Portugol Studio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugol Studio
Desenvolvedor Univali LITE
Plataforma x86 e x64
Lançamento 7 de julho de 2009 (12 anos) (1.0)
Versão estável 2.7.4 (19 de julho de 2019; há 2 anos)
Idioma(s) Português
Escrito em Portugol 2.0
Sistema operativo Windows, Linux e MacOS
Gênero(s) ambiente de desenvolvimento integrado
Licença GPL 3.0
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho 121 à 126 MB dependendo do sistema operativo
Página oficial http://lite.acad.univali.br/portugol/

O Portugol Studio é uma ferramenta para aprender programação, voltada para as pessoas que falam o idioma português. Possui uma sintaxe fácil baseada em C e PHP, diversos exemplos e materiais de apoio à aprendizagem. Também possibilita a criação de jogos e outras aplicações[1].

História[editar | editar código-fonte]

Tela de programação da versão 2.6 do Portugol Studio com o jogo exemplo Programe em destaque executando

Foram feitos alguns estudos de como o aprendizado de programação pode ser difícil para iniciantes, principalmente usando IDEs profissionais. Além disso, as linguagens de programação usam, na maioria, o idioma inglês, uma barreira muito comum para iniciantes. Além de que as mensagens de erro de muitos compiladores não indicam o problema dificultando saber qual erro o usuário iniciante está cometendo. Outro problema é o fato de os depuradores das IDEs profissionais serem muito complexos, dificultando ao aprendiz saber o que está acontecendo[2].

Com essa ideia em mente o Portugol Studio teve início em 2007 com o desenvolvimento do núcleo do Portugol Studio, feito pelo estudante Luiz Fernando Noschang na Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). O núcleo do Portugol Studio, diferente da linguagem conhecida como Portugol, foi desenvolvido com uma sintaxe mais parecida com C e PHP, para facilitar a transição dos estudantes para linguagens de programação profissionais, por isso, essa sintaxe foi chamada de Portugol 2.0. Essa decisão foi tomada porque o Portugol Studio seria designado à iniciantes de programação e seria uma ferramenta que os ajudasse a iniciar nas linguagens profissionais.

Na versão 1.0 do Portugol Studio, lançada em Setembro de 2011, já havia uma interface para uso da linguagem, portanto, começou a ser utilizada dentro da UNIVALI nos primeiros semestres nos cursos de ciências da computação.

Com a versão 2.0, o Portugol Studio começou a ser utilizado em outras universidades, como a Universidade Federal do ABC.

A versão 2.5 do Portugol Studio foi utilizada na Copa Rio Info de Algoritmos(CRIA) como linguagem principal para resolução dos desafios. Dentro da competição vários colégios e institutos participaram.

Atualmente o Portugol Studio se encontra na versão 2.6, é desenvolvido pela equipe do LITE (Laboratório de Inovação Tecnológica na Educação), e está sendo utilizado em pelo menos 7 universidades, 4 institutos federais, alguns cursos e faculdades pelo Brasil.

Alguns conhecidos são:

Recursos[1][editar | editar código-fonte]

  • Interface didática e simplificada, contendo poucos botões, apresentando apenas o necessário, diminuindo a complexidade de uso da IDE e permitindo acesso rápido as funcionalidades.
  • Sistema de Ajuda, navegável e sequencial, permitindo que o usuário aprenda a linguagem e como programar dentro da ferramenta.
  • Árvore Estrutural, permite identificar e compreender os elementos existentes no código, com um sistema de busca por nome dos elementos
  • Editor de código, possuiu destaque de sintaxe, conclusão de código para bibliotecas, dobramento de código e troca de temas.
  • Depurador, permite executar o programa passo a passo, podendo verificar por onde a execução passa
  • Inspetor de variáveis, permite a visualização dos valores das variáveis do código durante a execução ou depuração.
  • Suporte para desenvolvimento de Jogos, bibliotecas facilitam a criação de programas mais complexos com o uso de interface gráfica.

