Porto de Mós

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o município brasileiro, veja Porto de Moz.
Porto de Mós
Brasão de Porto de Mós Bandeira de Porto de Mós
Porto de Mós2.jpg
Porto de Mós, panorâmica geral
Localização de Porto de Mós
Gentílico Portomosense;
Porto-mosense
Área 261,83 km²
População 24 342 hab. (2011)
Densidade populacional 93  hab./km²
N.º de freguesias 10
Presidente da
câmara municipal
João Salgueiro (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1305
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Pinhal Litoral
Distrito Leiria
Antiga província Estremadura
Orago São Pedro
Feriado municipal 29 de Junho
Código postal 2480
Sítio oficial http://www.municipio-portodemos.pt/
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
Pelourinho de Porto de Mós

Porto de Mós é uma vila portuguesa pertencente ao distrito de Leiria, região Centro e sub-região do Pinhal Litoral, com cerca de 4000 habitantes.[1]

É sede de um município com 261,83 km² de área[2] e 24 342 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 10 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelos municípios de Leiria e da Batalha, a leste por Alcanena, a sul por Santarém e Rio Maior e a oeste por Alcobaça.

História[editar | editar código-fonte]

Segundo a lenda da Nazaré, o cavaleiro D. Fuas Roupinho, miraculado por Nossa Senhora da Nazaré, em 1182, foi alcaide de Porto de Mós. Segundo outras fontes, venceu um grande exército muçulmano que cercava o castelo, recorrendo ao estratagema de se esconder previamente na serra com parte dos seus homens. Derrotou o inimigo com um ataque surpresa ao seu acampamento, durante a noite.

O concelho de Porto de Mós foi pertença dos Coutos de Alcobaça em 1230, doado por D. Sancho II, influenciando por muitos séculos a vida e os hábitos desta região que mais tarde foi entregue, por D. João I, a D. Nuno Álvares Pereira e à Casa de Bragança, após a decisiva Batalha de Aljubarrota, a 14 de Agosto de 1385.

Em 1895 o concelho de Porto de Mós foi extinto e passou a pertencer ao concelho de Alcobaça, no entanto este período foi de curta duração, já que em 1898 voltou a ter o estatuto de concelho, mas sem a freguesia de Minde que juntou ao concelho de Torres Novas.

A vila recebeu foral de D. Dinis em 1305 e mais tarde recebeu o foral Manuelino de D. Manuel em 1515.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Porto de Mós situa-se na Região Centro de Portugal, em pleno Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

Do ponto de vista morfológico podem distinguir-se, no Maciço Calcário Estremenho do PNSAC, três subunidades – a Serra dos Candeeiros a oeste, o Planalto de Santo António ao centro e sul, e o Planalto de São Mamede e a Serra de Aire, a norte e este, respetivamente. A separar estas subunidades encontram-se três depressões originadas por grandes fraturas, respetivamente a depressão da Mendiga, o Polje de Mira-Minde e a depressão de Alvados.

Apesar da ausência de cursos de água superficiais nesta região, a água existe em abundância no subsolo, constituindo um dos maiores reservatórios de água doce subterrânea do nosso país que se estende entre Rio Maior e Leiria.

A ação das águas, como agente físico-químico modelador dos calcários, originou uma paisagem marcada por formas de relevo características, como escarpas e afloramentos rochosos, que lhe conferem um traço vigoroso. De entre essas formas podem-se destacar, ainda, os campos de lapiás e as dolinas. A nível subterrâneo sobressaem os algares - aberturas naturais verticais - em alguns casos com dezenas de metros, e que por vezes se desenvolvem em profundidade por sistemas de galerias, salas e poços que, no seu conjunto, formam grutas.[7]

Economia[editar | editar código-fonte]

O concelho de Porto de Mós é essencialmente industrial, sendo predominante a indústria transformadora. Contudo, é a indústria da calçada portuguesa que tem levado o seu nome a percorrer mercados internacionais.

O setor primário é pouco significativo no concelho, empregando 5% a 8% da população em atividades ligadas à agricultura, pecuária, suinicultura e às indústrias extrativas. As freguesias mais rurais do concelho (Alcaria, Arrimal, São Bento e Serro Ventoso) são aquelas em que este tipo de atividades predomina.

O setor secundário emprega cerca de 55% dos habitantes do concelho. Destaca-se a indústria transformadora, com 457 empresas sediadas no município (segundo o último levantamento do INE, em 2001). Dentro deste setor, predominam as indústrias de fabrico de produtos minerais não metálicos (146, segundo dados do INE - 2001). As freguesias de Calvaria de Cima, Juncal, Pedreiras e Mira de Aire são as que mais cidadãos empregam na atividade industrial.

