Praia de Ponta Negra (Natal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a praia de mesmo nome em Manaus, veja Praia da Ponta Negra (Manaus).
Praia de Ponta Negra
Natal aerea praia1312 11.jpg

Praia de Ponta Negra com o Morro do Careca ao fundo

Localização
Coordenadas
Endereço
Altitude
0 m
Descrição
Tipo de praia
Banhada por

A Praia de Ponta Negra é uma praia localizada no bairro de mesmo nome em Natal, capital do estado brasileiro do Rio Grande do Norte. É a praia da cidade mais visitada pelos turistas,[1] onde se localiza o Morro do Careca, o ponto turístico mais famoso de Natal. Ao longo da orla, existem várias pedras de coloração escura que deram o nome à praia e, consequentemente, ao bairro.[2]

A praia foi frequentada por norte-americanos na Segunda Guerra Mundial, durante a construção da Base Aérea de Natal, que hoje fica em Parnamirim, e se tornou um ponto de veraneio. Consolidou-se como a praia mais turística de Natal a partir dos anos 80/90,[3] quando o bairro atraiu investimentos e viveu um intenso crescimento imobiliário.[4][5] No início do anos 2000, a Prefeitura de Natal construiu o calçadão de Ponta Negra, com cerca de quatro quilômetros, substituindo as tradicionais barracas de praia pelos quiosques.[6]

À beira-mar está a Rua Erivan França, que concentra vários bares, restaurantes e hotéis e onde tem início o calçadão.[7] Caminhando em direção ao norte, a rua se bifurca e passa se chamar Rua Tívoli, subindo uma íngreme colina em direção à Avenida Engenheiro Roberto Freire e o calçadão prossegue por mais dois quilômetros, frequentados por praticantes de caminhadas. Nesse trecho, existe absoluta predominância de pousadas, ocasionalmente entremeadas por barracas.

Em 2012, o forte avanço do mar destruiu boa parte do calçadão da praia. Estão em curso uma série de obras para a recuperação do trecho e o calçadão já foi totalmente recuperado.[8] A Praia de Ponta Negra é um dos sete pontos da "Área Especial de Interesse Turístico" do litoral e, por isso, a praia é vigiada 24 horas por dia, por algumas das 23 câmeras instaladas ao longo do litoral de Natal.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Sequência de praias
Oceano Atlântico
precedida por:
Via Costeira

(Natal)
 Rio Grande do Norte

Praia de Ponta Negra

(Natal)
 Rio Grande do Norte

sucedida por:
Praia de Cotovelo

(Parnamirim)
 Rio Grande do Norte


Referências

  1. «Conheça as 20 praias mais movimentadas do Brasil». Terra 
  2. SILVA, 2013, p. 73.
  3. SILVA, 2007, p. 46.
  4. FONSECA; SILVA, 2012, p. 6.
  5. FONSECA; JANOSCHKA, 2018, p. 62.
  6. MACIEL; LIMA, 2014, p. 135.
  7. DONEGAN; TRIGUEIRO, 2015, p. 12.
  8. RN, Do G1 (12 de abril de 2013). «Veja como ficará a praia de Ponta Negra, em Natal, após recuperação». Rio Grande do Norte 
  9. «O olho eletrônico contra o crime». Tribuna do Norte 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

DONEGAN, Lucy; TRIGUEIRO, Edja. Arquitetura e sociedade em praias de Natal, RN. In: Conferência da Rede Lusófona de Morfologia Urbana, 2015, Brasília. Anais da 4ª Conferência do PNUM: Morfologia Urbana e os Desafios da Urbanidade. Brasília: FAU-UnB, 2015, p. 1-18.
FONSECA, Maria Aparecida Pontes da; SILVA, Kelson de Oliveira. Origem e evolução das residências secundárias no Polo Costa das Dunas/RN. In: IX Seminário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós Graduação em Turismo. Turismo e Patrimônio. São Paulo: Editora Aleph, 2012. v. 1.
MACIEL, Ana Beatriz Camara; LIMA, Zuleide Maria Carvalho. Uso e ocupação de Ponta Negra, Natal/RN: uma análise multi-temporal. Sociedade e Território, v. 26, n. 2, p. 127-147, 2014.
SILVA, Ângelo Magalhães. História e produção do espaço da Vila de Ponta Negra-Natal/RN: elementos para uma reflexão sobre o turismo local. Revista Turismo: estudos e práticas, v. 2, n. 1, 2013.
SILVA, Karina Messias da. O processo de urbanização turística em Natal: a perspectiva do residente. 2007. 128 f. Dissertação (Mestrado em Dinâmica e Reestruturação do Território) - UFRN, Natal, 2007.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma praia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.