Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel
Jurados do Prêmio de Econômicas em Memória de Alfred Nobel 2008.
Descrição Contribuições notáveis na economia
Apresentação Academia Sueca
Local Estocolmo
País  Suécia
Primeira cerimónia 1969
Última cerimónia 2021
Detentor atual David Card, Joshua Angrist, Guido Imbens
Sítio oficial
Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel 2008.

O Prémio de Ciências Económicas, oficialmente denominado Prémio do Banco da Suécia para as Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel (em sueco Sveriges riksbanks pris i ekonomisk vetenskap till Alfred Nobels minne), vulgarmente apelidado na Suécia de Prémio da Economia (Ekonomipriset), foi instituído em 1968 pelo Sveriges Riksbank, o Banco Central da Suécia, e atribuído pela primeira vez em 1969.[1]

Devido ao facto de incluir a dedicatória a Alfred Nobel, é incorretamente referido como Prémio Nobel de Economia ou Prémio Nobel de Ciências Económicas. De fato, não é concedido pela Fundação Nobel, mas sim pago com dinheiro público. As palavras "em memória de Alfred Nobel" é que causam a confusão.[1]

Entretanto, segundo a Academia Real das Ciências da Suécia, o processo de indicação, os critérios de escolha e a apresentação da decisão são conduzidos de maneira similar à dos Prémios Nobel, [2] e "conforme as regras que regulam a atribuição dos prémios criados a partir do testamento de Alfred Nobel".[3]

Alguns familiares de Alfred Nobel, notadamente seu sobrinho bisneto Peter Nobel, não aceitam que o Prémio de Ciências Económicas seja referido como um Nobel, pois o consideram como uma espécie de "campeonato de relações públicas para economistas" - algo impensável por Alfred Nobel, que desprezava "pessoas para quem os lucros são mais importantes do que o bem-estar da sociedade".[4]

Laureados[editar | editar código-fonte]

O primeiro prémio em economia foi atribuído em 1969 a Ragnar Frisch e Jan Tinbergen "por terem desenvolvido e aplicado modelos dinâmicos para a análise de processos económicos".[5] Duas mulheres já receberam o prêmio: Elinor Ostrom, em 2009, e Esther Duflo, em 2019.[6]

Referências

  1. a b Thomas Magnusson e Peter A. Sjögren (2004). «Nobelpriset i ekonomi». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 152. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. «"Prize in Economic Sciences"» 
  3. «Excerto do testamento de Alfred Nobel. Fundação Nobel» 
  4. The Local; AFP (28 de setembro de 2005). «Nobel descendant slams Economics prize» (em inglês). Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2008 
  5. «The Sveriges Riksbank Prize in Economic Sciences in Memory of Alfred Nobel 1969» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 16 de outubro de 2020. Arquivado do original em 4 de abril de 2006 
  6. Wiseman, Paul; Ljubojevic, Aleksandar; LeBlanc, Steve (14 de outubro de 2019). «3 economists who study poverty win Nobel Prize». apnews.com (em inglês). Associated Press. Consultado em 16 de outubro de 2020 [ligação inativa] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]