seguro, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Sul Baiano.[18]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é sempre quente no verão, com picos de 42 graus centígrados e ameno no inverno, com média de 25 graus e mínimas de 15 graus centígrados.

Nos meses de julho e agosto, a probabilidade de chuvas é maior.

Litoral e praias[editar | editar código-fonte]

Praia do Mucugê, em Arraial d'Ajuda

O município de Porto Seguro conta com um extenso litoral, com cerca de 85 km, de praias de areia fina, branca que está dividido pela foz do rio Buranhém, rio que conta com cerca de quinhentos metros de largura na sua foz, em litorais norte e sul. O litoral norte possui uma infraestrutura de nível internacional e o litoral sul também está chegando a esse nível. As praias de Porto Seguro são:

Transportes[editar | editar código-fonte]

Aeroviário[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Porto Seguro foi inaugurado no ano de 1982. Seu terminal de passageiros era bem simples e pequeno (hoje, este prédio é ocupado pelo corpo de bombeiros da cidade). Em 1997, o aeroporto foi reinaugurado, tendo recebido um novo terminal de passageiros, novo pátio de estacionamento de aeronaves e ampliação da pista de pouso para operar com aeronaves de grande porte.

Em 2012, o aeroporto passou por uma reforma geral, quando todas as suas instalações foram ampliadas pela Sinart (administradora do aeroporto) juntamente com o governo federal.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Porto Seguro apresenta a seguinte subdivisão administrativa:[19][5]

Distritos[editar | editar código-fonte]

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Porto Seguro (sede)
  • Centro
  • Campinho
  • Pacatá
  • Pequi
  • Areião (centro)
  • Manoel Carneiro
  • Village
  • Baixo Mundaí
  • Alto Mundaí
  • Taperapuã
  • Paraíso dos Pataxós
  • Tabapiri
  • Outeiro da Glória
  • Outeiro de São Francisco
  • Vale Verde
  • Vera Cruz
  • Pindorama
  • Agrovila
  • Frei Calixto - Baianão[20]
  • Nilo Fraga
  • Areial (Baianão)
  • Casa Nova
  • Mercado do Povo
  • Gravatá
  • Olhos d'Água
  • Praça do Coelho
  • Mirante Caravelas
  • José Fontana I e II
  • Cambolo
  • Cambolinho
  • Sapoti
  • Miraporto
  • Parque Ecológico João Carlos I, II e III
  • Paraguai
  • Vila Valdete
  • Vila Jardim (Ubaldinão)
  • Vila Vitória
  • Vila Parracho
  • Vista Alegre I e II
  • Porto Alegre I e II
  • Quinta do Descobrimento
  • Ibiruçu de Dentro

Economia[editar | editar código-fonte]

Vista aérea do centro da cidade

A cidade é, hoje, considerada um dos mais importantes pontos turísticos do Brasil, recebendo turistas oriundos do centro-sul do país e de países como Argentina, Portugal, Estados Unidos, Israel e França. O lugar conta também com uma ou duas dezenas de hotéis de luxo e centenas de hotéis e pousadas menores, mas de boa qualidade e ainda com um aeroporto internacional com capacidade para o pouso de aviões de porte semelhante ao dos Boeing 767 e Airbus A310.

Para além do turismo, outras atividades importantes são a agricultura (com destaque para o caju, o coco), o reflorestamento com eucalipto, a pecuária, o comércio e os serviços.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Televisão: A Cidade recebe sinal das emissoras de televisão de Itabuna através da TV Santa Cruz (afiliada Rede Globo) ou da Record Bahia Itabuna. As demais emissoras o sinal vem direto de Salvador como a TV Aratu (afiliada SBT) ou da Band Bahia.

Emissoras de televisão
Emissoras de rádio
Balsas no Rio Buranhém, principal acesso ao distrito de Arraial d'Ajuda.

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Porto Seguro». Consultado em 23 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. a b c d Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Porto Seguro - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 10 de setembro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 15 de setembro de 2014 
  4. a b Câmara Municipal (30 de junho de 2017). «Câmara comemora aniversário da cidade com a entrega da comenda Terra Mãe do Brasil a moradores». Consultado em 12 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Porto Seguro - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 12 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  6. «estimativa_dou_2019.xls». ibge.gov.br. Consultado em 05 de outubro de 2019  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 7 de agosto de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  8. Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). «Perfil - Porto Seguro, BA». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de março de 2014. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  9. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 a 2016». Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 12 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  11. Henri Beuchat. «Manual de arqueología americana» (em espanhol). p. 77. Consultado em 27 de abril de 2019 
  12. Antonio de Herrera y Tordesillas. «Historia general de los hechos de los Castellanos en las islas y tierra firme de el Mar Oceano, Volume 2» (em espanhol). p. 348. Consultado em 27 de abril de 2019 
  13. BUENO, E. A Viagem do Descobrimento. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. p.89
  14. «Plano Diretor Urbano de Porto Seguro» (PDF). Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  15. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.
  16. NAVARRO, E. A. Método Moderno de Tupi Antigo. Terceira edição. São Paulo: Global, 2005. p.26
  17. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 12 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2019 
  18. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 12 de janeiro de 2019 
  19. «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 3 de junho de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2011 
  20. «"O Baianão a nossa História"». "Site: O Baianão . net". [s.d.] Consultado em 24 de abril de 2017 
  21. a b c d «Geminações de Cidades e Vilas Portuguesas». ANMP - Associação Nacional de Municípios Portugueses. Consultado em 24 de abril de 2017 
  22. «Relações Externas de Setúbal». Câmara Municipal de Setúbal. Consultado em 24 de abril de 2017. Arquivado do original em 13 de abril de 2012 
  23. a b «Geminação estreita laços entre Porto Seguro e Portugal». Radar64.com. Consultado em 24 de abril de 2017 
  24. «Relações Internacionais e Cooperação de Viana do Castelo». Câmara Municipal de Viana do Castelo. Consultado em 24 de abril de 2017 
  25. «Cidades Geminadas com Porto Seguro». Consultado em 24 de abril de 2017. Arquivado do original em 29 de novembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Porto Seguro