Prêt-à Porter (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Prêt-à Porter
Álbum de estúdio de Preta Gil
Lançamento 15 de Dezembro de 2003
Gravação Rio de Janeiro Janeiro a Abril de 2003
Gênero(s)
Idioma(s) Português
Gravadora(s) Warner Music
Produção Antoine Midani
Cronologia de Preta Gil
Último
Preta (2005)
Próximo
Singles de Preta
  1. "Sinais de Fogo"
    Lançamento: Outubro de 2003
  2. "Espelhos d'Água"
    Lançamento: Fevereiro de 2004
  3. "Andaraí"
    Lançamento: Junho de 2004

Prêt-à Porter é o álbum de estreia da cantora carioca Preta Gil, lançado em 15 de dezembro de 2003 pela gravadora Warner Music. O álbum traz composições da cantora Ana Carolina e também composições próprias. Levado totalmente para a música pop, com influências da música popular brasileira, funk e axé, Preta canta sobre o amor e regrava grandes clássicos da MPB, como "Ele Mexe Comigo" gravada originalmente por Baby Consuelo no final dos anos 70.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após ser conhecida na mídia por ser filha do cantor e ministro Gilberto Gil, Preta Gil começou sua carreira como produtora de vídeos musicais, fazendo mais de 15 vídeos para a MTV Brasil e por fim abrindo sua própria produtora, aonde fez um enorme sucesso.[1] Em junho de 2002, Gil e sua pequena banda de amigos organizaram 2 shows no bar Mistura Fina, no Rio, aonde após sair do palco decidiu se tornar cantora.[2]

Gravação & Produção[editar | editar código-fonte]

O álbum entrou em produção em agosto de 2002, logo após dos dois shows que Preta fez. Gil passou desde então a entrar em contato com uma gama de instrumentistas e conseguiu o estúdio da cantora Ivete Sangalo emprestado por dois meses, localizado no Rio de Janeiro. Para construir as canções, a cantora levou todos os seus CDs para o estúdio e acabou compondo apenas uma das faixas do álbum.[1]

Encarte[editar | editar código-fonte]

Preta Gil, após um "sonho", decidiu ficar nua no encarte oficial de seu primeiro álbum de estúdio, arrancando críticas da mídia.[3]

Alinhamento das faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Andaraí"   Betão Aguiar, Pedro Baby, Davi Moraes Antoine Midani 3:48
2. "Sinais de Fogo"   Ana Carolina, Totonho Villeroy Midani 3:36
3. "Morawe"   Gurman, Moraes Midani 4:01
4. "De Toda Maneira"   Jorge, Nonato, Wesley Midani 3:43
5. "Baianinha"   Aguiar, Peu Meurrahy, Moraes, Raff, Reis Midani 4:14
6. "Mal de Amar"   Aguiar, Baby, Preta Gil, Gilberto Oliveira Midani 3:30
7. "Vestido Vermelho"   Alvaia, Bahiense, Reis Midani 4:10
8. "Arrepio de Carnaval"   Aguiar, Baby, Gurman Midani 3:49
9. "O Bonde"   Gurman, Moraes Midani 4:10
10. "Precisando de Amor"   Meurrahy Midani 4:17
11. "5 Horas"   Juninho Costa, Mirachi, Reis Midani 4:08
12. "Táxi Pra Bahia"   DeSouza Midani 3:25
13. "Espelhos d'Água"   Dalto, Claudio Rabello Midani 3:52

Referências

  1. a b «Preta Gil: "Estou renascendo e construindo uma vida nova"». MTV. MTV. 8 de outubro de 2003. Consultado em 5 de setembro de 2011. 
  2. «Revista Época Edição 214 24/06/2002 - FUTURO». MTV. MTV. 8 de outubro de 2003. Consultado em 5 de setembro de 2011. «A cantora era estreante, mas o público foi de estrela. Nos dois shows que Preta Gil, filha de Gilberto Gil, fez no bar Mistura Fina, no Rio, a concentração de famosos foi digna de star. E as novidades no palco também: além da própria Preta, que surpreendeu o público com uma versão tango para "Baba, Baby", sua banda é o que se pode chamar de nova geração dos Novos Baianos: o guitarrista, Pedro Baby (primeiro, à esq.), é filho de Pepeu Gomes e Baby do Brasil; o baterista, Gil (segundo, à esq.), e o baixista, Betão (de blusa branca), são filhos de Paulinho Boca de Cantor. Quem disse que a MPB não se renova?» 
  3. «Preta Gil posa nua em encarte de CD e ressuscita 'música de motel' em "Prêt-à Porter"». MTV. MTV. 20 de agosto de 2003. Consultado em 5 de setembro de 2011. «Acaba de chegar às lojas o disco "Prêt-à Porter", de Preta Gil, filha do cantor, compositor e ministro da Cultura Gilberto Gil.»