Pressão dos pares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Pressão dos pares[1] é a influência que grupos de pares exercem sobre os membros individualmente, por meio de exigências implícitas ou explícitas, para a conformidade das atividades, crenças, ou normas do grupo.[2] Neste contexto, os pares são os indivíduos que têm aproximadamente a mesma idade ou nível de maturidade.[3]

Adolescência[editar | editar código-fonte]

Os pares tornam-se uma importante influência sobre o comportamento durante a adolescência e a pressão dos pares tem sido atribuída como característica a esta fase.[4][5] A conformidade dos pares em jovens é mais pronunciada no que diz respeito ao estilo, gosto, aparência, ideologia e valores.[6] A pressão dos pares é comumente associada a episódios de tomada de risco na adolescência (como a delinquência, o abuso de drogas, comportamentos sexuais[7][8] e condução imprudente), porque essas atividades ocorrem geralmente na companhia de colegas.[5] A associação a amigos que envolvem-se em comportamentos de risco tem-se mostrado um forte preditor do comportamento próprio de um adolescente.[9] A pressão dos pares também pode ter efeitos positivos, quando os jovens são pressionados por seus pares em direção a um comportamento positivo, tais como programas de voluntariado para a caridade[10] ou excelência na escola. A importância dos pares declina ao entrar na idade adulta[11] e os adolescentes tendem a se moldar mais aos padrões dos pares do que as crianças.[3]:310

Referências

  1. «Lidar com a pressão dos pares». APAV para jovens. Consultado em 30 de dezembro de 2014 
  2. Jacqueline V. Lerner; Richard M. Lerner; Jordan Finkelstein (2001). Adolescence in America: N-Z. ABC-CLIO. p. 494. ISBN 978-1-57607-205-9.
  3. a b Dan L. Longo; Anthony S. Fauci; Dennis L. Kasper; Stephen L. Hauser, J. Larry Jameson, Joseph Loscalzo (2014). Adolescência, 14ed. p. 307. ISBN 978-85-8055-241-6.
  4. B. B. Brown, "Adolescents' relationships with peers," In: R. M. Lerner & L. Steinburg (Eds.), Handbook of Adolescent Psychology, 2nd ed, New York: Wiley, 2004, p 363-394.
  5. a b Steinberg, Laurence; Monahan, Kathryn C. (2007). «Age differences in resistance to peer influence». Developmental Psychology. 43 (6). pp. 1531–1543. PMC 2779518Acessível livremente. doi:10.1037/0012-1649.43.6.1531 
  6. Kevin Durkin, "Peer Pressure", In: Anthony S. R. Manstead and Miles Hewstone (Eds.), The Blackwell Encyclopedia of Social Psychology, 1996.
  7. Borges, Ana Luiza Vilela (2007). «Pressão social do grupo de pares na iniciação sexual de adolescentes». São Paulo. Revista da Escola de Enfermagem da USP – REEUSP: 784. ISSN 0080-6234. doi:10.1590/S0080-62342007000500007. Consultado em 11 de agosto de 2021 
  8. Cherie, Amsale (2012). «Peer Pressure Is the Prime Driver of Risky Sexual Behaviors among School Adolescents in Addis Ababa, Ethiopia». World Journal of AIDS. 02 (03). p. 159–164. doi:10.4236/wja.2012.23021 
  9. Spear, Hila J.; Kulbok, Pamela A (2001). «Adolescent Health Behaviors and Related Factors: A Review». Public Health Nursing. 18 (2): 82–93. PMID 11285102. doi:10.1046/j.1525-1446.2001.00082.x 
  10. Stephanie Hanes. «Teens and volunteering: Altruism or just peer pressure?» (em inglês). The Christian Science Monitor. Consultado em 30 de dezembro de 2014 
  11. Brown, B. Bradford; Eicher, Sue Ann; Petrie, Sandra (1986). «The importance of peer group ("crowd") affiliation in adolescence». Journal of Adolescence. 9 (1). p. 73–96. doi:10.1016/S0140-1971(86)80029-X