Praça do Japão (Curitiba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Praça do Japão.
Praça do Japão
Praça do Japão com cerejeiras em flor
Localização Curitiba
 Paraná
 Brasil
Tipo Público
Área 14 000 m²
Inauguração 1962 (57 anos)
Administração Prefeitura


A Praça do Japão é um espaço público do município de Curitiba, capital do estado brasileiro do Paraná.

Foi construída em homenagem aos imigrantes japoneses que chegaram a partir de 1910. A capital paranaense possui a segunda maior comunidade japonesa do Brasil, atrás de São Paulo, e hoje abriga mais de 32 mil de seus descendentes.

Espaços e atrações[editar | editar código-fonte]

Em uma área arborizada de 14 mil metros quadrados, existem espalhadas pela praça 30 cerejeiras, enviadas pelo império nipônico, e seis lagos artificiais nos moldes japoneses.

Uma escultura de Buda no centro de um dos lagos, tem como simbologia a irmandade entre Curitiba e Himeji, além de transmitir a paciência e arte dos japoneses, presentes no Brasil desde o início do Século XX.

Há também uma lanterna esculpida em pedra, um símbolo tradicional nos jardins do Japão, que foi doada pela assembleia legislativa de Hyogo, região co-irmã do Paraná, em 1979.

A praça conta ainda com o "Portal Japonês e o "Memorial da Imigração Japonesa".

Em julho de 2018, foi aberto o Espaço Tomie Ohtake, em homenagem à artista plástica, falecida em 2015. Uma obra de sua autoria, composta por uma escultura vermelha de sete metros de altura e estruturada em aço, foi instalada no local.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Seu projeto foi iniciado em 1958 e concluído em 1962. Uma reforma em 1993 incluiu o "Portal Japonês" e o "Memorial da Imigração Japonesa". No memoral está a "Biblioteca Municipal da Praça do Japão", que em 2008, ganhou a denominação de "Biblioteca Hideo Handa"[2] em homenagem ao escritor de origem nipônica.[3]

Há também a Casa de Chá e a Casa da cultura, com obras da literatura japonesa, dobraduras de papel (origami), arte floral (ikebana) e poemas de três versos (haikai).

Em março de 2018, a prefeitura de Curitiba abriu uma via pavimentada dentro do perímetro da praça, com o objetivo de correções geométricas no sistema viário local, para dar passagem a uma nova linha de ônibus urbano.

A comunidade vizinha da praça manifestou desacordo com o projeto, realizando alguns eventos de protestos,[4] a ponto do Ministério Público ser acionado.[5] Porém, o prefeito Rafael Greca manteve o cronograma das obras e a nova linha urbana foi inaugurada no dia 28 de março de 2018.[6]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Praça do Japão terá novo espaço com escultura exclusiva de Tomie Ohtake Agência de notícias de Curitiba - Acessado em 14 de Dezembro de 2018
  2. Estrutura/Histórico - Biblioteca Hideo Handa (Memorial da Imigração Japonesa) Secretária Municipal da Educação - Curitiba - acessado em 30 de dezembro de 2017
  3. Oficinas de cultura japonesa são levadas para 2,5 mil pessoas Agência de Notícias de Curitiba - acessado em 30 de dezembro de 2017
  4. Mesmo após protestos dos moradores, obras do Ligeirão começam na Praça do Japão Tribuna do Paraná - acessado em 3 de abril de 2018
  5. MP entra com ação contra obra do Ligeirão Norte-Sul, na Praça do Japão, em Curitiba Portal G1 - acessado em 3 de abril de 2018
  6. Greca promete extensão do Ligeirão Norte-Sul para este ano Tribuna do Paraná - acessado em 3 de abril de 2018

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Praça do Japão (Curitiba)