A construção civil tem vindo a apresentar um aumento considerável, causado pelo crescimento populacional e pelo aumento das obras públicas.

Ao longo dos últimos anos, o setor terciário tem apresentado um desenvolvimento considerável, particularmente nas freguesias da sede do concelho - S. João Baptista e São Pedro. Atualmente, cerca de 28% a 30% da população integra-se neste setor e encontra-se distribuída entre a atividade comercial e a função pública.

De uma forma geral, o concelho tem tentado reunir as melhores condições para a criação e estabelecimento efetivo de empresas na região, nomeadamente com a criação e investimento nas zonas industriais de Porto de Mós, Juncal e Mira de Aire, que tem mantido um registado um crescimento continuado. Mas, como já foi referido, é a Calçada à Portuguesa que merece destaque na caracterização económica de Porto de Mós, por ser tão característica da região. A pedra extraída no concelho está presente numa série de obras no país e no estrangeiro, figurando até nas paredes de alguns palácios árabes no Iraque. A pedra preta, proveniente de Alqueidão da Serra, Mendiga e São Bento, tem vindo a marcar território nos mercados europeus, americanos e chineses. E, precisamente porque a calçada é uma mais valia para o concelho, a Casa do Povo do Alqueidão da Serra criou, recentemente, o Prémio Nacional de Calçada à Portuguesa, para galardoar os melhores trabalhos feitos com pedra nacional.[8]

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [9]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
9 883 10 860 11 834 12 554 14 533 14 604 16 296 18 796 20 524 21 220 20 412 21 700 23 343 24 271 24 342

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [10]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 4 453 4 861 4 783 5 678 6 352 6 217 6 136 5 850 5 314 4 686 3 909 3 658
15-24 Anos 1 913 2 373 2 659 2 789 3 160 3 802 3 675 3 070 3 722 3 673 3 491 2 547
25-64 Anos 5 008 5 394 5 842 6 500 7 481 8 644 9 588 9 265 10 081 11 685 12 635 13 077
= ou > 65 Anos 1 028 963 1 045 1 393 1 468 1 548 1 821 2 105 2 583 3 299 4 236 5 060
> Id. desconh 25 5 46 14 67

(Obs.: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente.)

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Porto de Mós.
O concelho de Porto de Mós está dividido em 10 freguesias:

Património[editar | editar código-fonte]

Castelo de Porto de Mós

O concelho de Porto de Mós possui o seguinte património arquitetónico e histórico:

Feiras e mercados[editar | editar código-fonte]

  • Feira dos Sete - dias 7 de cada mês durante a tarde, na freguesia de Alvados
  • Mercado Municipal de Porto de Mós - sextas-feiras durante a manhã, em Porto de Mós
  • Mercado Municipal de Mira de Aire - sábados durante a manhã, na freguesia de Mira de Aire

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. INE (2013). Anuário Estatístico da Região Centro 2012. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 30. ISBN 978-989-25-0217-5. ISSN 0872-5055. Consultado em 5 de maio de 2014 
  2. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013 
  3. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 100. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  4. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. «História - Município de Porto de Mós». www.municipio-portodemos.pt. Consultado em 23 de junho de 2017 
  7. «Geografia - Município de Porto de Mós». www.municipio-portodemos.pt. Consultado em 22 de junho de 2017 
  8. «Economia - Município de Porto de Mós». www.municipio-portodemos.pt. Consultado em 22 de junho de 2017 
  9. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  10. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  11. «Resolução da Assembleia da República nº 20/2014». Diário da República. Consultado em 12 de Março de 2014 
  12. «Praia Jurássica com 166 milhões de anos em São Bento». Municipio de Porto de Mós. Consultado em 12 de Março de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Porto de Mós


Concelhos do distrito de Leiria LocalDistritoLeiria.svg
ACB1.png AVZ.png ANS.png BTL.png BBR.png CLD.png CPR.png FVN.png LRA.png MGR1.png NZR.png OBD.png PGR.png Brasão de Peniche.jpg PBL1.png PMS.png
Alcobaça Alvaiázere Ansião Batalha Bombarral Caldas da Rainha Castanheira de Pera Figueiró dos Vinhos Leiria Marinha Grande Nazaré Óbidos Pedrógão Grande Peniche Pombal Porto de Mós

0