Postimees

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Postimees
Postimees logo.svg
Periodicidade de segunda a sábado
Formato Standard
Proprietário 92,5% pertence ao grupo dinanarquês Schibsted
Fundador(es) Johann Voldemar Jannsen
Presidente Mart Kadastik
Editor Merit Kopli
Fundação 1 de maio de 1857
Sede Tallinn
Página oficial www.postimees.ee
Capa da primeira edição do Perno Postimees (1857)

Postimees (O Mensageiro) é um dos mais importantes jornais da Estônia. Depois do tablóide SL Õhtuleht, ele é o jornal de maior edição e mais influente do país.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1856, o Tsar Alexandre II, emitiu a permissão para a impressão do Perno Postimees ehk Näddalileht. Ele circulou inicialmente de 1857-1863 em Pärnu com uma edição semanal de oito páginas em língua estoniana. O principal redator do Perno Postimees tornou-se o publicitário Johann Voldemar Jannsen. O segundo jornal estoniano, o Tallorahwa Postimees, que surgiu em Tartu no mesmo ano do recebimento da autorização para ser impresso, precisou depois de dois anos de atividade suspender a sua edição.

Em 1864 Jannsen deixou o Perno Postimees e juntamente com o editor Laakman fundou um jornal concorrente, o Eesti Postimees, que rapidamente superou o Perno Postimees em popularidade. Os dois jornais, na segunda metade do século XIX, representaram um importante papel na construção de uma consciência nacional estoniana.

Em 1882 Jannsen vendeu o Eesti Postimees, que foi administrado de 1882-1885 por Karl August Hermann. Em 1884 Karl August Hermann adquiriu o jornal e transferiu a redação para Tartu.

O Pärnu Postimees continuou a ser editado até 1885. A partir de 1886, em Tartu, o recém fundado jornal Postimees, sob a direção de Hermann começou a circular semanalmente (1886/87), depois 1887-91, três vezes por semana. Em 1891 o Postimees tornou-se o primeiro jornal diário da Estônia. Assim como o Eesti Postimees, o Postimees também foi o porta-voz da luta contra o czarismo e a russificação na Estônia. Em 1896 Hermann vendeu o Postimees para um conjunto de empresários.

Um dos sócios proprietários do jornal era o jornalista e político estoniano Jaan Tõnisson. Ele através do Postimees se tornaria a principal figura da imprensa nacional e o fundador da República da Estônia em 24 de fevereiro de 1918. De 1896 até 1930 ele foi o único proprietário do Postimees e de 1896 até 1935, o seu chefe de reportagem.

Com a ocupação da Estônia em 1940 pela União Soviética, foi proibida a liberdade de imprensa e o jornal foi fechado em 13 de julho de 1941. De 1948 até 1990 ele circulou como um jornal comunista com o nome de Edasi (Avante).

O Postimees hoje[editar | editar código-fonte]

Depois da restauração da independência da Estônia em 1991, o Postimees foi novamente fundado. O proprietário é o Grupo de Mídia da Estônia, sendo que um dos grupos de mídia líderes na Escandinávia, o conglomerado norueguês Schibsted detém 92,5% de suas ações.

Pertencem também ao Grupo Postimees os jornais regionais Tartu Postimees, Pärnu Postimees, Sakala, Virumaa Teataja, Järvamaa Teataja e Valgamaalane. Em 1995, o Postimees lançou a sua própria página na internet, que era então só uma divulgação on-line de suas histórias jornalísticas. Em 2000, o website foi aperfeiçoado e começou a publicar on-line notícias diárias e estabeleceu-se desde então, como um portal de notícias on-line. Desde novembro de 2005 é publicada uma edição diária do jornal em língua russa, que já atingiu a marca de 25.000 leitores.

A partir de 2006, o jornal é o maior produtor de notícias on-line da Estônia, com cerca de 140.000 leitores por semana. A sede da redação está localizada na capital Tallinn, com uma filial em Tartu. A cantora estoniana Kerli é colunista da página virtual do jornal.[1]

Referências

  1. kerli (bubblegoth) (16 de junho de 2010). Kerli, what's the name of the newspaper blog where you write in Estonia? (em inglês) Formspring. Visitado em 16 de junho de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]