Prédios históricos do Comando Militar do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os prédios históricos do Comando Militar do Sul (CMS) são antigas edificações localizadas na Rua dos Andradas, em ambos os lados da Igreja das Dores e no trecho defronte, no centro de Porto Alegre, pertencentes à divisão sulina do Exército Brasileiro e à sua força auxiliar, a Brigada Militar do Rio Grande do Sul.

8ª Circunscrição de Serviço Militar (8ª CSM)[editar | editar código-fonte]

Prédio da 8ª CSM.

Segundo placas comemorativas em seu interior, sua construção foi iniciada em 1828 em terrenos anteriormente de propriedade da Real Fazenda e da Irmandade de Nossa Senhora das Dores, substituindo uma construção anterior que abrigava os Armazéns Reais, datada de 1776, além de servir como residência do Inspetor de Trem, do Ajudante, e como almoxarifado, depósito de material bélico, artilharia e armas portáteis e sede da Companhia de Artífices Militares e Menores Aprendizes. Passou por várias reformas ao longo de sua existência, acomodando sucessivamente o Trem de Guerra (1819), o Arsenal de Guerra do RS (1829), e o Arsenal de Guerra de Porto Alegre (1851), época em que sua configuração se aproximou da atual. Em 1924 foi transformado no Estabelecimento Regional de Fardamento, Equipamento e Arreamento, e em 1935 serviu como Estabelecimento Regional de Material de Intendência. Na década de 1960 foi reformado e novamente entregue ao uso em 1964, sendo que em 1974 sua destinação passou a ser de Depósito Regional de Material de Intendência. Em 1984 sofreu sua última reforma, e hoje serve como sede da 8ª CSM, da Companhia de Comando do CMS, da Seção de Inativos e Pensionistas e Almoxarifado da 3ª Região Militar.

É um belo prédio em estilo neoclássico simplificado e austero, constituindo um bloco retangular maciço com um grande portal centralizado, três portas em arco no térreo e três janelas com sacadas de ferro acima, sob um frontão triangular onde está inserido o brasão da República. Ladeiam este bloco central dois blocos com janelas retangulares sem ornamentos. Possui uma larga cornija clássica de arremate, sob uma platibanda em balaustrada vazada com delicadas luminárias em ferro. A porta central dá acesso a um grande pátio interno a céu aberto, rodeado de alas edificadas em dois pisos.

O Quartel General.

Antigo Quartel General do Exército[editar | editar código-fonte]

Originalmente este edifício foi construído para abrigar o Quartel General do Exército e a residência de seu comandante, e substituiu uma antiga edificação datada de 1775, que tinha as mesmas funções. Foi construído a partir de 1906 por ordem do General de Divisão Manoel Joaquim Godolphin, sendo engenheiro o Capitão Alfredo Leyraud, mestre-pedreiro Luiz Pellerini e mestre-carpinteiro Gentil da Rocha. Foi inaugurado em 1 de dezembro de 1908 e hoje serve como Quartel General Auxiliar do Comando Militar do Sul.

É um interessante e original edifício em estilo eclético, com três pavimentos e duas fachadas, na esquina das ruas General Canabarro e dos Andradas. A entrada principal se abre exatamente na esquina, com um frontispício em forma de edícula clássica sustentada por duas colunas toscanas, e sobre cujo frontão está afixada uma placa de mármore com a data de construção e o nome do General Godolphin. Acima há uma sacada com gradil de ferro trabalhado e uma abertura em arco redondo inserida em uma moldura com frontão em arco abatido onde se lê a inscrição "Quartel General". Logo acima se destaca o Brasão de armas do Brasil, e como arremate deste bloco, um torreão circular com uma cúpula azul estrelada. Este torreão é bastante ornamentado com imagens simbólicas: panóplias militares, o brasão do Rio Grande do Sul, o emblema do Exército, bustos em relevo de Júlio de Castilhos e do Marechal Deodoro da Fonseca, e um grupo escultórico com uma figura de um soldado sentado, à esquerda, armado de fuzil e segurando uma corneta, uma figura feminina de pé ao centro representando a República, e à direita uma outra imagem feminina, sentada, simbolizando a Justiça e a Lei, com uma espada na destra e uma balança e um livro na mão esquerda.