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

O Portugol Studio também já foi parte de diversas pesquisas que envolvem o aprendizado dos estudantes em programação introdutória, dentre elas podemos citar:

Artigos de Periódico[editar | editar código-fonte]

  • Portugol Studio: Uma IDE para Iniciantes em Programação[2]
  • Avaliação do Feedback Gerado Por Um Corretor Automático de Algoritmos[4]
  • Um Mecanismo para Correção Automática de Exercícios Práticos de Programação Introdutória[5]
  • Usando Corba para integrar um compilador desenvolvido em Java com ferramentas em outras linguagens de programação[6]
  • Análise do Feedback Fornecido por Corretores de Algoritmos com Propósito Educacional[7]
  • Produção e Avaliação de Videoaulas: Um Estudo de Caso no Ensino de Programação[8]
  • Introdução à Programação e à Implementação de Processadores por Estudantes do Ensino Médio[9]

Dissertações de Mestrado[editar | editar código-fonte]

  • Um gerador de dicas para guiar novatos na aprendizagem de programação[10]

Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação[editar | editar código-fonte]

  • Correção Automática de Algoritmos no Ensino Introdutório de Programação[11]
  • Adaptação do Portugol Core para permitir a integração com outras ferramentas[12]
  • Integração do Portugol Core com o BIPIDE[13]

Referências

  1. a b «Site Oficial do Portugol Studio» 
  2. a b Noschang, Luiz Fernando; Jesus, Elieser Ademir de; Raabe, André Luís Alice (2014). «Portugol Studio: Uma IDE para Iniciantes em Programação» (PDF). Congresso Anual da Sociedade Brasileira de Computação. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  3. «Material Didatico da Universidade Federal do ABC» 
  4. Raabe, André; Jesus, Elieser Ademir de; Hodecker, Andrei; Pelz, Fillipi (26 de outubro de 2015). «Avaliação do Feedback Gerado Por Um Corretor Automático de Algoritmos». Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE). 26 (1). 358 páginas. ISSN 2316-6533. doi:10.5753/cbie.sbie.2015.358 
  5. Pelz, Fillipi Domingo; Jesus, Elieser Ademir de; Raabe, André Luiz Alice (2012). «Um Mecanismo para Correção Automática de Exercícios Práticos de Programação Introdutória». Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE). 23. ISSN 2316-6533 
  6. Noschang, Luiz Fernando; Raabe, André Luís Alice (2013). «USANDO CORBA PARA INTEGRAR UM COMPILADOR DESENVOLVIDO EM JAVA COM FERRAMENTAS EM OUTRAS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO». Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  7. Pelz, Felipe Domingo; Raabe, André Luís Alice (2013). «Análise do Feedback Fornecido por Corretores de Algoritmos com Propósito Educacional». Latin American Conference on Learning Objects. Consultado em 11 de agosto de 2017. Arquivado do original em 12 de agosto de 2017 
  8. Raabe, André Luís Alice; Bernardes, André; Augusto Junior, Roberto Gonçalves (2014). «Produção e Avaliação de Videoaulas: Um Estudo de Caso no Ensino de Programação». Workshop de Informática na Escola. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  9. Viel, Felipe; Raabe, André Luís Alice; Zeferino, Cesar Albenes (2014). «Introdução à Programação e à Implementação de Processadores por Estudantes do Ensino Médio». Workshop de Informática na Escola. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  10. Fillipi Domingos Pelz. Um gerador de dicas para guiar novatos na aprendizagem de programação. 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Computação Aplicada) - Universidade do Vale do Itajaí, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: André Luís Alice Raabe.
  11. Fillipi Domingos Pelz. Correção Automática de Algoritmos no Ensino Introdutório de Programação. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciência da Computação) - Universidade do Vale do Itajaí. Orientador: André Luís Alice Raabe.
  12. Luiz Fernando Noschang. Adaptação do Portugol Core para permitir a integração com outras ferramentas. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciência da Computação) - Universidade do Vale do Itajaí. Orientador: André Luís Alice Raabe.
  13. Paula Mannes. Integração do Portugol Core com o BIPIDE. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciência da Computação) - Universidade do Vale do Itajaí. Orientador: André Luís Alice Raabe

Ligações externas[editar | editar código-fonte]