Prestosuchidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPrestosuchidae
Ocorrência: Triássico Médio e Superior.
Esqueleto montado de Prestosuchus do Museu Americano de História Natural.

Esqueleto montado de Prestosuchus do Museu Americano de História Natural.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Ordem: Rauisuchia*
Família: Prestosuchidae
Romer, 1966
Gêneros
  • Veja o texto Lista de Gêneros.

Prestosuquídeos eram um grupo de arcossauros carnívoros do Triássico. Eles eram grandes e ativos predadores terrestres, variando de cerca de 2,5 a 7 metros de comprimento. Eles sucederam o Erythrosuchidae como o maior arcossauros de seu tempo. Embora lembrando Erythrosuchidae em tamanho e algumas características do crânio e do esqueleto, eles eram mais avançados em sua postura ereta e tornozelo como dos crocodilos, o que indica a caminhar mais eficiente. Prestosuchideos floresceram em todo o Triássico médio e o início do Triássico Superior. Os fósseis são conhecidos na Europa, Índia, África (Tanganica), Argentina e Rio Grande do Sul no Brasil. No entanto, os especialistas discordam sobre as relações filogenéticas do grupo, o gênero deve ser incluído de fato como Prestosuchidae ou constituem uma família distinta além da Rauisuchidae.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Em 1957, Alan Charig propôs a nova família Prestosuchidae, para incluir gêneros como Mandasuchus, Prestosuchus e Espondilosoma.[1]

Em 1967, Alfred Sherwood Romer colocou os Saurosuchus e Rauisuchus dentro da Erythrosuchidae e adotou os Prestosuchidae para incluir Prestosuchus, Procerosuchus e Mandasuchus.

Prestosuchidae têm sido freqüentemente incluído como Rauisuchidae,[2][3][4] embora tenham por vezes considerado o grupo irmão dos aetossauros em Pseudosuchia monofilético,[5] ou como um pequeno clado intermediária entre Crurotarsi basal e arcossauros mais avançados, tais como o aetossauro e Rauisuchidae [6] J. Michael Parrish 1993 cladística de arcossauros e crocodilianos coloca o Prestosuchidae (incluindo Prestosuchus, Ticinosuchus e Saurosuchus) fora dos crocodilomorfos, poposaurid, aetossauro.[7] Na maioria dos cladogramas os Prestosuchideos são considerados derivados dos Phytossauro e Ornithosuchidae, e geralmente menos do que derivado dos Poposauridaes e aetossauros.

Evolução do grupo[editar | editar código-fonte]

O mais antigo conhecido prestosuchus é o Mandasuchus do Anisiano de Tanganica. Este já era um animal grande, cerca de 4,75 metros de comprimento.[8]

Uma forma semelhante, porém menor (talvez do mesmo gênero) é Ticinosuchus do Triássico Médio (Anisiano-Ladiniano) da Suíça e do norte da Itália, que tinha cerca de 2,5 metros de comprimento. O enorme (6 metros) Batrachotomus do Triássico Médio (Ladiniano) da Alemanha, e Prestosuchus dos Triássico (Carniano) no Brasil pode estar estreitamente relacionado.Yarasuchus era um animal leve que existiu no Triássico Médio da Índia, que também parece pertencer a este grupo [6] Yarasuchus was a lightly built animal from the Middle Triassic of India that also seems to belong to this group.[9] Finalmente, Saurosuchus era um carnívoro enorme, 6 ou 7 metros de comprimento, cujos fósseis são conhecidos do Carniano da Argentina.

Lista de gêneros[editar | editar código-fonte]

Gênero Autor Ano Estatus Idade Local Descrição Imagens
Batrachotomus Gower 1999 Valid. Triássico Médio. Europa. Batrachotomus1DB.jpg
Karamuru Vorax Kischlat 2000 Valid. Triássico Médio. América do sul.
Mandasuchus Charig 1957 Valid. Triássico Médio. Africa. — Sinônimo provável do Ticinosuchus
Prestosuchus Huene 1942 Valid. Triássico Superior. América do Sul. Prestosuchus.jpg
Saurosuchus Reig 1959 Valid. Triássico Superior. América do Sul. Saurosuchus BW.jpg
Ticinosuchus Krebs 1965 Valid. Triássico Médio. Europa. Ticinosuchus BW.jpg
Yarasuchus Sen 2005 Valid. Triássico Médio. India. Yarasuchus.jpg

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Charig, A. J. (1957). «New Triassic archosaurs from Tanganyika, including Mandasuchus and Teleocrater». Dissertation Abstracts, Cambridge University 
  2. Gauthier, J. A. (1986). «Saurischian monophyly and the origin of birds». Memoirs of the California Academy of Sciences. 8: 1–55 
  3. Benton, M. J.; and Clark, J. M. (1988). «Archosaur phylogeny and the relationships of the Crocodilia». In: M. J. Benton (ed.). The Phylogeny and Classification of the Tetrapods. 1. Oxford: Systematics Association. pp. 295–338. ISBN 0198577125 
  4. Benton, M. J.; and Walker, A. D. (2002). «Erpetosuchus, a crocodile-like basal archosaur from the Late Triassic of Elgin, Scotland». Zoological Journal of the Linnean Society. 136: 25–47. doi:10.1046/j.1096-3642.2002.00024.x 
  5. Juul, L. (1994). «The phylogeny of basal archosaurs». Palaeontologia Africana. 31: 1–38 
  6. a b Gower, D. J. (2002). «Braincase evolution in suchian archosaurs (Reptilia: Diapsida): evidence from the rauisuchian Batrachotomus kupferzellensis». Zoological Journal of the Linnean Society. 136: 49–76 
  7. Parrish, J. M. (1993). «Phylogeny of the Crocodylotarsi, with reference to archosaurian and crurotarsan monophyly». Journal of Vertebrate Paleontology. 13: 287–308. doi:10.1080/02724634.1993.10011511 
  8. Charig, A. J.; Krebs, B.; Sues, H.-D.; and Westphal, F. (1976). «Thecodontia». Handbook of Paleoherpetology. Munchen: Verlag Dr. Friedrich Pfeil 
  9. Sen, K. (2005). «A new rauisuchian archosaur from the Middle Triassic of India». Palaeontology. 48 (1): 185–196. doi:10.1111/j.1475-4983.2004.00438.x 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]