Lateralmente a este bloco de entrada se estendem as duas fachadas, que se caracterizam por uma ornamentação em relevo simulando pedra aparelhada entre as aberturas. O térreo, devido à declividade do terreno, só existe no lado da rua dos Andradas, com uma série de janelas quadradas e portas baixas. Separando-o dos dois pisos acima está uma pequena cornija. As janelas do primeiro pavimento são retangulares e coroadas com um motivo escalonado, com uma tocha em relevo ao centro, e as do terceiro piso são em arco redondo, sem ornamentação. A fachada é modulada por blocos em leve projeção e o prédio é arrematado por uma cornija saliente com uma platibanda em estilo mourisco com pequenas ameias a lembrar a função militar do prédio.

Museu do CMS[editar | editar código-fonte]

O Museu Militar do CMS.
Ver artigo principal: Museu do Comando Militar do Sul

Inaugurado em 1867 na administração provincial do Barão Homem de Mello, foi construído pelo mestre-de-obras Manoel Alves de Oliveira como anexo do Arsenal de Guerra, que funcionava em frente. O Arsenal de Guerra manteve-se neste prédio até a década de 1930, quando foi transferido para a margem do rio Taquari em General Câmara.

É um grande edifício em estilo eclético ainda com reminiscências do estilo colonial, ocupando todo o quarteirão, com duas fachadas similares opostas, com dois pavimentos, interligadas por alas térreas. As fachadas principais, na rua dos Andradas e Siqueira Campos, possuem uma grande porta central em arco, dentro de um frontispício que percorre os dois pavimentos e termina em frontão discreto. Aos lados, apenas janelas em arco no térreo e retangulares no piso acima, sem mais ornamentos salvo ligeiro trabalho de relevo à guisa de pedra aparelhada em torno das aberturas superiores da fachada da rua dos Andradas. O interior tem um grande pátio a céu aberto.

Quartel do Comando Geral e Museu da Brigada Militar[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Museu da Brigada Militar
Museu da Brigada Militar.

Pertencendo à Brigada Militar do Rio Grande do Sul, uma organização auxiliar do Exército, o prédio que hoje abriga seu Comando Geral e Museu é de todos estes o mais modesto, porém é de interesse arquitetônico pelos detalhes nitidamente Art nouveau do segundo piso, sendo uma das raríssimas edificações na cidade com tal característica. Sua construção iniciou em 1927 sob um projeto do engenheiro Teophilo Borges de Barros, devendo substituir o antigo edifício do QG da Brigada Militar. Situado na Rua dos Andradas 498, foi inaugurado em 1929. Seu estilo geral é eclético e sua volumetria é severa, contrastando com a delicada ornamentação nas aberturas superiores e no balcão central.

Sua estrutura simétrica tem dois pavimentos principais. Há duas estreitas portas nas extremidades e três janelas centrais no térreo. No piso acima as aberturas extremas têm pequenas sacadas redondas em alvenaria, e a abertura central mostra um balcão com gradil de ferro trabalhado e sustentação em alvenaria, com ornamentação em motivos florais. Acima um grande florão rodeia um cisne em relevo, de asas abertas, sob duas grandes volutas em estilo manuelino, que se estendem aos lados em uma grossa cornija lisa. Um terceiro pavimento foi acrescentado obviamente em tempos modernos, sem qualquer adorno e desconsiderando o estilo geral da construção. Completa a decoração um trabalho em relevo simulando pedra rústica nas pilastras laterais, e nas centrais há apenas finas caneluras.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]