Príncipe-abade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Brasão de Bernardo Gustavo de Baden-Durlach, Príncipe-abade de Fulda (1671-1677) e Príncipe-abade de Kempten (1673-1677).

Príncipe-abade (em alemão: Fürstabt, em francês: Prince-abbé) era um título nobiliárquico e religioso entregue ao superior duma Abadia cujas possessões formavam um principado.

No caso de uma Abadia feminina com possessões territoriais, a superiora detinha o título de Princesa-abadessa.

Enquadramento[editar | editar código-fonte]

Príncipe-Abade combina o título de Abade ao de Príncipe demonstrando uma autoridade tanto espiritual como temporal. O Brasão de Armas inclui como suportes uma espada (símbolo de poder temporal) e um báculo pastoral (símbolo do poder espiritual).

Os príncipes-abades encontravam-se sobretudo no território do Sacro Império Romano-Germânico, região onde existiam igualmente os Príncipes-bispos. As comunidades de religiosas femininas eram dirigidas por Princesas-abadessas.

Certos príncipes-abades tinham precedência sobre outros, uma vez que, a título pessoal, tinham representação na Dieta Imperial. Era o caso do Príncipe-abade Fulda, do Príncipe-abade de Kempten ou ainda do Príncipe-abade de Murbach-Lure.

Lista de Príncipes-Abades / Princesas-Abadessas[editar | editar código-fonte]

Gravura de Adolf von Dalberg, Príncipe-abade de Fulda (1726-1737).

No atual território da Alemanha[editar | editar código-fonte]

No atual território da Suíça[editar | editar código-fonte]

No atual território de França[editar | editar código-fonte]

No atual território da Bélgica[editar | editar código-fonte]

Outros Casos[editar | editar código-fonte]

Igreja de S. Miguel de Sozań, sede do antigo principado abacial[2].

Outros exemplos incluem a Abade Nullius de Pinerolo, no Piemonte, e a Abadia de Belmont, na Carolina do Norte, que teve um estatuto de Abadia Nullius até 1977.

O Príncipe-abade de Sozan [3], na Ucrânia ocidental, com estatuto de Abadia Nulius, encontra-se no exílio após a ocupação dos edifícios em 1945.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. em termos da hierarquia religiosa, o Reitor era imediatamente inferior a Abade
  2. https://dicionario.priberam.org/abacial
  3. junto à cidade de Staryi Sambir
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em francês, cujo título é «Prince-abbé».

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hanz Werner Goetz & Herbert Zielinski, Fürst, Fürstentum, in Lexikon des Mittelalters (LexMA), Vol. 4, Artemis & Winkler, Munique/Zurique, 1989, ISBN 3-7608-8904-2.
  • Teresa Schöder-Stapper, Fürstäbtissinnen, Frühneuzeitliche Stiftsherrschaften zwischen Verwandtschaft, Lokalgewalten und Reichsverband. Böhlau Verlag Köln Weimar Wien, 2015. ISBN 978-3-412-22485-1