Prószków

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Pruszków (município na voivodia da Mazóvia).
Polónia Prószków

Proskau

 
  cidade em uma comuna urbano-rural  
Edifícios da praça principal
Edifícios da praça principal
Símbolos
Bandeira de Prószków
Bandeira
Brasão de armas de Prószków
Brasão de armas
Localização
Prószków está localizado em: Polônia
Prószków
Prószków no mapa da Polônia
Mapa dinâmico da cidade
Coordenadas 50° 34' 45" N 17° 52' 11" E
País Polônia
Voivodia Opole
Condado Opole
Comuna Prószków
História
Data de fundação 1250
Elevação à cidade 1560–1915 e 2004
Administração
Tipo Prefeitura
Prefeito Krzysztof Cebula
(2018)
Características geográficas
Área total 16,2 km²
População total (2021) [1] 2 564 hab.
Densidade 158,3 hab./km²
Fuso horário CET (UTC+1)
Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 46-060
Código de área (+48) 77
Cidades gêmeas
Pruszków  Polônia
Hünfeld  Alemanha
Ternberg  Áustria
Outras informações
Matrícula OPO
Commons-logo.svg Mídia no Commons
Website Prószków na rede Internet

Loudspeaker.svg? Prószków[2] (nome adicional em alemão: Proskau, anteriormente também Prosków[3]) é um município da Polônia, localizado na voivodia de Opole, no condado de Opole e sede da comuna urbano-rural de Prószków.

Historicamente situa-se na Alta Silésia, a 8 km ao sul de Opole. Prószków obteve os direitos de cidade em 1560, perdeu-os em 1915 e recuperou-os em 2004.

A estrada da voivodia n.º 414: Prudnik-Opole atravessa a cidade, e a autoestrada A4 passa junto a Prószków (mas sem possibilidade de acesso; existe apenas uma área de descanso ou área de serviço categoria I, desde 2006).[4]

Estende-se por uma área de 16,2 km², com 2 564 habitantes, segundo o censo de 31 de dezembro de 2021, com uma densidade populacional de 158,3 hab./km².[1]

Nome[editar | editar código-fonte]

Em 1613, o regionalista e historiador da Silésia Mikołaj Henel, de Prudnik, mencionou a cidade em seu trabalho sobre a geografia da Silésia intitulado Silesiographia dando seu nome em latim: Pruscavia[5] O nome polonês da cidade na forma Prusków e o nome alemão Proskau no livro "Um breve esboço da geografia da Silésia para a ciência inicial" publicado em Głogówek em 1847 foram mencionados por Józef Lompa, um sacerdote e escritor da Alta Silésia.[6] Os nomes Prusków, Proskau e Pruszków, também constam do Dicionário Geográfico do Reino da Polônia.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Ala sudoeste do castelo e bastião do lado da rua Młyńska
Prószków em 1903
Castelo de Prószków antes de 1940

Os registos mais antigos sobre a aldeia datam de 1250. A partir do século XIV foi propriedade da família Prószkowski. Em 1563, eles construíram um castelo no estilo revivalista, então demolido pelos suecos em 1644 e reconstruído em 1677. Ao castelo pertencia uma fábrica de faiança, que durou até 1850. Do século XVIII ao início do século XX, também se produziu cerveja em Prószków.

Quando o último descendente masculino da família, o conde Leopold Prószkowski, morreu em um duelo em 1769, a propriedade de Prószków junto com o castelo tornou-se propriedade do conde von Dietrichstein, marido de Karolina Maksymiliana, filha de Jan Krzysztof Prószkowski. Os Dietrichsteins venderam o castelo Prószkowski em 1783 ao rei prussiano Frederico, o Grande.

