Prêmios L'Oréal-UNESCO para mulheres em ciência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de «L'Oréal-UNESCO Awards for Women in Science» na Wikipédia em inglês. Ajude e colabore com a tradução.

Os Prêmios L'Oréal-UNESCO para mulheres em ciência visam promover a posição das mulheres na ciência, reconhecendo pesquisas destacadas de mulheres que contribuiram para o progresso científico. Os prêmios são resultado de uma parceria entre a indústria de cosméticos francesa L'Oréal e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), com um valor monetário de US$ 100.000 (cem mil dólares americanos) para cada laureado.[1]

A cada ano um juri internacional, alternado entre especialistas em ciência da saúde e ciência dos materiais, escolhe uma laureada de cada uma das seguintes regiões:

A mesma parceria concede o UNESCO-L'Oréal International Fellowships, concedendo até US$ 40.000 para quinze mulheres jovens em ciência para projetos de pesquisa.[2]

Laureadas[editar | editar código-fonte]

Ano Nome País Campo
1998 Grance Aladunni L. Taylor Nigéria Bioquímica
Myeong Hee-Yu  Coreia do Sul Microbiologia
Pascale Cossart  França Bacteriologia
Gloria Montenegro  Chile Botânica
2000 Valerie Mizrahi África do Sul Biologia molecular
Tsuneko Okazaki  Japão
Margarita Salas Flag of Spain.svg Espanha
Eugenia María del Pino Veintimilla Equador
Joanne Chory  Estados Unidos
2001 Adeyinka Gladys Falusi Nigéria Genética molecular
Suzanne Cory  Austrália
Anne McLaren  Reino Unido Biologia reprodutiva
Mayana Zatz  Brasil Biologia molecular
Joan Argetsinger Steitz  Estados Unidos Biofísica molecular e bioquímica

Laureadas de 2002:

Laureadas de 2003:

Laureadas de 2004:

Laureadas de 2005:

Laureadas de 2006:

Laureadas de 2007:[1]

Laureadas de 2008:[3]

Laureadas de 2009:[4]

  • Tebello Nyokong (África e Estados Árabes): "for her work on harnessing light for cancer therapy and for environmental clean-up".
  • Akiko Kobayashi (ásia-Pacífico): "for her contribution to the development of molecular conductors and the design and synthesis of a single-component molecular metal".
  • Athene M. Donald (Europa): "for her work in unraveling the mysteries of the physics of messy materials, ranging from cement to starch".
  • Beatriz Barbuy (América Latina): "for her work on the life of stars from the birth of the Universe to the present time".
  • Eugenia Kumacheva (América do Norte): "for the design and development of new materials with many applications including targeted drug delivery for cancer treatments and materials for high density optical data storage".

Laureadas de 2010:[5]


Laureadas de 2015:[6]

  • Rajaâ Cherkaoui El Moursli ( Marrocos) (África e Oriente Médio): "For her key contribution to one of the greatest discoveries in physics: proof of the existence of the Higgs Boson, the particle responsible for the creation of mass in the universe."
  • Yi Xie ( China) (Ásia-Pacífico): "For her significant contributions to inorganic solid state solvothermal chemistry at the nanoscale, particularly unconventional semi-conductor materials and graphene-like structures a few atoms thick."
  • Dame Carol Robinson ( Reino Unido) (Europa): "For her groundbreaking work in macromolecular mass spectrometry and pioneering gas phase structural biology by probing the structure and reactivity of single proteins and protein complexes, including membrane proteins."
  • Thaisa Storchi Bergmann ( Brasil) (América Latina): "For her outstanding work on super-massive black holes in the centers of galaxies and their associated regions of dense gas, dust, and young stars surrounding them, as well as their role in the evolution of galaxies."
  • Molly S. Shoichet ( Canadá) (América do Norte): "For her pioneering work on advanced laser photochemistry for creating 3D patterns in hydrogels that enable regeneration of nerve tissue."

Talentos Internacionais em Ascensão[editar | editar código-fonte]

Para a edição de 2015, além dos cinco prêmios Para Mulheres na Ciência, a L'Oreal criou o programa “Talentos Internacionais em Ascensão” (em inglês, “International Rising Talents”, que premiou 15 mulheres em todo o mundo. Uma das ganhadoras foi a brasileira Carolina Horta Andrade, por sua pesquisa no combate a leishmaniose.[7] [8]

Laureadas de 2015:

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]