Em 1847, foi fundada na cidade a Real Academia Agrícola, e em 1868 o Real Instituto Pomológico iniciou a sua atividade, cujo iniciador - Gustaw Stoll, como o primeiro diretor da universidade, contribuiu para a ampliação das instalações de ensino e ampliação da área da fazenda, onde surgiram viveiros e campos aráveis. A partir de 1871, existiam sucessivamente: pensão, dormitórios para funcionários, fábrica de beneficiamento de frutas, sistema de abastecimento de água para irrigação do pomar, estufas e câmaras frigoríficas. Então, em 1878, um parque foi criado para fins educacionais e de proteção para variedades de árvores frutíferas pouco resistentes. Em 1915, o nome do instituto foi alterado para "Escola Real de Pomares e Jardins". Em 1924, a escola foi transformada na Escola Anual de Horticultura da Baixa, que funcionou até 1944. Zygmunt Rościszewski, naturalista polonês, professor da Universidade de Dorpat[8] estava entre os graduados dessa universidade.

Durante o plebiscito em 1921, 1 587 pessoas votaram para permanecer na Alemanha e 151 na Polônia.[9]

Depois de ingressar na Polônia em 1947, a Escola Secundária Coeducacional Estadual de Horticultura foi fundada, e sua sucessora foi a Escola Técnica Estadual de Horticultura. Em 1969, foi construído um novo edifício principal e uma pensão, dando assim início à atividade do Complexo de Escolas de Horticultura Józef Warszewicz. A antiga Fazenda estatal (PGR), que estava localizada nas imediações, foi anexada à escola e a Fazenda Auxiliar foi estabelecida no Complexo de Escolas de Horticultura J. Warszewicz em Prószków, que funcionou até os anos noventa do século passado. Atualmente, a escola se chama Complexo Escolar J. Warszewicz. O prédio da escola e a área adjacente, incluindo campos esportivos, foram reformados e modernizados. O Centro Provincial de Formação Juvenil em Futebol funciona no Complexo Escolar. A escola é um dos elementos de recursos culturais de grande importância para a cidade e região. Depois do apogeu da Escola Técnica Estadual de Horticultura, que deu continuidade à atividade deste centro de jardinagem, permanecem até aos dias de hoje estufas e alguns edifícios agrícolas. Mesmo na década de 1980, pomares e viveiros eram cultivados aqui em grande escala. Havia uma fábrica de processamento de vegetais e frutas e um chiqueiro. Todos os edifícios relacionados a escolas e fazendas antigas e existentes são chamados de Pomologia.

Fabricação de faiança[editar | editar código-fonte]

As primeiras fábricas de faiança na Silésia foram fundadas no século XVIII. O conde Leopold Pruskowski de Prószków fundou uma dessas fábricas em Prószków em 1763.[10] Nos anos de expansão, a fábrica empregava quase 80 pessoas. A prosperidade foi apoiada pela proibição da importação de cerâmicas, grês e faianças, em vigor desde 1771. A partir de 1784, o governo prussiano tornou-se o proprietário do castelo da família Prószkowski junto com a manufatura. Para a produção da faiança, foi usada argila das escavações em Strzeleczki, Zimnice Wielkie, Chrząszczyce e Prószków. A produção foi realizada até 1853.

Demografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com os dados do Escritório Central de Estatística da Polônia (GUS) de 31 de dezembro de 2021, Prószków tinha 2 564 habitantes, uma área de 16,2 km² e uma densidade populacional de 158,3 hab./km².[1]

Prószków está subordinada ao Serviço de Estatística em Opole, filial em Prudnik.[11]

Descrição Total Mulheres Homens
unidade hab. % hab. % hab. %
população 2 564 100 1 377 53,7 1 187 46,3
densidade populacional

(hab./km²)

158,3 85,0 73,3

Pirâmide etária dos habitantes de Prószków em 2014[editar | editar código-fonte]

Piramida wieku Proszkow.png[1]

Monumentos históricos[editar | editar código-fonte]

Igreja de São Jorge
Castelo em Prószków
Antigo cemitério alemão

De acordo com o registro do National Heritage Board of Poland, a lista de monumentos inclui:[12]:

  • Igreja paroquial de São Jorge, barroco de 1687 - século XVII, século XIX
  • Presbitério do século XVII, de meados do século XVIII
  • Complexo do castelo, século XVI/XVII, século XVIII/XIX:
    • Castelo, anteriormente nas mãos da família Prószkowski (Proskowski). Construído no século XVI em estilo renascentista, após sofrer danos no século XVIII, foi reconstruído em estilo barroco
    • Parque
  • Casa, rua Korfantego 1, do final do século XVIII
  • Casa, rua Zawadzkiego 36, do século XVIII, século XX
Prószków - Pomologia
  • Pousada, rua Opolska 9, do início do século XX
  • Parque - arboreto

Outros monumentos:

  • Prédio da antiga cervejaria de 1870, na rua Zamkowa
  • Antiga igreja evangélica de 1866
  • Capela de São Nepomuceno de 1877
  • Antigo cemitério alemão com lápides dos séculos XVIII e XX

Comunidades religiosas[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica na Polônia[editar | editar código-fonte]

  • Paróquia de São Jorge

Testemunhas de Jeová[editar | editar código-fonte]

  • Igreja em Prószków

Referências

  1. a b c d «Prószków (Opole) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 27 de abril de 2022 
  2. Rozporządzenie Ministrów: Administracji Publicznej i Ziem Odzyskanych z dnia 12 listopada 1946 r. o przywróceniu i ustaleniu urzędowych nazw miejscowości (M.P. z 1946 r. Nr 142, poz. 262)
  3. http://maps.mapywig.org/m/WIG_maps/series/100K_300dpi/P46_S26_477_OPPELN_(Opole)_1932_300dpi.jpg
  4. «Są MOP-y». motofakty.pl. Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  5. Haberland, Detlef (2011). Nicolaus Henel von Hennenfeld Silesiographia Breslo-Graphia Frankfurt am Main 1613 (em polonês). breslávia: Biblioteka Uniwersytecka we Wrocławiu. p. 180. ISBN 978-83-910595-2-4 
  6. Józef Lompa, „Krótki rys jeografii Śląska dla nauki początkowej”, Głogówek 1847, p. 28.
  7. «Słownik geograficzny Królestwa Polskiego i innych krajów słowiańskich, Tom IX - wynik wyszukiwania - DIR». dir.icm.edu.pl. Consultado em 14 de dezembro de 2021 
  8. Sroka, Stanisław. «Polski SŁownik Biograficzny». Consultado em 14 de dezembro de 2021 
  9. «Landsmannschaft der Oberschlesier in Karlsruhe». web.archive.org. 4 de outubro de 2013. Consultado em 14 de dezembro de 2021 
  10. F. Mainuš, Prószkowska manufaktura wyrobów fajansowych w latach 1769-1783, "Śląski Kwartalnik Historyczny Sobótka", 2, 1958, p. 224 [1]
  11. Andrzej Dereń (8 de dezembro de 2004). «Polska bardziej polska». Prudnik: Spółka Wydawnicza ANEKS. Tygodnik Prudnicki. 49 (732). ISSN 1231-904X 
  12. «Rejestr zabytków nieruchomych woj. opolskiego» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. p. 99. Consultado em 14 de dezembro de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heinrich E., Pawełczyk A., Zarys dziejów Prószkowa, Proboszcz Parafii pw. św. Jerzego w Prószkowie, 2000.
  • Mierzejewski Zenobiusz, Park arboretum w Prószkowie, Śląskie wydawnictwo ADAN Opole 2001.
  • Szołtysik Grzegorz, Studium zasobów przyrodniczych, krajobrazowych, i kulturowych zespołu parkowo-zabytkowego w Pomologii w gminie Prószków wraz z przyległymi gruntami, Rada Programowa Stowarzyszenia „Zielona Ziemia”, Prószków 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]